Formulário de Busca

Comunicação: o preço de cada um

ter, 31/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Uma ação por abuso de poder político, de comunicação e econômico que tramita no TRE revela um dos mais bem guardados segredos do Governo José Reinaldo Tavares: quanto ele gasta com a comunicação. Documentos da Assessoria de Comunicação do Governo, anexados ao processo, mostram que a administração estadual tem despesa de quase R$ 1,5 milhão por mês com órgãos, veículos, empresas de comunicação e jornalistas.

Uma planilha de setembro de 2005 revela que o Sistema Difusora era um dos mais bem aquinhoados com R$ 427 mil – incluídos aí débitos atrasados – , o jornal “O Imparcial” vinha em seguida com R$ 310 mil, “Sistema Roberto Rocha” (R$ 200 mil) “Jornal Pequeno” (R$ 160 mil) e até o Sistema de Rádio do próprio governo embolsava R$ 100 mil. Veja abaixo cópia dos documentos.

Não se está fazendo aqui qualquer denúncia contra esses órgãos e jornalistas que aparecem na folha palaciana, pois todos estão trabalhando e recebendo pelo trabalho realizado, o que é justo. O que se quer é mostrar como e com quem o governo gasta o dinheiro público. Na papelada, aparece até uma pauta onde se pede a produção de uma “matéria com os fortes indícios de que uma ‘onda crescente’ ameaça o domínio do grupo Sarney no Maranhão”.

“É fundamental documentar com imagens paredes com pichações, adesivos e camisetas que trazem indignação popular neste momento de agora ou nunca (Xô, Rosengana e MentiRosa)”, orienta a pauta. Nela é sugerida entrevistas com Moisés Matias e os professores Chico Gonçalves e Arlete para que falem sobre a “onda anti-sarneyzista”. Ou seja, o movimento contra a candidatura Roseana sendo parido e financiado pelo Palácio dos Leões em favor de Jackson Lago (PDT).

Nos documentos há também processos onde a Malmann Marketing, a agência que atende o governo, pede indenização por serviços realizados no valor de R$ 3,6 milhões. Estão lá uma entrevista produzida pela Assessoria de Comunicação do Governo com a ex-primeira-dama Alexandra Tavares, publicada em “O Imparcial”, inclusive com sugestão de título. Mais: uma carta do governador José Reinaldo aos prefeitos sugerindo a leitura da revista “Carta Capital” com reportagem de capa contra a família Sarney.

E por fim uma carta da secretária Flávia Regina (Comunicação) para o diretor comercial de “O Imparcial”, Paulo Maurício, onde ela pede mais destaque do matutino com os assuntos do governo. Leia abaixo dos documentos.

Carta de Flávia Regina para Paulo Maurício

Caro Paulo Maurício,

Como responsável pela Assessoria de Comunicação do Governo do Maranhão tenho recebido inúmeras críticas com relação à postura dos jornais de São Luís, que gostaria de dividi-las com você e com todos os veículos que mantermos (sic) relações comerciais. As críticas e sugestões são de membros do governo e até de leitores comuns, pessoas que não possuem nenhum vínculo com o Poder Público.
Sei da seriedade e competência de sua equipe, com nomes que contribuem muito com nossa profissão como Praseres, Célio Sérgio, Ernesto Batista, Borges e outros. Porém, a opinião generalizada que chega até mim, insistentemente, é a de que O Imparcial não tem se destacado editorialmente como merece.
A capa de hoje, com destaque a uma atropelamento (!), em detrimento de uma notícia de enorme repercussão, como a reação de um chefe de Executivo ao poderio de uma das mais lucrativas empresas brasileiras, a CVRD, é , no mínimo, esquisita.
Outra crítica que tenho recebido é quanto ao número insignificante de páginas de O Imparcial. Há quem diga que bastam poucos minutos para se folhear e ler todo o jornal. A ausência de um caderno de Cultura também é fator de reclamação geral, opinião também partilhada por mim que não “advogo” apenas em nome dos interesses do Governo, mas também a favor do engrandecimento da imprensa maranhense. O Caderno X, excelente produto do jornal, sob a responsabilidade do jornalista Alex Palhano, mereceria sua versão diária, reduzida obviamente, em função das limitações industriais.
E, finalmente, gostaria muito que estas observações fossem levadas em consideração em sua avaliação. O Imparcial precisa honrar a tradição de seu nome e fazer por merecer a verba publicitária do Governo do Maranhão que, para seu conhecimento, é a segunda maior destinada aos veículos de comunicação de todo estado – embora há quem, no próprio governo, considere ser um recurso investido com pouco retorno.

Atenciosamente,

Flávia Regina.

Governo Jackson: PT já chora pelos cantos

seg, 30/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Bem que eu avisei! Não precisou 24 horas para começar a choradeira de aliados com o governador eleito Jackson Lago (PDT). Membros do PT reclamam que o pedetista não tem valorizado a legenda em suas entrevistas após a vitória.

Reclamam do fato de Jackson não ter se referido ao partido no comício da Praça Maria Aragão, onde estavam vários petistas, e nem na entrevista coletiva de hoje pela manhã. Um dirigente do PT ouvido pelo blogue disse acreditar que “a matriz deste governo será o PSDB”. Ele lembra que os tucanos foram derrotados no Maranhão, já que a votação de Alckmin no estado foi inferior a do primeiro turno.

“Se o PT ficar na rabeira (não integrar a cúpula da administração) nós não vamos aceitar. Nós tivemos um papel importante e não estamos sendo valorizados. Se ele quiser governar só para um lado, o futuro é nós não participarmos do governo”, avisa.

Os primeiros problemas de Jackson Lago

seg, 30/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Depois de ganhar a eleição por conta do uso da máquina pública, o que está demonstrado na diferença de apenas 97.874 sufrágios em seu favor e as várias denúncias de compra de votos, o governador eleito Jackson Lago (PDT) vai ter muitas dificuldades para administrar o estado nos dois primeiros anos.

O primeiro desafio vai ser saciar a sede dos integrantes da “Frente de Libertação do Maranhão” com cargos e benesses no governo. A briga está feia. É todo mundo atrás de uma boquinha.

Edson Vidigal, Aderson Lago, Roberto Rocha, Domingos Dutra, Jomar/Teresinha Fernandes, Tadeu Palácio, João Castelo, os históricos do PDT, o grupo de Sebastião Madeira em Imperatriz, João Evangelista, João Castelo, prefeitos, parentes e aderentes, entre outros, já articulam nos bastidores o seu quinhão.

Além disso, Jackson terá de criar algum canal com o grupo do senador José Sarney, que tem nada menos que dez senadores e duas dezenas de deputados no Congresso, além é claro, da amizade e gratidão do presidente Lula.

Só se Jackson for um suicida para não procurar esse canal. Aliás, na sua primeira entrevista agora a pouco, ele sinalizou nesse sentido dizendo que aceitará o apoio dos Sarney. “Vou ser o governador de todos. (Quero) Não só apoio da senadora Roseana, mas dos outros senadores do Maranhão”, justificou.

Terminada essa etapa, vem a mais complicada. Administrar o caos, a terra arrasada que José Reinaldo deixou o Maranhão. O rombo é grande. O próprio governador deve ter uma secretaria para manter o foro privilegiado. Se ele sair do cargo sem essa proteção estará correndo sério risco.

O governador eleito vai ter de fazer cortes. Com 52 secretarias (maior número que as de São Paulo) é que ele não pode continuar. Para o futuro bem próximo, em 2008, terá de administrar os interesses em torno da disputa pela Prefeitura de São Luís, que começam agora.

Situação delicada viverá o prefeito Tadeu Palácio (PDT). Depois de humilhar os históricos em toda sua gestão, ele dificilmente conseguirá indicar seu sucessor se continuar no partido. Tadeu quer Castelo, mas os históricos estão com sangue na boca e não irão aceitar. A confusão vai ser grande e um rompimento é inevitável.

Dos históricos, o nome mais forte para disputar a prefeitura é Aziz Santos, que une a maioria da legenda. Julião Amim também sonhava com o cargo, mas a denúncia de compra de votos do ex-prefeito Mimi Cutrim pode evoluir para a cassação de seu mandato.

Jackson ainda vai ter de administrar os interesses de Roberto Rocha, que pode trocar o PSDB pelo PDT; de Bira do Pindaré (PT), a quem teria prometido ajuda para a campanha de 2008 em troca do apoio recebido agora; de Domingos Dutra, que vai atazanar a vida de Bira dentro do PT e ainda cobra a fatura de 1996 quando foi humilhado como vice; é até Flávio Dino, que também sonha com o cargo.

Isso em contar nas disputas municipais onde, por exemplo, Edson Vidigal (PSB) vem com tudo para cima do prefeito de Caxias, Humberto Coutinho. Como se vê, não será nada fácil os primeiros anos de administração Jackson Lago.

Nota: Matéria alterada às 19h20 para acréscimo de informações.

Jackson venceu; vou me mudar do MA

dom, 29/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Ibope: boca-de-urna aponta vitória de Jackson

dom, 29/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

A Rede Globo acaba de divulgar sua pesquisa boca-de-urna apontando a vitória do ex-prefeito Jackson Lago (PDT) sobre Roseana Sarney (PFL): 53% a 47%. A pesquisa foi feita em apenas nove municípios.

Sarney: análise esclarecedora das eleições

dom, 29/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

O senador José Sarney publica na edição deste domingo de O Estado do Maranhão sua análise sobre o processo eleitoral no estado. No artigo, ele critica o governador José Reinaldo, a quem chama de “traidor”, e o candidato Jackson Lago. Sarney diz não ter dúvidas da vitória de Roseana.

A hora da decisão

Com milhões desviados dos cofres do Estado, um bando de sanguessugas marqueteiros criou o tal atraso do Maranhão, que seria fruto de minha presença na vida pública maranhense.

Na realidade, meu ingresso na política do Maranhão representou a modernização do Estado. O Maranhão de 40 anos atrás, dos tempos do vitorinismo a que Jackson e sua família pertenciam, era o tempo da chibata, das surras e prisões de jornalistas, da falta de liberdade, dos bandos de Papai Noel a espancar todos os que se opunham àquele mandonismo.

Primeiro criaram o Maranhão da pobreza. Mentira. O Maranhão não é o estado mais pobre do Brasil. Era, sim, o 17º mais rico, que Zé Reinaldo rebaixou para o 19º lugar. Falaram dos índices de pobreza e sumiram com eles do debate, porque, no governo Zé Reinaldo, esses índices pioraram e o IDH baixou. Inventaram agora que 900 mil maranhenses foram embora (se foram mesmo, a causa é o Zé Reinaldo). Outra mentira. De onde partiram esses dados, essas estatísticas? Tudo produto de marqueteiros, que criaram também o tal empréstimo do Bird e deram depois o assunto por encerrado.

Todas essas técnicas de manipulação se encontram no livro do marqueteiro de Nixon, inclusive a técnica de satanizar as pessoas para levá-las à radicalização. É o caso de acusar Roseana de práticas do vodu. Está no livro sobre Nixon. Repetiram até mesmo o slogan de Satanás, como o Maranhão testemunhou pela TV.

A mudança que Jackson prega é perseguir as pessoas, demitir em massa, como ocorreu em Caxias, Timon, Viana, São Bento e em quase todos os municípios do estado. A mudança de Jackson é a ameaça a comerciantes de persegui-los com impostos. É dar tapa em professoras, é dilapidar os cofres do Estado, os convênios fantasmas, obras de ficção, dinheiro solto para a compra de votos, como de Julião Amin, que caracteriza crime e dá cassação, até mesmo do registro de Jackson. Isto porque as fitas gravadas revelam todo o esquema de corrupção para o pleito. Esquema que será julgado pela Justiça Eleitoral, não apenas no Maranhão, mas nas instâncias superiores, isentas e soberanas. Causaram estupefação as duas decisões do nosso TRE contra a exibição do último programa de Roseana no horário eleitoral, que foi, afinal, assegurada pelo TSE.

A mentalidade de Jackson é do século XIX. Sua cabeça está impregnada do ódio e da vingança de um tempo que já passou. Roseana é o avanço, é o futuro. A decisão é se o Maranhão vai caminhar para frente ou andar para trás. Como diz o próprio Zé Reinaldo (está documentado, em gravação), Jackson não tem condições de governar. “Ele (Jackson) vai ficar nas nossas mãos. Eu aqui, e Vidigal, no plano federal”. Que desgraça seria isso para o Maranhão.

Mas o povo é sábio. Roseana e Lula representam um novo tempo. Uma nova parceria para construir o Maranhão produtivo, moderno, empreendedor. Nesse sentido, o próprio Lula pediu: “Por favor, vote em Roseana”.

A vitória de Roseana está assegurada. O Ibope, diante dos ataques e pressões da dobradinha Zé Reinaldo-Jackson, resolveu lavar as mãos, e deu empate. Pelo que acontecer, esse instituto não quer ter responsabilidade. Já a Brasmarket, sem medo e sem comprometimentos, comprova uma vantagem de 5% para Roseana.

Vamos libertar o Maranhão dos Melos marqueteiros pagos a peso de ouro e das Melas que estão sugando as tetas do Maranhão. Vamos nos libertar de Zé Reinaldo, o traidor que perdeu o caráter e todos os valores. Vamos nos libertar desse Judas andrajoso e repugnante, que vai arder na fogueira de sua própria consciência.

José Sarney

Zé Reinaldo e aliados de Jackson tentam criar “factóide” no TRE

sáb, 28/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

O governador José Reinaldo (PSB), os deputados Julião Amim e Mauro Bezerra (PDT) e o procurador-geral do Estado, Ulisses Martins, estiveram há pouco no TRE tentando criar mais um factóide eleitoral.

Eles foram acompanhar uma auditoria nas urnas eletrônicas pedida pelo PDT. Na ocasião, tentaram questionar a lisura do pleito, mas o presidente da corte, Jorge Rachid, explicou que as urnas são invioláveis.

O candidato derrotado Edson Vidigal (PSB) teria denunciado hoje aos jornais controlados pelo Palácio dos Leões uma suposta tentativa de fraude na eleição. Na verdade, José Reinaldo e os aliados de Jackson Lago foram ao tribunal tentar criar mais um factóide para justificar uma possível derrota nas urnas.

Nas eleições de 2002, logo após a apreensão de um avião com R$ 370 mil em dinheiro vivo, o governador também esteve no TRE para reclamar que Jackson estava tentando ganhar eleição no tapetão.

Após a anulação dos votos do candidato Ricardo Murad (na época no PSB) e a declaração da vitória de José Reinaldo no primeiro turno, o ex-prefeito de São Luís e seus partidários passaram a insultar a corte eleitoral.

Várias passeatas foram feitas na cidade. Semanas depois, o TSE confirmou por unanimidade a decisão do TRE do Maranhão, derrubando o factóide do ex-prefeito e sua turma.

Nota: Matéria alterada para correção de informações

“Tenho certeza da vitória”, diz Roseana

sáb, 28/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

A candidata Roseana Sarney (PFL) afirmou agora há pouco, em entrevista em sua residência, no Calhau, ter certeza da vitória contra o ex-prefeito Jackson Lago (PDT). Ela convocou sua militância para ir às ruas e ficar vigilante contra a “campanha de perseguição” que tem sido vítima.

“Pela minha percepção tenho certeza que vou à vitória com 52% ou 53% dos votos. Estou convocando os militantes, os prefeitos e lideranças para ir às ruas. Não podemos baixar a guarda. Existe uma campanha de perseguição conta mim, mas o que quero é que a paz e o amor reinem na disputa”, disse.

A candidata afirmou aos jornalistas ter analisado a pesquisa Ibope feita em 57 municípios onde aparece empata em 50% com seu adversário. Roseana explicou que na média dessas cidades teve 43% dos votos, o que indica seu crescimento em 7 pontos percentuais.

Para a senadora, devido ao fato de o Maranhão ser um estado essencialmente rural e de uma grande extensão territorial, a pesquisa Ibope não conseguiu captar 100% do sentimento da população maranhense.

Ele creditou ao uso da máquina o fato de não ter vencido no primeiro turno. A senadora se mostrou indignada com o clima de violência e as baixarias da campanha que vem sendo vítima.

“Fiquei espantada quando, logo após o primeiro turno, minha casa foi apedrejada e vários carros tiveram seus vidros quebrados. Criaram um clima desfavorável, de agressividade que nunca tinha visto no Maranhão. São xingamentos, demissões, professores espancados e uma pressão violenta contra nossos aliados”, assegurou.

Roseana lembrou da parceria que pretende fazer com o presidente Lula em benefício do estado. “Como o apoio do presidente vamos transformar o Maranhão.”

Desespero: aliados de Jackson mentem e compram votos interior do Maranhão

sáb, 28/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Muitos motivos fazem com que eu não acredite nas pesquisas onde o ex-prefeito Jackson Lago (PDT) aparece léguas de distância da senadora Roseana Sarney (PFL). Aliás, qualquer pessoa de bom senso não dá crédito para tais levantamentos.

Alguns fatos me levam a esse entendimento. Por exemplo: agora há pouco o deputado Joaquim Haickel (PMDB) denunciou que partidários do ex-prefeito estão ligando para rádios do interior se fazendo passar por repórteres da Mirante.

Apresentando um suposto boletim extra da rádio, os falsários começam a divulgar informações favoráveis a Jackson. Em Capinzal do Norte, foram presos Emanoel Rodrigues e Fabiano Aparecido Ferreira por determinação da juíza Josane a pedido do promotor Prazeres.

Pegos com R$ 49 mil, eles estavam “pagando” bolsa-família a eleitores da cidade e condicionavam a liberação do dinheiro ao voto no pedetista.

Indefinição: Ibope 50% a 50%; Brasmarket 52% a 47%

sáb, 28/10/06
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Um rigoroso empate entre os candidatos Roseana Sarney (PFL) e Jackson Lago (PDT) indica que a eleição deste domingo será decidida voto a voto. É o que prevê a última pesquisa do Ibope, divulgada ontem, segundo a qual cada um dos candidatos tem 50% das intenções de voto, se levados em conta somente os válidos.

Mas o empate apontado pelo Ibope é contradito pela pesquisa Brasmarket, na qual Roseana Sarney tem 52,8% das intenções de voto – só os válidos –, contra 47,2% de Jackson Lago.

Na sua pesquisa estimulada – aquela que inclui indecisos, brancos e nulos –, o Ibope aponta Roseana Sarney com 47% das intenções de voto e Jackson Lago com o mesmo percentual.

Os indecisos, brancos e nulos são apenas 6%. Transformados em votos válidos, os dois candidatos têm, cada um, exatamente a metade das intenções de voto. Na última pesquisa do Ibope, publicada semana passada, Roseana tinha 53% dos votos válidos contra 47% de
Jackson Lago. A variação está dentro da margem de erro dos dois levantamentos.

A pesquisa Ibope foi contratada pela TV Mirante, realizada entre os dias 25 e 27 deste mês, e ouviu 1.008 eleitores em 57 municípios. A margem de erro é de 3%, para mais ou para menos, e a pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo nº 20.318/2006.

Brasmarket

A pesquisa Brasmarket não disponibilizou os resultados da aferição estimulada, por considerar que agora só serão levados em conta os votos válidos. De acordo com o relatório, a candidata Roseana Sarney lidera a reta final da corrida eleitoral com 52,8% dos votos válidos, contra 47,2% de Jackson Lago.

Levando-se em conta a margem de erro, que é de 4%, esse resultado praticamente confirma os números da última pesquisa Brasmarket, publicada domingo por O Estado e na qual Roseana Sarney apareceu liderando com 54,8% dos votos válidos, contra 45,2% de Jackson Lago.

A pesquisa Brasmarket foi realizada nos dias 24 e 25 deste mês, ouviu 628 eleitores, tem margem de erro de 4% para mais ou para menos e está registrada no TRE sob o protocolo nº 20.366/2006. (Matéria transcrita de O Estado do Maranhão).



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade