Formulário de Busca

Edinho Lobão sofre acidente de helicóptero

sáb, 31/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

O empresário Edson Lobão Filho, o Edinho Lobão, sofreu uma acidente de helicóptero no início da noite deste sábado na pista do Aeroclube São Luís, no Araçaji.

Edinho estava acompanhado do empresário Marcos Regadas e do piloto identificado apenas como Sérgio. O helicóptero perdeu a rota depois de ser atingido por uma forte rajada de vento e bateu num poste da pista do Aeroclube.

Todas as vítimas passam bem. Não deu ainda para saber se o acidente aconteceu no pouso ou decolagem da aeronave.

Paulo Neto será ouvido pela polícia no caso Bertin

sáb, 31/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

O delegado-geral da Polícia Civil, Jeferson Portela, afirmou agora a pouco no programa “Rádio Patrulha”, da rádio Mirante AM, que o deputado Paulo Neto (PSB) vai ser ouvido nos próximos dias no inquérito que apura a morte do prefeito Bertin, de Presidente Vargas. Como ele tem foro privilegiado pode escolher local e hora para ser inquirido.

O delegado disse que a convocação do parlamentar deve-se ao “clamor público” e a citação constante de seu nome “pela imprensa”. A coisa não é bem assim. Segundo eu mesmo revelei em reportagem publicada segunda-feira em “O Estado do Maranhão”, Paulo Neto recebeu uma ligação de Bertin três horas antes de morrer.

Segundo consta na relação das últimas chamadas feitas e recebidas pelo prefeito no dia crime que se encontra em poder da polícia, às 19h45 Bertin recebeu a ligação de uma parente do parlamentar. Três minutos depois ligou para Paulo Neto.

Às 19h49 Bertin voltou a retornar a ligação para a parente do deputado. Teria sido a partir dessas ligações que a vítima, que se encontrava em São Luís, resolveu voltar para Presidente Vargas sendo assassinado na estrada por volta das 23h.

Todas essas ligações aconteceram no dia do crime, na terça-feira, dia 6. Nesse mesmo dia, às 19h08, o prefeito executado ligou para Josa, depois de receber a ligação de um telefone que até o início da semana a polícia não tinha identificado.

O próprio deputado, em entrevista na Assembléia, confirmou as ligações para Bertin com quem falava diariamente. Ressalte-se que até agora seu nome não foi citado por nenhum dos envolvidos como mandante do crime. Essa ligação, diga-se de passagem, não prova nada.

Mas só o fato dele ter sido uma das últimas pessoas a ter falado com Bertin já deveria ter motivado a polícia desde o começo a ouvi-lo até para isentá-lo de vez dessa confusão toda. Em vez disso, esperou-se o “clamor público” e a citação do deputado “pela imprensa”.

Seria interessante que no dia dessa oitiva os delegados estivessem com o conteúdo da ligação que Bertin fez a Paulo Neto, oriunda da quebra do sigilo telefônico da vítima. O deputado afirma que conversou com o prefeito sobre os vereadores que queriam criar uma CPI para investigá-lo. Mas não custa nada checar até para, como já disse, livrar o parlamentar dessa história toda.

Aliados de deputado divulgam o aparecimento de dois novos “envolvidos” em morte de Bertin

sáb, 31/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Aliados do deputado Paulo Neto (PSB) espalham em Mata Roma, sua cidade natal, que na segunda-feira mais dois envolvidos no caso da execução do prefeito Bertin serão apresentados pela policia.

Esses acusados, inclusive, revelariam os verdadeiros mandantes da morte do prefeito livrando o parlamentar totalmente de qualquer suspeita de envolvimento no caso.

De acordo com o que circula em Mata Roma, o motorista do carro dos assassinos e outro acusado, que não se sabe se seria mais um policial, serão as pessoas apresentadas pela polícia esclarecendo de vez o caso.

É bom que se deixe claro, que eu nunca afirmei que Paulo Neto foi o mandante da morte do prefeito, mas sim que a roubalheira no município foi fator fundamental para que Bertin fosse morto. Nessa questão, tanto o deputado quanto seu irmão Josa, têm muitas explicações a dar.

Boaventura abre o verbo

sex, 30/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

O ex-vereador de Presidente Vargas Boaventura Mendes deu uma longa entrevista hoje à tarde (quarta-feira, 30) ao programa “Abrindo o Verbo”, apresentado por Geraldo Castro, na Mirante AM. O que ele disse em resumo.

Cheques para compra do terreno

Confirmou ter participado da negociação para a compra de um terreno avaliado em R$ 280 mil como representante do proprietário, o empresário Francisco de Assis Teixeira Lopes.

Segundo ele, o deputado Soliney Silva (PSDB) comprou o terreno usando seis cheques de R$ 30 mil da Prefeitura de Presidente Vargas que ele recebeu como pagamento de uma dívida do colega Paulo Neto (PSB) a quem emprestava dinheiro “a juros de 10%”.

O restante do pagamento foi feito com uma caminhonete avaliada em R$ 50 mil e outros cheques totalizando mais R$ 50 mil. Quatro cheques foram descontados porque dois deles foram resgatados pelo prefeito assassinato Bertin.

Um dos cheques teria sido trocado pelo empresário com um agiota de Tianguá (CE). A venda do terreno foi feita em 2005 e o documento foi lavrado Cartório de Tito Soares.

Caminhonete foi “outro negócio”

Boaventura explicou que a história contada por Soliney na Assembléia dando conta que usou os cheques na compra do terreno depois de vender uma caminhonete para Bertin não é verdadeira.

Segundo ele, esse “foi outro negócio” envolvendo os dois parlamentares com cheques da prefeitura. Na verdade, Paulo Neto comprou o veículo de Soliney com cheques do município de Presidente Vargas e alugava essa mesma caminhonete para o próprio Bertin por R$ 3,5 mil por mês.

O ex-vereador afirmou estar disposto inclusive a fazer uma acareação com Soliney para provar o que está dizendo.

Assembléia garantia negócio

Temendo ver os cheques voltarem sem fundos, Boaventura disse a Soliney que não queria fechar o negócio com os cheques assinados por Bertin.

“Aí ele (Soliney) disse não! Os cheques sou eu quem estou dando. Troco para o Paulo Neto a juros de 10% porque quem vai cobrir é o prefeito. Se o prefeito não pagar eles vão ser descontados na tesouraria da Assembléia, porque ele é meu colega de trabalho.”

Corrupção na prefeitura

O ex-vereador confirmou que toda a corrupção na prefeitura era comanda pelo esquema do deputado Paulo Neto e seu irmão Josa. Eles teriam desviado 2,5 km de asfalto de um convênio de 3km recebido do Governo do Estado para Mata Roma.

O material foi utilizado para asfaltar a rua do pai do deputado, o ex-prefeito João Bernardo Neto. Noutro episódio, ele presenciou Josa comprando uma pá-carregadeira com cheques de Presidente Vargas.

Morte do prefeito

Boaventura fez questão de ressaltar não saber da participação de Paulo Neto como mandante da morte de Bertin. No entanto, declarou não ter dúvidas que a roubalheira no município foi o principal motivo do assassinado do prefeito.

Ameaças de morte

Ele garantiu estar fazendo essas denúncias de forma espontânea. Também relatou ter recebido ameaças de morte. Mas deixou claro que se alguma coisa vier lhe acontecer “tem dois deputados” interessados em silenciá-lo.

Sargento é reconhecido como terceiro PM envolvido na execução do prefeito Bertin

sex, 30/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

A polícia começou a ouvir no final da tarde de hoje o irmão do deputado Paulo Neto, Josivan Garreto Silva, o Josa, a respeito da morte do prefeito Bertin, de Presidente Vargas. Ele chegou acompanhado de dois advogados para prestar seu depoimento.

Já o secretário Pedro Pote, que sobreviveu milagrosamente ao ataque, reconheceu o Sargento Serrão, do Destacamento da PM de Presidente Vargas, como um dos homens que participou do assassinato do prefeito.

Devido ao longo depoimento do sargento, a oitiva do irmão do deputado acabou sendo adiada. Ele esteve pela manhã e à tarde na Secretaria de Segurança.

Nota: Matéria alterada às 22h30 para acréscimo de informações.

Ricardo Murad acusa Tadeu Palácio de destruir memória do governo Cafeteira

sex, 30/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

O líder do Bloco Parlamentar de Oposição (BPO), deputado Ricardo Murad (PMDB), acusou, na manhã de ontem (quinta-feira, 29), o prefeito de São Luís, Tadeu Palácio (PDT), de tentar destruir a memória física do governo Epitácio Cafeteira (1987-1990).

Segundo ele, obras municipais estão demolindo os corações-símbolo da gestão do ex-governador, inscritos em placas e monumentos daquele período. “Colocam a máquina da perseguição para funcionar contra aqueles que não se alinham [politicamente] a eles”.

Ricardo Murad citou como exemplo a reforma da rotatória da Avenida dos Holandeses, no Olho D’Água (foto), que teria suprimido a placa com os dois corações do governo Cafeteira. “É a segunda ou terceira obra de Cafeteira [reformada na atual administração municipal] que, por coincidência, é atingida no símbolo da gestão do ex-governador”.

Segundo Murad, a ação da prefeitura tem a aparência de uma campanha orquestrada para destruir a memória do governo Cafeteira. “Todos os monumentos de concreto e placas do governador estão sendo atingidos”.

O líder do BPO disse que nos últimos 20 anos os governos do PDT, em São Luís, não fizeram nenhum melhoramento na avenida dos Holandeses, o que, na sua visão, reforça a tese de perseguição política, já que o ex-governador Cafeteira foi aliado de Jackson e Tadeu durante muito tempo e a partir da campanha eleitoral do ano passado, decidiu aliar-se ao grupo Sarney.

Murad leu trechos de um desabafo do senador Epitácio Cafeteira, em que ele declara que “querem matar o amor do povo por mim e por São Luís”, numa alusão à demolição das placas e monumentos do seu governo. “Os dois corações são o símbolo do amor de Cafeteira por São Luís”, destacou o peemedebista.

Num tom menos áspero, Ricardo Murad fez um apelo ao prefeito Tadeu Palácio para que, na reforma da rotatória do Olho D’Água, preserve o marco de quem contribuiu para a história da cidade. “Que ele ligue para o Cafeteira e diga que [em vez de demolir] vai deixar. (Da Assessoria de Comunicação da Assembléia).

Novo corregedor doou R$ 8 mil à campanha do marido da secretária de Segurança

qui, 29/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Novo corregedor doou R$ 8 mil à campanha do marido da secretária de Segurança

Está explicado por que a secretária Eurídice Vidigal (Segurança Cidadã) resolveu assumir todo o desgaste em nomear o policial federal, importado do Rio Grande do Sul, Alferes Vidal de Brito para a Corregedoria da Polícia comanda por ela.

Acusado de matar pelas costas um suposto traficante, ele foi um dos doadores da campanha do ministro aposentado Edson Vidigal (PSB), marido de Eurídice, segundo consta na prestação de contas que o neossocialista entregou à Justiça Eleitoral (http://www.tse.gov.br)

Alferes Brito aparece doando R$ 8 mil à campanha do ministro aposentado – R$ 4 mil no dia 29 de agosto e outros R$ 4 mil no dia 20 de setembro (veja reprodução acima). A própria secretária doou R$ 13 mil à campanha do marido, apesar de algumas continhas até hoje estarem penduradas. O ministro aposentado arrecadou R$ 625 mil e gastou o mesmo valor.

Segundo este blogue já informou, Vidigal (ele alega que a dívida é do PSB) estaria devendo ainda cerca de R$ 800 mil da campanha de governador – R$ 300 mil só com uma gráfica e o restante com fornecedores diversos.

O caso envolvendo o novo corregedor vem sendo divulgado desde a semana passada. Alferes Brito e o colega Raimundo Lopes Barbosa foram denunciados pelo Ministério Público Federal por homicídio qualificado por motivo torpe.

Durante uma missão policial em Santa Catarina, eles teriam atirado nas costas do suposto traficante José Carlos Vieira, o Cacau. Consta no processo que os policiais teriam atirado primeiro no irmão de Cacau, identificado como Paulo César Vieira, e depois mandaram que o suposto traficante corresse.

Naquele momento ele estaria cercado no quintal da casa de uma testemunha-chave do processo. Quatro tiros foram disparados na direção das costas da vítima e um deles atingiu o pulmão esquerdo e o coração de Cacau.

Boatos sobre Comunicação de Jackson

Correram hoje soltos pela Assembléia rumores dando conta da possível saída do secretário Zeca Pinheiro da Secretaria de Comunicação do Governo Jackson. Tudo mentira. Segundo apurei junto a amigos do secretário, o rumor não tem fundamento algum.

Uma nova novela a caminho

Parece que está vindo aí uma nova novela “casa-separa-casa-separa” no governo Jackson. E desta vez não tem nada a ver com a secretária Alexandra Tavares. Um deputado federal governista estaria se separando da mulher para juntar as meias com uma figura de proa do governo. Será mais uma novela da série “O Amor é Lindo”.

“Sósia” de Eurídice Vidigal faz mais sucesso que secretária de Segurança Cidadã

qui, 29/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Uma “sósia” da secretária Eurídice Vidigal (Segurança Cidadã) fez mais sucesso que a “original” terça-feira na Câmara de Vereadores quando foi realizada sessão solene pela passagem do 5º ano do Movimento Política e Unidade, ligado à Igreja Católica.

O vereador José Joaquim (PSDB) fazia na Tribuna um discurso em homenagem ao ex-prefeito de Itu (SP) Sérgio Prévidi, integrante do movimento, quando o presidente da Casa, Isaías Pereirinha (PSL), foi avisado por um assessor que na platéia se encontrava a secretária de Segurança.

Rapidamente o cerimonial da Câmara arrumou uma cadeira para que “Eurídice” fizesse parte da mesa. José Joaquim interrompeu o discurso para elogiar “a primeira secretária de Segurança mulher do Brasil”, enquanto o público aplaudia a convidada inesperada efusivamente.

Foi quando a senhora, muito parecida com a verdadeira Eurídice (na foto de Paulo Soares), informava que não era a secretária. Foi um misto de constrangimento e risada geral entre os presentes.

Enquanto isso, a verdadeira Eurídice era recebida friamente no Tribunal de Justiça durante a posse do desembargador Lourival Serejo. Quase não foi aplaudida.

Por falar na nossa secretária de Segurança, ela foi vista por volta das 10h30 de hoje no salão de beleza Unique, no Calhau, também freqüentado pelo prefeito-marajá Tadeu Palácio (PDT).

Com se vê, essa história da execução de Bertin e de Gerô pela polícia está cansando a beleza de nossa “Kate Marrone”.

Edivaldo Holanda perde as “estribeiras” na AL

qua, 28/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Depois de bandear-se para o governo, após apoiar a senadora Roseana Sarney (PFL), o ex-chefe da Casa Civil do governo Luiz Rocha e líder do governo Jackson, Edivaldo Holanda (PTC), anda totalmente perdido na Assembléia.

Sem argumentos para defender as graves denúncias que a oposição faz ao seu chefe, ele vem partindo para ataques pessoais contra os colegas. Dizem que anda até dossiês de oposicionistas.

Hoje ele voltou suas baterias contra Ricardo Murad (PMDB), com velhas denúncias da Metropolitana. O oposicionista rebateu dizendo que “eu não vim aqui para questionar qual o negócio, quais as benesses que o senhor teve para mudar de lado e virar líder do governo”.

Edvaldo rebateu dizendo que “não é homem de negociatas”. De negociata (no sentido pejorativo da palavra) eu não sei. Mas que ele conseguiu criar uma secretaria-adjunta na Casa Civil para Assuntos Religiosos e emplacou lá um pastor Batista aliado seu, isso é a mais pura verdade.

Paulo Neto é recebido na Articulação Política

Depois de perambular semana passada em busca de uma audiência com o chefe da Casa Civil, Aderson Lago, seu adversário político em Mata Roma, o deputado Paulo Neto (PSB) esteve no início da tarde de hoje esfriando a cabeça com o ex-colega de Assembléia e secretário Wilson Carvalho (Articulação Política).

Aparentando tensão e nervosismo, ele estava acompanhado do colega Marcos Caldas (PT do B) e na ante-sala do secretário ainda encontrou outra peça boa, o ex-prefeito Touro Weba (Santa Helena).

A foto do dia

Com faixas e cartazes de protesto contra o assassinato de Edimundo Carvalho, vítima de latrocínio há 15 dias, moradores da Cidade Operária, entre eles muitas crianças, participaram ontem à tarde do “Grito de Paz”. Eles cobram do Governo Jackson Lago mais segurança e respeito com a população.

Valdinar Barros: como é bom ser deputado!

qua, 28/03/07
por Décio Sá |
categoria Sem Categoria

Depois de alugar uma mansão no Caolho, roubada uma semana depois, e degustar os melhores vinhos nos restaurantes da cidade, o ex-sem terra Valdinar Barros (PT) continua maravilhado com a vida de deputado e da capital.

Cliente da agência do Banco do Brasil da Praça Pedro II, em frente ao Palácio dos Leões, o ex-pobretão agora só quer ser atendido no “Espaço Premier”. Esse local é para onde o banco desloca os endinheirados que não querem se juntar com a pobreza para enfrentar as intermináveis fila do banco.

Esses clientes especiais têm direito a cafezinho ou suco e atendimento exclusivo. Com um vidão desse na capital ainda dizem que o homem que criar o Maranhão do Sul. Eu, sinceramente, não acredito.

Dutra e ACM Neto: tudo a ver

Alguns profissionais de comunicação ligados ao PT andam tiririca com o deputado Domingos Dutra. Tudo porque o “companheiro” em vez de combater o desemprego no Maranhão resolveu diminuir o índice de desempregados na Bahia.

Explica-se: é que o Dutra contratou uma jornalista baiana para lhe prestar assessoria de imprensa em Brasília. E pior, segundo a piada que corre no PT, é que ele ainda seria eleitora de ACM Neto. Pode, Freud?

Alexandra Tavares no La Rocque?

Depois de afirmar ao jornal “O Globo” (veja nos arquivos ao lado post do dia 12 deste mês) que preferiu ficar em Brasília para baratear a ponte-aérea Curitiba (PR)/São Paulo(SP), a secretária Alexandra Tavares (Articulação com Órgãos Nacionais e Internacionais), aparece no site do governo (www.ma.gov.br) com o órgão que dirige com sede em São Luís no Palácio Henrique de La Rocque.

Será que depois da bombástica entrevista, o governador Jackson Lago resolveu dar um puxão de orelha na ex-primeira-dama e a lotou na capital? E como vão ficar suas viagens no eixo Sul/Sudeste e exterior?

Quem avisa amigo é: vai acabar saindo mais caro para o governo.



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade