Formulário de Busca

Notas rápidas

dom, 31/08/08
por Décio Sá |

E agora Fernando Segóvia?

Nem bem assumiu o comando da Polícia Federal no Maranhão o delegado Fernando Segóvia já vai passar pelo primeiro teste de fogo. Durante sua posse, realizada sexta-feira na sede da OAB, o diretor da PF Luiz Fernando Correa, seu chefe e quem o indicou ao cargo, chamou a secretária Eurídice Vidigal (Segurança) de “minha amiga”.

Pois bem, há um mês o ex delegado-geral Jefferson Portela enviou à superintendência do órgão no Maranhão vários documentos que comprovariam irregulariades na pasta. Questionado durante a posse, Segóvia disse que ainda estava “analisando” os papéis para decidir se abria ou não inquérito contra Eurídice Vidigal.

Diante desse fato é preciso saber se a PF do Maranhão só serve para prender prefeito do interior, contador, vendedor de nota fria e traficante de ponta de rua, ou se também investiga peixes graúdos como os “amigos” dos diretores do órgão.

Castelo e Aziz: tudo a ver I

O tucano João Castelo esteve sábado na festa de Aziz Júnior realizada no sítio do mesmo no Araçagi. O ex-governador circulou tranquilamente entre os presentes e garantiu que terá sua candidatura deferida tanto pelo TRE do Maranhão quanto pelo TSE em Brasília. Para quem não sabe, Aziz Júnior é filho do secretário e governador de fato Aziz Santos (Planejamento).

Castelo e Aziz: tudo a ver II

Parece mentira, mas não é. O carro do presidente do PDT, Julião Amim, circula pela cidade com adesivos do candidato João Castelo. O mesmo acontece com vários pedetistas próximos a Aziz Santos. A novidade é que muito deles, com a iminente da cassação do tucano pelo TRE, começaram a tirar a propaganda de seus veículos.

Triste fim

Ex-candidato a prefeito Moacir Feitosa virou coordenador de campanha do ex-peemedebista, ex-petista, ex-socialista e agora pedetista Haroldo Sabóia. Feitosa também já teria a garantia de João Castelo de voltar para a Secretaria de Educação caso ele vença a disputa pela prefeitura.

Desse jeito não dá

Candidatos reclamam da fiscalização da Justiça Eleitoral que impõe apenas 55 decibéis aos carros de som. Dizem que apenas o ronco do motor de um mini-trio supera o limite estipulado, que se tornou impraticável na campanha deste ano.

Constrangimento comunista

Candidato derrotado ao Senado, Bira do Pindaré tem dito aos “companheiros” que muitas vezes se sente constrangido ao participar das caminhadas do camarada Flávio Dino. Tudo porque o povão o procura para abraçá-lo e deixa o candidato do PCdoB falando sozinho no meio da rua.

Notificação, sempre ela

João Castelo justificou sua ausência do debate entre candidatos realizado na Federação do Comércio (Fecomércio) na sexta-feira alegando não ter sido convidado oficialmente (notificado). A organização do debate exibiu documento comprovando o convite. É por essas e por outras que o tucano anda enrolado com a Justiça Eleitoral.

Desconfiômetro

Para o candidato do PRB, Cléber Verde, a pesquisa Ibope onde aparece com queda de 3 pontos percentuais não passa de tentativa dos adversários de desestimulá-lo da corrida pela Prefeitura de São Luís. “Não acredito que tenho menos votos que o Flávio Dino”, diz.

Cassação em Pinheiro

Assessor do vice-governador Luiz Carlos Porto, Jovane Melo (PPS) teve a candidatura cassada pelo TRE por não ter votado no plebiscito do desarmamento em 2005. Jovane era o candidato a vice do médico Leonaldson Castro, o Dr. Léo (PDT), em Pinheiro. O substituto ainda não foi escolhido.

Gerente da Mafra nega favorecimento na Sesec

dom, 31/08/08
por Décio Sá |

mafra1.jpgO gerente da Manutenção e Serviços e Conservação Ltda. (Mafra), Inácio Pires Júnior, encaminhou esclarecimento a O Estado no qual contesta informações publicadas pelo jornal na edição de domingo (24), com base em relatório da comissão de delegados que apura supostas irregularidades na Secretaria de Segurança Cidadã (Sesec) enviado à Justiça.

Na reportagem, é informado que a empresa foi constituída em nome de “laranjas”, com o objetivo de prestar serviços para a pasta. Em apenas um ano, segundo o relatório dos delegados, a Mafra celebrou contratos de R$ 1,335 milhão com a secretaria (reveja aqui).

Nos esclarecimentos prestados ao jornal, Inácio Pires Júnior nega que a firma tenha sido criada por “laranjas”. Diz que as primeiras sócias da empresa, Sônia Baptista Macedo Reis e Fernanda Brito Silva, são pessoas conhecidas e que efetivamente constituíram a empresa, tanto que obtiveram empréstimos devidamente declarados à Receita Federal com objetivo de integralizar o capital social da Mafra.

“Além disso, quando essas sócias se retiraram da empresa, receberam cada uma a quantia de R$ 75 mil, que representa três vezes o valor investido individualmente para a constituição da sociedade. Essa situação jamais ocorreria se fosse verdadeira a afirmação de que se tratavam de ‘laranjas’ “, assegura o gerente.

Inácio Pires Júnior diz que a Mafra nunca foi de seu pai, o ex-deputado Inácio Pires, ex-assessor da secretária Eurídice Vidigal. Também nega que ele tenha coordenado a campanha do ministro aposentado Edison Vidigal, marido da secretária, ao Governo do Estado em 2006. Afirma que o pai foi apenas um dos candidatos a deputado da coligação do ex-ministro.

Assessor

Segundo o gerente, o ex-deputado nunca chefiou o gabinete da Sesec, mas foi sim assessor e chefe da Unidade Gestora de Atividades Meio (Ugam). Ele também desmente que o pai tenha, como servidor graduado da secretaria, participado da escolha da Mafra como prestadora de serviços para a pasta.

“Repele a Mafra, veementemente, a insinuação que teria sido feita pela comissão de delegados a respeito, mesmo porque a contratação se fez regularmente, sem qualquer favorecimento, sendo pública e notória a situação emergencial da Sesec à contratação imediata de serviços que compeliu a secretaria à contratação imediata dos serviços, tanto que a empresa que os prestava anteriormente, com inúmeras reclamações dos servidores, já se encontrava sem contrato”, esclarece.

Inácio Pires Júnior informa que a comissão de delegados ouviu apenas a sócia Sônia Baptista, “submetendo-a a um procedimento vexatório e extremamente desgastante, com muitas horas de depoimento (das 9h30 às 16h30) e de pressão psicológica, inclusive ameaças de prisão, mesmo sob protesto do profissional de advogacia que a acompanhava”.

Conta que a sócia Fernanda Silva nunca foi ouvida pela comissão de delegados e que ela e Sônia Baptista não eram desempregadas. Segundo o gerente da Mafra, as duas recebiam da empresa R$ 2,5 mil mensais como pró-labore.

Por fim, diz que a empresa não presta serviços apenas à Sesec, mas também ao município de São Luís e que só mudou de sócios, no caso ele e um irmão, depois que o pai deixou o cargo na Sesec.

(Com informações e foto de O Estado do Maranhão).

Marisa Monte e a Velha Guarda da Portela

dom, 31/08/08
por Décio Sá |
categoria Variedades, Vídeos

Estreou neste final de semana nos cinemas do Rio e São Paulo o documentário “O Mistério do Samba”, de Carolina Jabor, Lula Buarque e Marisa Monte sobre a Velha Guarda da Portela. Muita história e música da melhor qualidade. Abaixo o clipe de Marisa Monte cantando com os veteranos bambas da azul-e-branco de Madureira – a maior campeã do carnaval carioca, nunca será demais lembrar – “Volta”, obra do lendário compositor Manacea descoberta durante as filmagens do documentário.

Numa das cenas, Marisa encontra na casa da D. Neném, viúva do sambista, o que seria “a certidão de nascimento da canção”: a letra da música com a caligrafia de seu autor. Confira:

(Com informações do blog do Ancelmo Gois).

Priorização de vereador gera crise no PT

sáb, 30/08/08
por Décio Sá |

Eleição em São Luís sem confusão no PT não é eleição. Estava achando até estranho porque até agora briga mesmo só tinha ocorrido durante a escolha do candidato a prefeito e a vice. Mas a semana promete muito barulho nas hostes do partido do presidente Lula.

Está marcada para segunda-feira reunião que vai decidir quais os candidatos a vereador serão priorizados nos programas de rádio e televisão. Em princípio sete serão escolhidos, mas há quem defenda apenas cinco. Os outros ficarão de fora.

O primeiro da relação dos privilegiados é o presidente do Diretório Municipal, Fernando Magalhães, que estaria sendo apadrinhado pelo ex-deputado Washington Oliveira. Da relação constam também Fernando Silva, o Xetrepa, afilhado da deputada Helena Heluy; Edmilson Santos apoiado pelo candidato a vice Rodrigo Comerciário; Walter Júnior de Bira do Pindaré; Chocolate de Augusto Lobato; Ed Wilson de Henrique Sousa; e Joan Botelho de Sílvio Bembem.

Subsecretário de Igualdade Racial, o apoio do sem voto Bembem no entanto é uma verdadeira incógnita. Segundo piada que corre no PT ele toma café com Chocolate, lancha com Nelsinho, almoça com Joan, passeia com Carlito Reis e janta com Socorro Guterres.

Faz todo esse jogo duplo para tentar se cacifar junto aos companheiros para 2010 quando pretende ser candidato a deputado estadual. Aprendeu direitinho com o professor Domingos Dutra.

Deu na Veja

sáb, 30/08/08
por Décio Sá |

Da coluna Radar da revista Veja que está nas bancas:

*Petróleo

lobao-radar.jpgSuspense do pré-sal no fim
Desde sexta-feira está no gabinete de Edison Lobão todo o material debatido nas reuniões da comissão interministerial que discutiu como explorar as áreas do pré-sal.

Caberá ao Ministério de Minas e Energia dar a redação final das alternativas, que serão levadas em duas semanas para Lula bater o martelo.

*Leilão

Vende-se um fardão
Serão leiloados nos próximos dias no Rio de Janeiro o fardão e o espadim da Academia Brasileira de Letras usados pelo escritor maranhense Humberto de Campos. O lance mínimo é de 30 000 reais – aliás, o mesmo preço de um fardão novinho em folha. A vestimenta tem quase noventa anos e estava guardada desde 1934, quando Campos morreu.

Quem tiver a intenção de desfilar por aí fantasiado de imortal não deve perder a oportunidade. Não é todo dia que se consegue um fardão original, até porque a maioria dos acadêmicos é enterrada com seus trajes de gala.

Minha opinião: Bem que o governo do Maranhão (alô, tem alguém aí!) poderia comprar esse fardão e trazer para  ficar exposto nos museus do estado ou mesmo na própria Academia Maranhense de Letras.

Só o ditado popular salva João Castelo da cassação

sex, 29/08/08
por Décio Sá |

tre.jpgHá dez anos eu faço a cobertura política no TRE. Nesses anos todos já vi até boi voar naquela Corte Eleitoral. Por conta dessa experiência, posso ariscar a dizer: dificilmente o tribunal defere a candidatura do tucano João Castelo. A questão é simples. Contra o ex-governador pesa uma vasta jurisprudência consolidada tanto do TSE quanto do próprio TRE. O julgamento deve ocorrer segunda-feira ou terça-feira.

O ponto central da questão é que Castelo só pagou uma multa das eleições de 2006 após o registro de sua candidatura. O resto, como já explicou o bem fundamentado e amarrado parecer do procurador regional eleitoral José Leite Filho, é bobagem. Certidão, notificação ou não, culpa do tribunal etc. Podem esquecer. O cerne da questão é que a multa foi paga depois do registro. E ponto final. Argumentos todos têm, até porque o papel aceita tudo.

A isso some-se o fato do TRE estar indeferindo casos parecidos. O relator do processo do tucano, juiz federal Roberto Veloso, julgou casos idênticos e cassou o registro de candidatos a vereador no interior. Não vai abrir uma exceção apenas para o ex-governador. Além do mais, é tradição na Corte o representante da Justiça Federal seguir o parecer do procurador eleitoral.

E aí aparece outra tradição: dos juízes seguirem o voto do relator. Pelo que sinto nos bastidores do tribunal o ex-governador pode conseguir no máximo dois votos, apesar de vir “trabalhando” para empatar o jogo. Se conseguir três, a presidente Cleonice Silva Freire seguirá o relator. Não se trata de adivinhação. A própria presidente me concedeu entrevista colocando praticamente um ponto final na polêmica.

“A questão principal é a seguinte: ele (Castelo) tinha conhecimento da multa? Ele sabia da existência da multa, até porque recorreu ao TSE. Então, ele tinha conhecimento. O TSE julgou e confirmou a decisão do TRE. Todo advogado sabe que a intimação é publicada no Diário da Justiça. Estando no Diário da Justiça (está resolvida a questão). O tribunal não vai mandar intimação pessoal. Ele foi intimado e tinha conhecimento (da dívida). O problema não é do TRE. O advogado dele sabe”, disse ela na ocasião (reveja aqui).

Depois da reportagem publicada, ela me elogiou durante evento do qual participava o presidente do TSE, ministro Carlos Ayres Brito, no Rio Poty Hotel. Disse que eu soube sintetizar muito bem suas declarações e pensamento. E nem podia ser diferente até porque ela estaria colocando sua própria gestão, ataca na defesa do tucano, em xeque.

Se o TRE admitir que Castelo tem razão, está admitindo também sua própria incompetência administrativa. E com certeza os juízes não vão admitir isso. Portanto, só um julgamento político salva Castelo. Mas repita-se: o caso tem conotação extremamente jurídica.

Agora nunca é demais lembrar aquele ditado muito difundido nos meios jurídicos: nunca se sabe o que sairá de cabeça de juiz e bunda de bebê. Mas não parece ser esse o caso.

PF conclui inquérito da Operação Rapina

sex, 29/08/08
por Décio Sá |

pedro-meireles.jpgA Polícia Federal (PF) concluiu o inquérito da primeira fase da Operação Rapina realizada em dezembro do ano passado e que levou para a cadeia 118 pessoas, entre as quais 11 prefeitos.

O anúncio foi feito hoje pelo agora ex-superintendente da PF no Maranhão Gustavo Gominho durante a passagem do cargo ao novo superintende Fernando Segóvia. Segundo Gominho, o inquérito gerou 2,5 toneladas de documentos e provas contra os acusados e somente o relatório final tem duas mil páginas. Todos foram indiciados.

A PF teve de fazer um contrato especial com a companhia aérea TAM para transportar toda a documentação para Brasília. O inquérito corre no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região na Capital Federal.

O delegado Pedro Meirelles (foto), que comandou os trabalhos, não quis aprofundar os detalhes do inquérito, o que só deve ocorrer na próxima semana. A quadrilha, que agia há 26 anos, desviou aproximadamente R$ 1 bilhão dos cofres públicos. Pelo número de pessoas presas, a Operação Rapina é considerada a maior operação da PF contra a corrupção no Brasil.

Nessa primeira etapa foram presos os prefeitos Cleomar Tema (Tuntum); Francimar Marculino da Silva, o Mazim (Governador Newton Belo); José Cardoso do Nascimento, Zé Tude (Araioses); Sônia Campos, Soninha (Axixa); Marinalva Sobrinho (Tufilândia); Iara Quaresma (Nina Rodrigues); Aldenir Neves (Urbano Santos); Luiz Gonzaga Fortes (São Luís Gonzaga); e João Teixeira Noronha (Paulo Ramos).

Em abril deste ano foi realizada a segunda etapa da operação com a prisão de mais 13 pessoas, entre as quais os prefeitos Domício Gonçalves da Silva (Centro Novo do Maranhão) e Perachi Roberto de Farias Morais (Marajá do Sena). Ele foram presos em flagrante acusados de estarem montando documentos falsos para entregar ao TCE em um escritório de contabilidade localizado no centro da cidade. O inquérito dessa segunda etapa ainda não está concluído.

Juíza cassa candidato em Joselândia por compra de votos; caso é o primeiro do país nestas eleições

sex, 29/08/08
por Décio Sá |

A juíza de da 54ª Zona Eleitoral (Presidente Dutra), Andréa Frota Maia, cassou o registro da candidatura dos candidatos a prefeito e vice de Joselândia, Marcelo de Queiróz Abreu e Jacqueline Feitosa (PMDB), por abuso de poder econômico. Esse é o primeiro caso que se tem notícia no país de cassação de candidato às eleições deste ano por esse motivo.

Marcelo Queiroz, que é concunhado do prefeito da cidade Zeca Menezes (PMDB), foi acusado de distribuir material de construção e eletrodomésticos a moradores do povoado Santa Maria. Uma carreta foi flagrada distribuindo telha, tijolo e areia em julho passado à população. O peemedista foi acusado também de oferecer dinheiro e doar até geladeira aos eleitores.

A denúncia foi feita à justiça pela coligação “Muda Joselândia”, que tem como candidato Orleans Carvalho (PRB). A promotora Patrícia Espíndola deu parecer favorável à condenação. Além da cassação, a juíza multou Marcelo Abreu e sua vice em 25 mil Ufirs e os declarou inelegíveis por três anos. 

Pesquisa Ibope registra crescimento de João Castelo e Flávio Dino e queda Cléber Verde e Clodomir Paz

qui, 28/08/08
por Décio Sá |

Ameaçado de ter a candidatura cassada pelo TRE, o tucano João Castelo subiu 4 pontos percentuais na pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira pela TV Mirante. Ele tinha 47% das intenções de voto no levantamento estimulado divulgado no último dia 17 e agora aparece com 51%.

Flávio Dino (PCdoB), que aparecia com 4%, agora registra 7%. O candidato do PDT, Clodomir Paz, que apareceu com 11% na primeira pesquisa agora registra 8%; enquanto Cléber Verde (PRB), que tinha 7% caiu para 4%. Nessa última pesquisa Raimundo Cutrim (DEM) tem 5%, Pedro Fernandes do PTB (2%), Gastão Vieira do PMDB e Paulo Rios do PSOL (1%), enquanto Welbson Madeira (PSTU) e Waldir Maranhão (PP) não pontuaram. Todos candidatos no entanto variaram dentro da margem de erro, que é de 3 pontos para mais ou para menos.

Castelo lidera também a pesquisa espontânea (quando não é mostrado ao entrevistado o nome dos candidatos) com 41%. Flávio Dino vem em seguida com 6%, Clodomir Paz (5%), Raimundo Cutrim e Cléber Verde (3%) e Pedro Fernandes (1%). Os outros concorrentes não pontuaram.

A pesquisa contratada pela TV Mirante foi registrada sob número 8023/2008 na 2ª Zona Eleitoral. O Ibope ouviu 803 pessoas entre os dias 23 e 25.

Em relação aos eleitores indecisos e votos nulos e brancos foram registrados dois números. No levantamento estimulado, 12% dos entrevistados se declararam indecisos e outros 8% afirmaram que irão votar nulo ou em branco. Na pesquisa espontânea, o número de indecisos subiu para 31% e os que vão votar em nulo ou em branco ficou nos mesmos 8%.

Segundo turno

Nesta rodada, o Ibope simulou dois cenários de segundo turno entre Castelo e dois dos seus adversários. Na hipótese de uma disputa contra Clodomir Paz, o candidato tucano registra 65% das intenções de voto, contra 16% de seu adversário.

Da mesma maneira, quando a disputa é entre o tucano e Cléber Verde, ele tem 63% da preferência do eleitorado contra 17% do candidato do PRB. O candidato Flavio Dino não foi testado nas simulações de segundo turno por ter atingido, na primeira rodada, um percentual menor de intenção de voto em relação aos outros nomes testados.

Pesquisa estimulada (ontem e hoje):

Castelo (PSDB) – 47%/51%
Clodomir Paz (PDT) – 11%/8%
Cléber Verde (PRB) – 7%/4%
Flávio Dino (PCdoB) – 4%/7%
Raimundo Cutrim (DEM)- 4%/5%
Gastão Vieira (PMDB) – 1%/1%
Pedro Fernandes (PTB) – 1%/2%
Welbson Madeira (PSTU) – 1%/0%
Paulo Rios (PSOL)- 0%/1%
Waldir Maranhão (PP) – 0%/0%

Pesquisa espontânea

João Castelo – 41%
Flávio Dino – 6%
Clodomir Paz – 5%
Rimundo Cutrim – 3%
Cléber Verde – 3%
Pedro Fernandes – 1%
Gastão Vieira- 0%
Welbson Madeira – 0%
Paulo Rios – 0%
Waldir Maranhão- 0%

Rejeição (Ontem e hoje)

Paulo Rios – 24% /22%
Welbson Madeira -21% /22%
Cléber Verde – 18%/22%
Clodomir Paz – 16%/20%
Raimundo Cutrim – 16%/22%
Gastão Vieira – 16%/19%
Waldir Maranhão – 16%/21%
Flávio Dino – 15%/15%
João Castelo – 14%/14%
Pedro Fernandes- 13%/18%

Quem vai ganhar a eleição

João Castelo – 68%
Clodomir Paz – 8%
Flávio Dino – 4%
Raimundo Cutrim – 2%
Cléber Verde – 2%
Pedro Fernandes – 1%
Gastão Vieira- 0%
Welbson Madeira – 0%
Paulo Rios – 0%
Waldir Maranhão- 0%

Nota: Texto alterado às 22h30 para acréscimo de informações.

Notas rápidas

qui, 28/08/08
por Décio Sá |

Apelação comunista

O candidato Flávio Dino (PCdoB) está apelando no horário eleitoral. Depois de tentar sem sucesso mostrar uma imagem sua mais incisiva junto do presidente Lula, tenta agora se apegar a gente próxima ao petista. Já mostrou o ministro Tarso Genro (Justiça), o senador Alozio Mercadante, e os presidentes do PT, Ricardo Berzoini, e do PCdoB, Aldo Rabelo. O problema é que nenhum deles vota em São Luís.

O comunista tentou ainda conseguir declaração do ministro Fernando Haddad (Educação) em seu favor. Haddad pulou lá fora dizendo que se votasse em São Luís seria no deputado Gastão Vieira (PMDB). No programa passado exibiu o empresário Lula Filho, do bar Por Acaso. Acontece que muita gente está pensando que o empresário em questão é realmente filho do presidente Luiz Inácio.

Passagem de comando

Atenção pessoal de O Imparcial! A passagem do comando da PM acontece hoje e não amanhã, apesar de no convite estar marcado para esta sexta-feira. Conforme o blog antecipou há duas semanas, o coronel Francisco Melo vai ocupar o lugar do também coronel Pinheiro Filho, que vai para a Casa Militar. A tropa está assanhada e já ameaça se aquartelar.

Missão impossível

O perito Ricardo Molina foi visto ontem em São Luís. Os rumores nos meios políticos são de que ele estaria trabalhando num laudo paralelo ao que a PF está fazendo nas fitas de áudio e vídeo que constam do processo de cassação do governador Jackson Lago (PDT).

Deputado pé frio

O líder do governo Edivaldo Holanda (PTC) não dá sorte. Em 2002, ele orientou Roberto Rocha a desistir da disputa em favor de Jackson Lago e José Reinaldo acabou vencendo no primeiro turno. Em 2006, bandeou-se no segundo-turno para o lado da senadora Roseana sarney (PMDB) e ela perdeu. Agora se aliou a João Castelo (PSDB) e ele está prestes a ser degolado pelo TRE.

Decisão política

Depois do parecer do procurador José Leite Filho, fica uma certeza: Castelo só escapa da cassação se o TRE julgar o caso politicamente. Se analisar a questão de acordo com a legislação, não tem jeito.

Agora é Pinto

Após o almoço de ontem, o PSDB começou a discutir o substituto de Castelo. O mais provável é que o indicado seja mesmo o deputado Pinto Itamaraty (PSDB). Castelo já mostrou não ter interesse em indicar a filha Gardeninha e Roberto Rocha está muito atarefado com a eleição do irmão Rochinha (PSDB) em Balsas.

Crise na assessoria

Por falar em Pinto, é grave a crise em sua assessoria. O radialista Marcelo Minardi deixou assessoria do deputado com quem trabalhava desde sua primeira eleição na Câmara de Vereadores. O motivo seria a ciumeira do deputado Alberto Franco (PSDB). Minardi tem pretensões de lançar sua candidatura a deputado estadual em 2010. Os dois parlamentares negam a informação. “Isso é fofoca”, afirmaram Pinto e Alberto Franco.

Acidente

O candidato Clodomir Paz (PDT) desmarcou todos seus compromissos para hoje. É que uma cunhada sua morreu de acidente de carro no interior do estado. Por falar no pedetista, ele deve começar a engrossar com os adversários em seus próximos programas.

Procissão de cobradores

Em Balsas, é grande a filha de credores na porta da prefeitura atrás do prefeito Chico Coelho (PDT). Alegando dificuldades financeiras, ele embala os cobradores com pesquisa onde aparece com 54,8% das intenções de voto contra apenas 23,3% de Rochinha.

Guerra em Mata Roma I

O TRE deferiu ontem, por unanimidade, o registro da candidatura do prefeito Lauro Pereira Albuquerque, o Grachal (PDT), em Mata Roma. Ele havia sido cassado pelo juiz Chapadinha por causa de contas rejeitadas na época em que era presidente da Câmara. A Corte Eleitoral entendeu que a desaprovação ocorreu por irregularidade sanável e deferiu o registro. Aliado de Grachal, Aderson Lago (Casa Civil) mobilizou sua tropa de choque em favor do prefeito.

Guerra em Mata Roma II

No entanto, o que marcou no episódio foi a “aliança” do advogado Márcio Endles com o deputado Paulo Neto (PSB). Endles foi à tribuna defender a cassação do prefeito, sem sucesso. O deputado está apoiando a candidatura da irmã do advogado, Iracema Vale (PSB), à Prefeitura de Urbano Santos. Endles é também assessor da deputada Helena Heluy (PT), que pediu a cassação de Paulo Neto quando ele ainda figurava como um dos principais suspeitos pela morte do prefeito Bertin, de Presidente vargas.

Esclarecimentos

O ex procurador-geral de justiça Francisco das Chagas Barros de Sousa encaminha esclarecimento contestando nota do blog do último dia 13 (reveja aqui) comparando sua decisão de afastar os promotores Cláudio Guimarães, José Cláudio Cabral Marques e Themis Araújo das investigações sobre suposto enriquecimento ilícito da ex-primeira-dama Alexandra Tavares, ao fato do delegado-geral Antônio Bezerra afastar da Deic os delegados que conduzem as investigações na Secretaria de Segurança Cidadã (Sesec).

Diz que os promotores não foram afastados das investigações contra Alexandra. Cita decisão do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) onde é dito que não há “o mais tênue indício de que tenha havido má fé ou outro comportamento inaceitável por parte da PGJ”.

Agora cabe a pergunta: se os promotores não foram afastados das investigações, o que aconteceu então? No caso, com certeza, é que eles não ficaram.



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade