Formulário de Busca

Fracassa manifestação em defesa de Jackson Lago

ter, 31/03/09
por Décio Sá |
categoria Política local

balaiada-jackson-desanimo.jpgFoi um fracasso o ato organizado pelo Governo do Estado realizado nesta terça-feira à noite na Praça Deodoro em defesa do governador cassado Jackson Lago (PDT). Segundo a própria PM, não mais que 2 mil pessoas participaram da manifestação. Como em seu discurso o líder do MST João Pedro Stédile surtou falando ter 20 mil pessoas presentes, com certeza amanhã os jornais amilhados pelo Palácio dos Leões vão informar esse número. Parte do público foi atraído ao local por causa do show da sambista Beth Carvalho. Cerca de R$ 200 mil foram gastos na organização do evento. A foto ao lado mostra a cara de desânimo do pedetista e seus apoiadores.

Quem esteve na parte de baixo do palanque, como eu, viu que apenas aquela rua em frente à Biblioteca Pública Benedito Leite estava lotada. Percebeu-se nitidamente que era um público arregimentado. Muita gente com camisas do movimento Balaiada, entre elas crianças. Na praça Maria Aragão e nos arredores da Deodoro vários ônibus comprovavam a arregimentação das pessoas (veja fotos abaixo de Biaman Prado e Flora Dolores/O Estado do Maranhão).

Politicamente então o fiasco foi maior. No início cogitou-se trazer até o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, presidente de honra do PSDB. No palanque só a candidata derrotada ao Senado Cristina Almeida (PSB-AP) e o líder porralouca sem terra. Em seu discurso, Stédile xingou o presidente do Congresso Nacional, senador José Sarney (PMDB), usando termos impublicáveis. Disse que “essa é a batalha final para derrotar a burguesia e o povo tem de entrar em campo”. 

Prefeitos, principalmente da Região Tocantina, reclamaram de não terem direito a discurso e sequer seus nomes citados pelos organizadores. Em tom raivoso e meio desesperado com o pouco público, Jackson Lago discursou estimulando a violência caso seja cassado em definitivo. “Vamos aguardar a justiça em alerta. Se ela for injusta vamos refletir o que poderemos fazer. Não vamos nos descuidar se formos abatidos pela injustiça. Ficaremos unidos e em alerta para mostrar que aqui tem história, somos a Ilha Rebelde, que este é o Maranhão da Balaiada.”

balaiada-criancas.jpg

balaiada-publico-fraco.JPG

balaiada-onibus.jpg

balaiada-publico-fraco-2.JPG

Imagens mostram tentativa de invasão ao Convento

ter, 31/03/09
por Décio Sá |

O reporter fotórgráfico De Jesus, de O Estado do Maranhão, registrou o momento em que baderneiros sob o comando do subsecretário “fantasma” Márcio Jardim (Minas e Energia) e o coordenador do MST e da Balaiada, Jonas Borges, tentaram invadir o Convento da Mercês hoje pela manhã. Jardim está de costas de camisa preta perto do carro de som onde um homem carrega duas caixas com copos d’água. Jonas Borges aparece no canto à direita olhando e apontando para o fotógrafo.

balaios-marcio.jpg

Depois de muita discussão os baderneiros tentaram entrar à força no prédio histórico, mas foram contidos pelos policiais. Perceba que eles estão com faixas de protesto e bandeiras do MST e do Maranhão. Tudo bancado pelo próprio governo.

balaios-convento-4.jpg

Esta imagem mostra que os “balaios” foram prontos para a briga. Estes dois homens carregam até porretes. Felizmente nada de grave aconteceu.

balaios-convento-5.jpg

Também estavam preparados para a chuva e usavam capas. São pessoas humildes utilizadas de forma criminosa pelo governador cassado Jackson Lago (PDT).

balaios-convento-3.jpg

Procuradoria Geral Eleitoral pede arquivamento de recurso de Aderson contra Roseana Sarney no TSE

ter, 31/03/09
por Décio Sá |

francisco-xavier-filho.jpgA Procuradoria Geral Eleitoral (PGE) negou provimento ontem a um recurso através do qual o candidato derrotado ao governo e hoje chefe da Casa Civil, o “laranjinha” Aderson Lago (PSDB), primo do governador cassado Jackson Lago (PDT), queria cassar o registro da então candidata ao governo Roseana Sarney (PMDB) por suposto abuso de poder econômico. Desesperado, hoje pela manhã, o tucano atravessou uma petição no TSE pedindo ao ministro Eros Grau que julgue esse processo junto com os embargos de declaração do pedetista. Como a petição foi ajuizada fora de prazo, nem deve ser reconhecida pelo relator.

O processo movido contra Roseana foi indeferido ainda em 2006 pelo TRE do Maranhão por 5 votos a 1. Nele, Aderson e o candidato derrotado a deputado Celso Furtado alegam que o PFL, partido da senadora naquelas eleições, teria usado R$ 168,9 mil para ajudar os candidatos da coligação “União Democrática Independente” (PSL,PTC e PTdoB), do qual o próprio Celso Furtado fazia parte.

No parecer o vice-procurador-geral eleitoral, Francisco Xavier Filho, dá uma verdadeira aula de direito nos advogados de Aderson, no caso seu filho Rodrigo Lago. Lembra que o próprio TRE negou trânsito ao recurso especial “porque as questões jurídicas nele agitadas não constituíram objeto de debate e decisão prévios, não obstante dos embargos de declaração, ausente o requisito do prequestionamento”.

O procurador alega que os reclamantes ajuizaram o recurso errado. Em vez de um recurso ordinário eles deram entrada num recurso especial. “Os próprios agravantes não desconhecem que o recurso cabível é o ordinário. Tal equívoco não poderia ser cometido, pois a alegação de abuso de poder econômico, se comprovada, conduz à perda do registro da governadora, com possibilidade de atingir o diploma ou até o mandato eletivo estadual, o que  desafia a interposição do recurso ordinário a permitir a discussão e exame de toda a matéria pela instância superior. Considerando o acórdão combatido, portanto, o recurso especial é incabível”, explica.

Diz mais: “Se os agravantes sabiam que o recurso cabível era o ordinário, mas mesmo assim interpuseram o especial, não podem receber o benefício da fungibilidade. O equívoco há de ser atribuído a eles próprios, e não à Justiça Eleitoral. Ao utilizar o recurso inadequado para atacar o acórdão recorrido (do TRE do Maranhão), fizeram-no por sua conta e risco. Não está o julgador obrigado a efetuar a conversão, pois a hipótese é de erro grosseiro e inescusável (grifo da procuradoria), a impedir a aplicação do princípio da fungibilidade. De qualquer modo, a conversão do recurso em nada beneficiaria os agravantes, pois não juntaram a prova da alegação da prática de abuso de poder econômico”.

Segundo Xavier Filho, não há prova nos autos sobre a real finalidade dos R$ 168,9 mil, se para campanha ou em troca de um suposto apoio político. Ele também questiona o objetivo de Celso Furtado ter se juntado a Aderson para mover o processo. Provavelmente o candidato derrotado a deputado estaria sendo utilizado como “laranja” do tucano. “Se algum benefício resultou desse ato, os favorecidos certamente são os candidatos da coligação, e não Roseana Sarney, do PFL. Aliás, entre os candidatos possivelmente favorecidos está o ora agravante Celso Augusto Ribeiro Furtado, o qual, não se sabe o motivo, aliou-se a Aderson Lago para formular a representação. Procura o referido agravante, com tal ato, lograr benefício com a própria torpeza, o que é vedado em lei”, assinala o representante do Ministério Público Eleitoral.

Por fim, o vice-procurador-geral afirma que os autores da ação se queixam da impossibilidade de produção de prova, principalmente a testemunhal. “Observa-se nos autos, no entanto, que eles tiveram duas oportunidades claras de trazer as testemunhas e não o fizeram. Da decisão interlocutória proferida em 11 de outubro de 2006, que deixou a seu cargo diligenciar o comparecimento das testemunhas à audiência de instrução, não interpuseram qualquer recurso, estando a matéria acobertada pelo manto da preclusão.”

Sob comando de Márcio Jardim, arruaceiros tentaram invadir Convento usando até crianças

ter, 31/03/09
por Décio Sá |

balaios-convento-2.jpgUm grupo de arruaceiros comandados pelo subsecretário “fantasma” Márcio Jardim (Minas e Energia) e pelo coordenador do MST no Maranhão, Jonas Borges, tentou invadir nesta terça-feira pela manhã o Convento das Mercês, no Centro de São Luís, onde estão guardados os arquivos do ex-presidente José Sarney. Integrantes da Balaiada, movimento em defesa do mandato do governador Jackson Lago (PDT), os manifestantes tentaram arrombar o portão de entrada do prédio forçando os cadeados. Foram impedidos pelos seguranças. A Tropa de Choque da PM foi chamada, cercou o local, expulsando os baderneiros.

O grupo formado por cerca de 200 pessoas chegou ao Convento por volta das 11h. Márcio Jardim (na foto na frente do PM dando uma de “pagagaio de pirata durante a visita de Hugo Chávez a São Luís) era o mais exaltado. Fazia discursos inflamados contra Sarney usando palavrões no microfone de um carro de som. Disse que daria a última gota de seu sangue para que a senadora Roseana Sarney não assuma o comando do estado caso o TSE casse em definitivo o governador. Entre os manifestantes, formados em sua maioria por sem terra, crianças aparentando 5 anos. A direção do Convento vai registrar ocorrência na polícia.

No início do ano, Márcio Jardim agrediu uma equipe de reportagem da TV Mirante que registrava o movimento na Praça Pedro II, em frente do Palácio. Apesar de ser subsecretário de Minas e Energia, ele dificilmente aparece para trabalhar sendo taxado no próprio órgão de “fantasma”.

Nota: Post alterado às 16h10 e 18h40 para acréscimo de informações e foto.

Últimas notícias

ter, 31/03/09
por Décio Sá |

Filha de FHC enrolada
O procurador do Ministério Público que atua no TCU (Tribunal de Contas da União), Marinus Marsico, vai ingressar hoje com representação para que o tribunal apure irregularidades no Senado. Com base em reportagens da Folha, ele pede apuração sobre o pagamento de hora extra para 3.883 servidores no recesso parlamentar e sobre a filha de FHC, Luciana Cardoso, que seria funcionária fantasma do Senado.

Ela disse à Folha que é funcionária do senador Heráclito Fortes (DEM), mas que trabalha em casa porque “o Senado é uma bagunça”. O senador não comenta o caso. Ela admitiu que pode ter recebido hora extra no recesso. Onze dos 103 gabinetes ordenaram a devolução da verba. No total, a Casa gastou R$ 6,2 milhões com horas extras em janeiro. A Procuradoria apura se os servidores trabalharam no período. O Senado anunciou ontem o fim de oito cargos de direção. (Folha de S. Paulo)

Amarante na lista do desmatamento
Brasília
- A lista dos 36 municípios que mais desmataram a Amazônia foi ampliada hoje (24) e agora tem mais sete cidades entre as campeãs de devastação da floresta. Juntos, os 43 municípios foram responsáveis por 55% do desmatamento da Amazônia Legal em 2008, que chegou a 11,9 mil quilômetros quadrados. É a primeira vez que o ranking, criado em 2007, é atualizado. Dos sete municípios incluídos, quatro são do Pará (Marabá, Pacajá, Ituporanga e Tailândia), um de Mato Grosso (Feliz Natal), um de Roraima (Mucajaí) e um do Maranhão (Amarante do Maranhão). Leia mais aqui.
 
Gastos da Balaiada
Vai custar R$ 200 mil aos combalidos cofres públicos do Maranhão o ato hoje na Praça Deodoro em defesa do cassado Jackson Lago. No comando da grana os subsecretários Márcio Jardim (Minas e Energia), Mônica Araújo (Turismo), ex-namorada dele, Silvio Bembem (Igualdade Racial), Eduardo Teles (Esportes e Juventude) e o novo-rico Franklin Douglas (Trabalho e Economia Solidária). Desde que passou a ter acesso à economia do movimento, Jardim nunca mais teve problema em pagar contas de R$ 10.

Agora vai…
José Sarney ligou no início da noite de ontem para Michel Temer e combinaram de instalar ainda esta semana a comissão mista para tentar tocar – pela enésima vez – a reforma política. Os integrantes já foram até indicados pelo partido, mas faltava colocá-la para funcionar. (Radar On-line).

Em campanha
O candidato derrotado à Prefeitura de Ze Doca Dr. Alberto (PTB), dono de hospital na cidade, colocou a unidade de saúde a servido do estado. Foi pedir ao secretário Edmundo Gomes (Saúde) um conveniozinho para fechar o negócio. Recebeu como resposta que só teria o dinheiro se apoiasse a candidatura do dito-cujo a deputado federal. Saiu de lá decepcionado.

O teor dos dois recursos de Jackson Lago no TSE

ter, 31/03/09
por Décio Sá |

tse-sessao-2.jpgBrasília - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu, nesta segunda-feira (30), dois  recursos relativos a decisão da Corte que cassou os diplomas do governador do Maranhão, Jackson Lago (PDT), e de seu vice, Luiz Carlos Porto. Na sessão plenária de 3 de março último os ministros decidiram pela cassação por cinco votos contra dois por irregularidades durante a campanha de 2006.

Na ocasião, o relator, ministro Eros Grau, votou pela cassação por dois motivos: abuso de poder político e captação ilícita de votos. Três ministros – Felix Fischer, Fernando Gonçalves e Carlos Ayres Britto (presidente) – acompanharam o relator em relação ao primeiro fundamento. O quinto voto foi do ministro Ricardo Lewandowski, para quem houve captação ilítica de votos.

Os ministros decidiram também que, com a saída de Jackson Lago, deve ser diplomada e empossada como governadora do Maranhão a segunda colocada no pleito de 2006, a atual senadora Roseana Sarney (PMDB-MA). No entanto, a Corte entendeu que a decisão de dar posse a Roseana só deve ser executada após a análise dos recursos apresentados pela defesa.

Jackson Lago

O primeiro recurso (embargo declaratório) foi apresentado pelo governador Jackson Lago. Ele pede o reconhecimento do TSE para a falta de potencialidade para influir no resultado da eleição de 2006 de dois dos onze fatos apontados como causa de pedir a cassação do diploma. A defesa afirma que, de forma unânime, os ministros do TSE consideraram improcedentes as denúncias nos fatos relativos a seis aspectos da campanha: os de “São José de Ribamar”; “caso Caxias”; “distribuição de combustível em troca de votos”; “caso Santa Helena”; “Caso Chapadinha” e “uso da Secretaria de Comunicação Social”.

Ressalta que, em relação aos episódios de Codó e Prodim, não houve consenso entre os ministros, “que adotaram posições diferentes quanto aos pedidos feitos de forma acumulada, resultando em contradições, obscuridades e omissões”. No caso de Codó, o governador foi denunciado por assinatura de convênio entre o governo do Maranhão e a prefeitura de Codó, quando estariam presentes o então governador José Reinaldo Tavares e o candidato Jackson Lago. O caso Prodim consistiria na participação do candidato Jackson Lago em reuniões do programa Prodim, do governo do estado em parceria com o Banco Mundial (BID), que visava a doação de bens e serviços a pessoas carentes.

Assim, diz o recurso, no caso de uma ação penal onde haja pedido de condenação por diversos fatos “não é possível que os votos de julgadores,  que dêem pela procedência de somente uma das imputações , sejam somados aos de outros que entendam como procedente tão só outra das acusações, com o argumento de que todos votam genericamente pela condenação”.

Sugere que para a decretação da procedência do pedido é necessário verificar se, em relação a cada fato, a acusação é procedente. No caso, diz que não houve proclamação, pela maioria, da existência de qualquer conduta vedada a agentes públicos. “A falta de destaque para que cada ação fosse apreciada separadamente levou a que o resultado do julgamento fosse proclamado de forma contraditória em relação aos votos proferidos”.

A defesa de Jackson Lago diz ainda que o TSE não tem competência para apreciar recurso contra expedição de diploma por conta de saldos reclamatórios de campanha. Afirma o governador que o tema surgiu na apreciação do Recurso Contra Expedição de Diploma 694 quando foi repelida a tese de que caberia aos próprios tribunais regionais a apreciação desse tipo de processo. No entanto, diz que a renovação da composição do TSE e a relevância do tema são fatores que autorizariam o reexame da matéria. Desta forma, o TSE deveria extinguir a ação sem o julgamento de mérito ou determinar a remessa do processo ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA).

Prona

O segundo recurso é assinado por João Melo e Sousa Bentivi, candidato a governador do Maranhão  nas eleições de 2006 pelo Partido da Reedificação da Ordem Nacional (Prona). Ele diz que o TSE não deveria proclamar a segunda colocada, Roseana Sarney (PMDB), como eleita. Sustenta que, em 15 de dezembro de 2008, o partido entrou com pedido para ser incluído no processo como parte interessada e que o relator, ministro Eros Grau, no dia 19 de dezembro, quando o julgamento iniciou, disse que recebera várias petições, entre elas a do candidato João Bentivi, mas que, naquele momento, o pedido não teria cabimento.

“O pedido foi completamente ignorado, nada contando dos votos, nem tendo sido submetido a julgamento plenário”, afirma o recurso. O Prona pede para que seja declarada a nulidade do processo por não participar como parte interessada nos autos. Alternativamente, pede a realização de novas eleições.

(Com informações do TSE).

CPI da Euromar vai ouvir Clodomir Paz quinta-feira

seg, 30/03/09
por Décio Sá |

cpi-da-euromar.jpgA Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga supostas irregularidades cometidas pela empresa Euromar e quatro locadoras de revendas de veículos em todo o Estado realiza sua segunda sessão nesta terça-feira (31). Para a segunda sessão a CPI convidou representantes do Instituto Maranhense de Defesa do Consumidor (Imadec) e do Instituto de Defesa do Consumidor (Procon). A Comissão pretende que estas entidades apresentem as reclamações de consumidores que se sentiram lesados em vendas efetivadas pelas cinco empresas.

Para a sessão de quinta-feira (2 de abril) foram convocados um representante do Sindicato das Concessionárias de Revenda de Veículos do Maranhão (Sincodiv) e o diretor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Clodomir Paz, para que prestem esclarecimentos sobre o caso. Nos seus 120 dias de funcionamento a CPI vai apurar denúncias de compra e venda de carros pela concessionária Euromar em nome das locadoras Crisbel, Auto 1000, Alcântara e Nova Aliança, todas sediadas em São Luís.

Elas são acusadas de praticar crimes de estelionato, formação de quadrilha, contra a ordem econômica e tributária e de peculato; prática de sonegação de impostos. Os parlamentares também investigam o envolvimento de funcionários do Detran na fraude; e formação de cartel na venda de veículos no Maranhão.

Fazem parte da comissão os deputados Alberto Franco (PSDB), escolhido como presidente, Fátima Vieira (PP), vice-presidente e Eliziane Gama (PPS) como relatora. Também são membros efetivos da mesa os parlamentares Rubens Pereira Júnior (PRTB) e Carlos Filho (PV). A comissão funcionará em sessões ordinárias sempre às terças e quintas-feiras, a partir das 15h.

(Com informações e foto da Agência Assembleia).

Advogados de Jackson ajuizam embargos no TSE; Bentivi assume condição de “laranja” do governador

seg, 30/03/09
por Décio Sá |

protocolo-tse.jpgOs advogados do governador Jackson Lago (PDT) acabam de dar entrada no protocolo do TSE nos embargos de declaração através dos quais o pedetista quer mudar a decisão da Corte que cassou seu mandato. Para não peder tempo, os advogados da senadora Roseana Saney (PMDB) devem ajuizar até amanhã as contrarazões ao recurso. Com isso, o processo vai ao relator, ministro Eros Grau. Ele deve abrir vistas ao Ministério Público Eleitoral (MPE). Como o assunto é batido e rebatido no tribunal, o procurador, possivelmente o vice procurador-geral Francisco Xavier Filho que é quem atua no caso, deve demorar pouco dias para emitir seu parecer.

Os autos voltam ao relator para que ele elabore seu voto e leve o caso a Plenário. Não é preciso a publicação de pauta no Diário da Justiça Eletrônico. Eros Grau apenas comunica ao presidente que levará o assunto a julgamento. Isso pode ocorrer até mesmo na próxima semana, mas os advogados da coligação “Maranhão-A Força do Povo” trabalham com o período após a Páscoa.

Se o TSE não acolher os embargos, Jackson Lago estará automaticamente fora do governo até que Roseana seja diplomada e empossada no cargo. Nesse período de algumas horas, para o governo não ficar sem comando, o presidente da Assembleia, Marcelo Tavares (PSB), fica respondendo também pelo Executivo. É ele quem empossará Roseana no governo. Marcelo já afirmou que não criará nenhum obstáculo para obedecer o que os tribunais superiores determinaram.

“Laranja”

Depois de postada a notícia, fui informado que o candidato derrotado ao governo, João Bentivi (Prona), ex-crítico ácido e agora atuando como “larajna” do pedetista, também impetrou embargos de declaração. No primeiro julgamento, o ministro Eros Grau sequer levou em conta um recurso ajuizado pelo ex-candidato pedindo a realização de novas eleições. Agora ele surge novamente como se estivesse ganhando alguma coisa para tentar retardar o julgamento em definitivo do caso.

Nota: Texto alterado às 19h20 para acréscimo de informações.

Até Bin Landen andou lendo o blog

seg, 30/03/09
por Décio Sá |
categoria Variedades

blog-google.jpg

Desde que mudei para este novo endereço, em abril passado, paramos de exibir a contagem dos acessos do blog. Muita gente me pergunta sobre esses números. Naquela ocasião registrávamos 1,058 milhão de acessos. Os números não são mais exibidos, mas continuam sendo computados através do google analytics (www.google.com.br/analytics), ferramenta gratuita da gigante da internet. No último ano (de 29/03/2008 até ontem) este blog cravou 890 mil visitantes únicos (reprodução acima). O número impressiona se levarmos em conta que o Maranhão é um dos estados onde a internet ainda engatinha. Esses 890 mil visitantes geraram neste período 1,490 milhão de páginas visitadas – quantas vezes eles acessaram o blog num dia. No dia da cassação do governador, por exemplo, foram 8.851 visitas ou 17.246 acessos.

O google analytics informa que essas visitas todas vieram de 91 países e territórios. Eu mesmo fiquei espantado com a informação. Somos visitados em todos os continentes e em quase uma centena de países. Uma das visitas foi registrada no Afeganistão (quadro abaixo). Talvez seja Bin Laden querendo saber como anda a Balaiada de Jackson Lago. A grande maioria dos acessos é do Brasil (883.914), seguido dos Estados Unidos (1.322), Portugal (1.070), França (583), Alemanha (577) Reino Unido (405), Espanha (317), Japão (270), Argentina (258) e Austrália (235) etc.

Como se vê, informação de qualidade não tem fronteiras.

blog-numeros-2.jpg

STF julga Lei de Imprensa e diploma para jornalistas

seg, 30/03/09
por Décio Sá |

stf-julga.jpgBrasília - O Supremo Tribunal Federal (STF) julga na terça-feira a ação na qual o PDT pede a revogação da Lei de Imprensa, herança da ditadura militar. O argumento da ação é de que a legislação impõe sanções muito severas e, por isso, é usada como instrumento contra a liberdade de expressão nos meios de comunicação. Ano passado, o tribunal suspendeu 20 dos 77 artigos da lei. Esta semana, a tendência é que o tribunal derrube de vez a legislação – especialmente artigos referentes a crimes de opinião, com punições mais rígidas do que as previstas no Código Penal.
 
No mesmo dia, a Corte decidirá se jornalistas sem diploma específico da área podem exercer a profissão. O assunto tem enchido as caixas de e-mail dos ministros do STF com mensagens de jornalistas de todo o país. Alguns defendem o diploma, outros dizem que o direito à livre expressão, garantido pela Constituição Federal, dispensa formação universitária específica. No Supremo, as opiniões estão longe da unanimidade. Quatro dos 11 ministros já declararam simpatia pelo jornalismo sem diploma, em julgamento realizado em 2006. Outros, porém, dizem em caráter reservado que a falta de formação específica preocupa.

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e os sindicatos compartilham da mesma opinião. A Associação Nacional de Jornais (ANJ) considera a Lei de Imprensa atual uma forma de podar os meios de comunicação, mas defende que haja punições contra excessos.

A obrigatoriedade do diploma será discutida no julgamento de um recurso proposto pelo Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo (Sertesp) e pelo Ministério Público Federal. Em 2006, o presidente do tribunal, ministro Gilmar Mendes, concedeu uma liminar permitindo que jornalistas que já atuavam na área mesmo sem ter o registro no Ministério do Trabalho – obtido mediante a apresentação do diploma – continuassem trabalhando.

(Com informações do Globo Online).



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade