Formulário de Busca

Dutra é condenado por ofensas a Monteiro

seg, 30/11/09
por Décio Sá |

dutra 301109O presidente do PT, deputado Domingos Dutra (foto), foi condenado a pagar indenização ao companheiro de partido e ex-presidente do Incra Raimundo Monteiro. Monteiro disputa no próximo domingo o segundo turno das eleições no PT contra Augusto Lobato.

Os fatos que levaram à condenação do parlamentar são referentes às eleições do próprio partido em 2005, quando Dutra foi eleito pela primeira vez. Na época, além de agredir Monteiro verbalmente em entrevista à imprensa, ele também atacou a deputada Helena Heluy (PT) classificando-a de “mafiosa”, motivo de sua primeira condenação por conta desse episódio.

Na ação o advogado de Helena e do ex diretor-regional do Incra, Márcio Endles, afirma que “enquanto ainda se discutiam pontos contidos na referida ata, de ordem formal houve, de repente, uma inusitada, violenta e escandalosa reação por parte do deputado Domingos Dutra. Essa reação foi consubstanciada em bater na mesa, proferir palavras e expressões das mais chulas, agredindo com elas a honra e a dignidade dos membros da Executiva, além de ameaçar que ninguém, ali, ia apreciar e julgar nada, nem que tivesse de usar de porradas.

O juiz Cícero Dias de Sousa Filho, do Juizado Especial da Cohab, ao analisar o processo destacou na sentença que: as provas constantes dos autos foram suficientes para comprovar que o autor (Monteiro) foi vítima de agressão verbal grave. Assim agindo, feriu profundamente a honra, a dignidade e imagem, conduta reprovável e suficiente a ensejar responsabilidade por danos morais. Face o exposto, julgo parcialmente procedente a ação e condeno o réu (Dutra).

Roberto Rocha diz não ter se desculpado com Nelma

seg, 30/11/09
por Décio Sá |
categoria Judiciário

Caro jornalista,

roberto rocha 301109Incorre em duplo erro a nota publicada em seu blog hoje, sob o título ‘Os bastidores da disputa pelo TRE’ (veja abaixo). Um erro factual, ao afirmar que eu teria ligado para a Dra. Nelma Sarney com pedido de desculpas, o que não fiz em momento algum. Não falo com a Dra. Nelma há mais de ano, o que pode facilmente ser comprovado por testemunho da própria juíza.

Outro erro, interpretativo, ao supor-me induzido a assinar o documento que foi tornado público. Não assinei o documento à contragosto, mas triste por ver que no Maranhão uma eleição no Judiciário ainda é uma questão política. Os termos da representação são claros, respeitosos e falam por si.

Minha assessoria continua ao seu dispor para checar qualquer informação relativa a meu nome, o que, infelizmente, não aconteceu em relação à nota mencionada.

Roberto Rocha
Deputado federal

Comentário meu: O blog acata os esclarecimentos do deputado, mas mantém as informações já postadas no sentido de que ele ligou sim para a presidente do TRE. Inclusive durante a conversa, segundo minha fonte, Roberto Rocha alegou ter se confundido entre TRE e TCE.

Agora há pouco, em entrevista a vários jornalistas, Nelma Sarney disse ter recebido ligações de membros dos partidos que assinaram o manifesto dizendo não terem tomado conhecimento do documento e por isso eram contra a manifestação. Um dos repórteres quis saber se entre estes estava o deputado Domingos Dutra (PT). Nelma não quis se manifestar. “O que posso dizer é que o Dutra é meu amigo de universidade”, contou ela.

Turismo: o que a Veja não quis dizer

seg, 30/11/09
por Décio Sá |
categoria Política local

A revista Veja, como se sabe, é uma espécie de “Diário Oficial do PSDB”. Não poupa página e tinta para atacar o governo Lula e seus aliados. Na crise do Senado chegou a anunciar a renúncia de José Sarney da presidência. Vez por outra tenta atingir alguém da família. A edição que está nas bancas, na coluna “Holofote”, traz o seguinte comentário sobre o turismo no Maranhão:

São Luís em maus lençóis
roseana veja holofotePode ser um golpe no projeto de reeleição da governadora do Maranhão, Roseana Sarney: a Receita Federal e a Polícia Federal cogitam retirar os serviços de alfândega e imigração do aeroporto de São Luís. Se isso acontecer, o aeroporto perderá a condição de internacional. Os funcionários desses serviços federais estão desocupados há nada menos que dezesseis meses, quando a cidade recebeu o último voo comercial do exterior. Desde então, não pousam em São Luís nem aviões particulares provenientes do exterior.”

A nota foi, evidentemente, repercutida em blogs e jornais balaios locais. Mas a Veja  só esqueceu de um detalhe: nos últimos 16 meses o Maranhão esteve sob o comando dos dois piores governadores de sua história: José Reinaldo (PSB) e Jackson Lago (PDT).

Ao deixar o governo em 2002 e repassá-lo ao socialista, Roseana havia preparado o Plano Maior de Turismo cujo planejamento vai até 2010. Foram criados cinco pólos turísticos no estado. O plano foi concebido pelo espanhol Josep Chias, o mesmo que ajudou Barcelona a sediar as Olimpíadas de 1992 e criou o Plano Aquarela para o Ministério do Turismo posteriormente.

Nesses 16 meses, Jackson e José Reinaldo não só acabaram com o Plano Maior mas apoiaram iniciativas suicidas como permitir que Parnaíba (PI) servisse de porta de entrada para os Lençóis Maranhenses. O governo está retomando o planejamento turístico feito por Chias e tenta desfazer as besteiras no setor patrocinadas pelos ex-governadores. Já anunciou a internacionalização do Aeroporto de Barreirinhas, a recuperação de 1,5 mil km de estradas e realizou semana passada o I Salão de Turismo do Maranhão.

Se voos internacionais não chegam a São Luís há 16 meses, a culpada com certeza não é a governadora Roseana Sarney (PMDB). Ela só assumiu em abril. Passou sete anos fora do governo.

Jackson e José Reinaldo é que terão de explicar porque o turismo do estado acabou em suas administrações.

Gardeninha bate forte em Flávio Dino

seg, 30/11/09
por Décio Sá |

gardeninha castelo 301109Em entrevista ao jornal O Imparcial desta segunda-feira, a deputada Gardeninha Castelo (PSDB) bate forte no deputado Flávio Dino (PCdoB) por causa do processo de cassação que o parlamentar move contra seu pai, o prefeito João Castelo (São Luís). O caso deve ser julgado até o final de dezembro pelo TRE. Ela (foto) chama o comunista de “imaturo”, “vaidoso” e “prepotente”. “O mandato de deputado federal ele não construiu, ele ganhou”, detona.

“Ao invés dele estar aí preocupado em criar fatos políticos, ele deveria era explicar para a população como se elegeu sem ser conhecido. Financiamento público de campanha, pelo que sei, ainda não foi aprovado”, completa a tucana numa clara referência ao fato do adversário ter tido sua campanha bancada, em 2006, pelo governo José Reinaldo (PSB). Leia abaixo:

Qual sua análise sobre o processo que corre na Justiça Eleitoral e que pede a cassação do mandato do prefeito de São Luís?
“Esse processo é do deputado Flávio Dino. O deputado, transtornado com a derrota que o povo lhe impôs, mesmo ele indo para o segundo turno com o apoio da máquina, com o apoio do Lula que ele botou na televisão como seu maior cabo eleitoral, João Castelo disputou as eleições, não contra ele, mas contra o Lula. E aí ele, talvez por imaturidade, talvez pelo excesso de vaidade, talvez por ser um pouco prepotente acostumado de uma maneira diferente a ter tudo(achou que venceria o pleito).

Por último, ele conseguiu ser eleito deputado federal mesmo sem ser conhecido por quase nenhum eleitor do Maranhão. Conseguiu ter quase 130 mil votos. Conseguiu em Caxias ter ter 15 mil votos; em Tuntum, 60% dos votos. Uma eleição fácil. O mandato de deputado federal ele não construiu, ele ganhou. Conseguiu achar tudo mais fácil. Eleito deputado (decidiu): “Vou ser prefeito”. E o Tadeu (ex-prefeito e atual secretário estadual de Turismo) bancou sua campanha. Com o apoio de Lula foi para o segundo turno e meteu na cabeça que era o prefeito. Perdeu a eleição, ficou revoltado, pensou em ser prefeito de qualquer jeito. Esse é um processo na justiça para tentar cassar o prefeito (Joâo Castelo) de qualquer jeito. Esse é um processo que não tem fundamentação legal. Flávio Dino construiu uma colcha de retalhos. Até agora não tem obtido êxito. Felizmente nossa justiça está atenta, está sendo inteligente. Até agora tudo o que o Flávio Dino alega não conseguiu provar. E não vai provar.

Tenho dito que ao invés dele está aí preocupado em criar fatos políticos, ele deveria era explicar para a população como se elegeu sem ser conhecido. Financiamento público de campanha, pelo que sei, ainda não foi aprovado.”

Vídeo: aliado de Arruda guarda dinheiro nas meias

seg, 30/11/09
por Décio Sá |

Deputados distritais e aliados políticos do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), alvos da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, foram filmados recebendo dinheiro e guardando maços de notas em bolsas, bolsos e até dentro de meias (veja vídeo exibido ontem no Fantástico).

As imagens de distribuição de dinheiro foram gravadas por Durval Barbosa, ex-assessor de Arruda e colaborador da PF que entregou o suposto esquema de desvio de verbas públicas e arrecadação de propina de empresas para pagar despesas de campanha e distribuir recursos à base aliada do governador. Arruda também foi filmado recebendo dinheiro de Barbosa. Os vídeos, parte deles feita sem autorização judicial, foram entregues à PF, que faz a perícia, e integram o inquérito.

Nas gravações aparecem recebendo dinheiro vivo três deputados distritais-Leonardo Prudente (DEM), Júnior Brunelli (PSC), Eurides Brito (PMDB)-, o ex-deputado Odilon Aires (PMDB), o ex-administrador regional José Naves, o presidente do Na Hora (programa de atendimento rápido para emissão de documentos), Luiz França, e o jornalista Paulo Pestana, diretor da agência de comunicação do governo.

Num dos vídeos, de um minuto e 30 segundos, o presidente da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente, entra na sala de Barbosa e fala: “Comecei a tratar… coisa de negócio de campanha”. Barbosa entrega seis maços de notas a Prudente, que os guarda nos bolsos internos e externos do terno. Em seguida, se senta na cadeira e guarda dois maços nas meias.

Os arquivos da imagem na qual Prudente guarda dinheiro no paletó e na meia, assim como os dos outros distritais e o do jornalista, têm data de criação de 2006, o que não significa, necessariamente, o dia em que os vídeos foram gravados. Os vídeos seguem sempre a mesma dinâmica. Os deputados entram na sala, aparentemente a mesma, sentam-se e logo recebem os maços de Barbosa. Só após o dinheiro ser guardado é que a conversa começa, mas não foi possível ouvir os diálogos na íntegra. Eurides, por exemplo, que está num vídeo de um minuto, recebe o dinheiro após terem se passado 19 segundos de sua entrada na sala. Após cumprimentar Barbosa de longe, volta até a porta e a tranca. Em pé, guarda as notas na bolsa.

Brunelli é contemplado com o dinheiro vivo apenas 14 segundos após entrar na sala. Coloca as notas no bolso da calça. O ex-distrital Odilon Aires, que responde pelo instituto de assistência à saúde dos servidores do DF, é filmado tentando guardar as notas no paletó. Desiste e coloca o dinheiro no bolso de trás da calça. O jornalista Paulo Pestana também foi filmado ganhando três maços, que segura durante dois minutos e 18 segundos de vídeo. Há imagens de outros encontros feitas na sala de Barbosa já com a foto de Arruda, que tomou posse em 2007 como governador, pendurada na parede. Numa delas, França e um homem não identificado contam as notas na frente de Barbosa. Pouco antes de receber o dinheiro, o acompanhante de França tranca a porta.

O secretário de Saúde do DF, Augusto Carvalho, deputado federal licenciado pelo PPS, teve o nome citado em conversa gravada pela PF. De acordo com transcrição do diálogo entre Barbosa e José Geraldo Maciel, afastado da Casa Civil, Carvalho recebia “retribuição de contratos”. Também teriam sido beneficiados Fernando Antunes e Roberto Freire, presidentes nacional e regional do partido, respectivamente. Todos negam participar da fraude.

Expulsão

Para reduzir danos para a imagem do partido, o DEM articula a expulsão do governador José Roberto Arruda (DEM-DF) caso ele não apresente explicações convincentes sobre a sua participação em um suposto esquema de pagamento de propina a deputados aliados na Câmara Legislativa do Distrito Federal. A cúpula se reúne hoje com Arruda, mas parte dos democratas cobra ações duras para evitar que a crise no DF atinja o partido nacionalmente.

“O partido lhe dá crédito, mas as acusações são preocupantes. Se as explicações são forem suficientes, aí partimos para a solução extrema, que é a expulsão”, disse o senador Demóstenes Torres (DEM-GO). Leia mais aqui.

(Com informações da Folha de S. Paulo, Globo Online e do programa Fantástico).

Os bastidores da disputa pelo TRE

dom, 29/11/09
por Décio Sá |
categoria Judiciário

nelma sarney 291109Os bastidores do Poder Judiciário estão pegando fogo. Tudo por conta da eleição para o TRE qua acontece nesta quarta-feira no Tribunal de Justiça. A desembargadora Nelma Sarney (foto) vai tentar ser reconduzida para mais um mandato de dois anos na Corte Eleitoral. O atual presidente do TJ, Raimundo Cutrim, deve disputar a vaga contra ela.

Os dois candidatos cantam vitória: Nelma afirmou a alguns desembargadores, no caso eleitores, ter 14 votos. Nessa conta ela não inclui o corregedor do TRE, José Joaquim Figueiredo dos Anjos. Já Cutrim tem afirmado possuir 15 votos. Como 15 mais 14 são 29, e existem apenas 24 eleitores, cinco desembargadores estão enganando os candidatos.

Na semana passada alguns políticos assinaram um manifesto contra a permanência de Nelma no TRE por ela ser cunhada da governadora Roseana Sarney (PMDB). No documento citam também o ex-presidente da OAB e juiz eleitoral José Carlos Sousa e Silva. O manifesto foi feito para ser repercutido em blogs e jornais “balaios”, capitaneados pelo Jornal Pequeno.

Está assinado por ninguém menos que os “paus-para-toda-obra” Paulo Matos (PPS) e Márcio Jardim (PT), e os deputados Julião Amim (PDT) e Roberto Rocha (PSDB). O documento teve efeito contrário junto a desembargadores ouvidos pelo blog. O motivo é simples: a falta de credibilidade dos signatários.

Jardim e Matos dispensam maiores comentários. Já Julião Amim e Roberto Rocha protagonizaram episódios investigados pela própria Justiça Eleitoral. O primeiro envolveu-se na famosa tentativa de cooptação do ex-prefeito Mimi Cutrim (Olinda Nova) em 2006. O tucano tem no encalço o Ministério Público Eleitoral (MPE) que quer cassar seu mandato em dois processos.

Raimundo Cutrim TJ 291109No primeiro ele é acusado de receber recursos do espólio de seu pai, o ex-governador Luiz Rocha (já falecido), o que seria ilegal. Além disso, recebeu doação em dinheiro da rádio de propriedade de sua família em Balsas. Emissoras são concessionárias de serviço público e não podem fazer doação para políticos. Alegando ter sido induzido a erro por Julião Amim, Roberto Rocha ligou para Nelma pedindo desculpas pela assinatura colocada no manifesto.

Por causa da disputa acirrada, alguns aliados de Cutrim (foto) estão propondo o lançamento de uma terceira via. Os nomes mais citados são de José Bernardo Rodrigues e Lourival Serejo, que já foram juízes do TRE. O ainda presidente do TJ deve renunciar ao cargo nesta terça-feira para poder concorrer a uma vaga na Corte Eleitoral.

Até lá muita água ainda vai rolar sob essa ponte.

Flu sai do rebaixamento e Fla fica perto do penta

dom, 29/11/09
por Décio Sá |
categoria Esportes

Fred fez mais um para o Fluminense

Fred fez mais um gol para o Fluminense

O Fluminense deu um passo importante para permanecer na Série A do Campeonato Brasileiro ao bater o Vitória por 4 a 0, na tarde deste domingo, no Maracanã. Aproveitando o apoio dos torcedores e o tropeço dos rivais, o Tricolor marcou dois gols em dois minutos e deixou a zona de rebaixamento da competição (é o 15º colocado) , local que frequentava desde a décima rodada do torneio nacional. Fred, Alan e Conca (2) marcaram os gols do time das Laranjeiras.

Os tropeços de Botafogo e Coritiba, que foram derrotados por Atlético-PR (1 a 0) e Cruzeiro (4 a 1), respectivamente, ajudaram o Tricolor a sonhar e a depender apenas de si para permanecer na elite do futebol brasileiro. Com 45 pontos, um a mais do que o Coxa, adversário da última rodada, dia 6, no Couto Pereira, e do que o Alvinegro carioca, a equipe das Laranjeiras deu esperanças ao seu torcedor. O Vitória vai encarar o Goiás no Barradão.

Empolgados com o resultado, os tricolores mandaram um recado à LDU, adversário da próxima quarta-feira, pela segunda partida das finais da Copa Sul-Americana. No jogo de ida, o Fluminense foi goleado por 5 a 1, em Quito. Neste domingo, o placar foi semelhante ao que o time precisa para se sagrar campeão do torneio.

- LDU, pode esperar, a sua hora vai chegar – cantavam os tricolores nas arquibancadas do Maracanã. Leia mais aqui.

Flamengo

A frustração da semana passada foi transformada em euforia e agora o Flamengo está a uma vitória de conquistar, após 17 anos, o Campeonato Brasileiro. O caminho para o penta (oficialmente pela CBF) ficou mais curto depois da vitória por 2 a 0 sobre o Corinthians, neste domingo, em Campinas, e da derrota do então líder São Paulo para o Goiás, em Goiânia. Com 64 pontos, a equipe rubro-negra chegou pela primeira vez na ponta da tabela e garantiu a participação na Taça Libertadores de 2010.

Leo MouraO Flamengo, na verdade, nem precisou fazer muito para vencer um desmotivado Corinthians, que logo no primeiro tempo perdeu Edu e Ronaldo, machucados. Depois de marcar o primeiro gol com Zé Roberto, aos 26 minutos da etapa inicial, o time carioca apenas administrou o jogo e viu sua torcida fazer a festa com a derrota do São Paulo. A Fiel, por sua vez, era o reflexo do time: apática. Léo Moura fez o segundo.

Nesse novo cenário do Brasileirão, o Maracanã tem tudo para ser o palco de uma grande festa rubro-negra no próximo domingo, quando o Fla recebe o Grêmio, pela última rodada da competição. Assim como fez no empate com o Goiás, que impediu a liderança carioca na semana passada, a torcida deve lotar o estádio e, enfim, voltar a comemorar um título brasileiro, algo que não acontece desde 1992. Leia mais aqui.

Bira e Rodrigo declaram apoio a Lobato no PT

dom, 29/11/09
por Décio Sá |

Bira, Augusto e Comerciário 301109

Rodrigo, Augusto e Bira: união no PT

Os candidatos derrotados no primeiro turno Bira do Pindaré e Rodrigo Comerciário declararam aogra há pouco, em evento no Centro Social do Sindicato dos Comerciários (Maiobinha), apoio à candidatura de Augusto Lobato. Lobato disputa no próximo dia 6 a presidência do Diretório Estadual do PT com o ex-diretor regional do Incra Raimundo Monteiro.

Rodrigo, que pertencia ao grupo de Monteiro e do deputado federal Washington Luiz Oliveira, justificou o alinhamento a Lobato (foto) por causa das eleições do ano passado quando foi candidato a vice-prefeito na chapa do deputado Flávio Dino (PCdoB). Na ocasião, o grupo de Washington não defendeu seu nome para vice. Rodrigo resolveu romper com os então aliados e, com o apoio do grupo de Lobato, conseguiu emplacar na chapa comunista.

Já o interesse de Bira é tentar viabilizar sua natimorta candidatura ao Senado em 2010. No entanto, essa e outras discussões internas só serão colocadas em pauta no próximo ano.

Lobato disse ter recebido com tranquilidade as declarações de apoios à sua candidatura. Afirmou que irá procurar o entendimento com os também derrotados no primeiro turno Edmilson Carneiro e Frasuila Lopes, cuja tendência é o alinhamento a Monteiro.

Declarou respeitar muito o adversário, que apoiou em 2002 ao Governo do Estado. “Esses eram apoios esperados. Respeito o Monteiro, mas divirjo dele politicamente. Não vou cometer nenhuma ilegalidade caso chegue ao comando do PT. O que os companheiros decidirem no congresso (para as eleições 2010) vamos respeitar”, assinalou.

Pesquisa mostra tendência de votos em Bacabeira

dom, 29/11/09
por Décio Sá |

Pesquisa do Instituto de Opinião Pública (IOP), realizada entre os dias 16 e 20 de novembro ouvindo 361 pessoas em Bacabeira, mostra que se as eleições fossem hoje a governaodra Roseana Sarney (PMDB) venceria o cassado Jackson Lago (PDT) por 56,51% contra 24,93%. O pedetista lidera a rejeição de votos no município com 39,34%. A grande surpresa do levantamento é a liderança do ex-prefeito Reinaldo Calvet (PMDB) na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa. Veja os números:

Governador/Espontânea
Roseana – 53,19%
Jackson – 22,44%
Lobão – 5,54%
Flávio Dino – 3,60%
Roberto Rocha – 1,11%
Venacinho -1,1%
João Castelo – 0,55%
Vilmar – 0,28%
Calvet – 0,28%
Não sabe/Não opinou – 11,63%

Governador/Estimulada
Roseana – 56,51%
Jackson – 24,93%
Lobão – 8,31%
Flávio Dino – 6,65%
Roberto Rocha – 1,66%
Nenhum destes – 1,11%
NS/NO – 0,83%

Não votaria de jeito nenhum (rejeição estimulada)
Jackson – 39,34%
Roseana – 18,56%
Flávio Dino – 13,30%
Roberto Rocha – 11,36%
Lobão – 8,86%
NS/NO – 8,59%

Melhor vereador
Alan Linhares – 19,94%
Jefferson – 12,19%
Nenhum – 11,08%
Vilmar – 7,76%
Romulado – 6,37%

Deputado Estadual
Calvet – 10,80%
Alan Linhares – 10,53%
Jefferson – 6,93%
Venancinho – 6,65%
Vilmar – 3,32%
Bira (liderança local) – 1,94%
Zezé – 1,66%
Antonio Carvalho - 1,66%
Dineide – 1,39%
Delson – 1,11%
Olga Calvet – 1,11%
César Pires – 1,11%
Jibóia – 0,83%
Dr. Hilton – 0,83%
NS/NO – 28,25%

Deputado Federal
Pinto Itamaraty
– 6,37%
Calvet – 6,09%
Alan Linhares – 4,94%
Jefferson – 3,60%
Venancinho – 3,60%
Olga Calvet – 2,60%
Romualdo – 1,39%
João Castelo – 1,11%
Flávio Dino – 1,11%
Carlito – 1,11%
Dineide – 0,83%
Pinheiro – 0,83%
Bira (liderança local) – 0,83%
Dutra – 0,55%
NS/NO – 50,14%

Vídeo mostra governador do DF recebendo propina

dom, 29/11/09
por Décio Sá |

Brasília- Imagens e diálogos do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), recebendo dinheiro e comandando diretamente um esquema de distribuição de propina a deputados aliados tornaram insustentável sua situação, segundo seu próprio partido. A Rede Globo mostrou uma imagem em que Arruda, então candidato a governador em 2006, recebe um maço de dinheiro do presidente da Codeplan e seu futuro secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa Rodrigues. Clique ao lado e veja.

Na gravação, Arruda aparece sentado no sofá na sala do gabinete de Durval, no 10º andar do prédio anexo do Palácio Buriti. Ele está sem terno, sentado de forma relaxada, quando Durval surge no vídeo e lhe entrega o dinheiro. Segundo investigação da PF, com gravações autorizadas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), Arruda, já como governador, comandava uma “organização criminosa” que arrecadava dinheiro de empresas com contratos com o governo do DF e distribuía os recursos mensalmente para deputados aliados, integrantes do governo e para o próprio governador.

A Rede Globo mostrou também uma cena na qual o jornalista Omézio Pontes, assessor de imprensa de Arruda, aparece recebendo vários maços de dinheiro, repassados por Durval. Omézio está sentado numa cadeira, próximo à mesa do secretário. Segundo a TV Globo, o total dessa entrega é de R$ 100 mil. Ainda segundo a emissora, a Polícia Federal não encontrou montagem no vídeo, mas vai enviá-la para perícia no Instituto Nacional de Criminalística.

Para a cúpula do DEM, cujo único governador é Arruda, a situação dele ficou insustentável. Após a divulgação das imagens, o advogado José Gerardo Grossi, que defende Arruda, disse que aquele dinheiro foi usado para a compra de panetones a serem doados no Natal. O governador passou o dia recluso. Na sexta-feira, ele afastou seus secretários envolvidos no esquema, segundo as investigações da PF, e alegou que o esquema de corrupção teria começado no governo anterior, de Joaquim Roriz, admitindo que pode ter continuado na sua gestão.

A cúpula do DEM convocou uma reunião extraordinária da Executiva Nacional do partido para decidir sobre a expulsão de Arruda. Dirigentes do DEM admitiram no sábado que é inegável a contundência das provas contra Arruda. As gravações foram feitas por Durval, que denunciou o caso ao Ministério Público e à Polícia Federal. As conversas então foram filmadas e gravadas por Durval, este ano, com monitoramento da PF.

No domingo, uma comissão do DEM tentará ouvir as explicações de Arruda, mas muitos dirigentes reconhecem a dificuldade do governador para justificar o que já é chamado de mensalão do DEM. O partido teme a associação desse episódio com o mensalão do PT – o pagamento de propina a parlamentares do Congresso pela cúpula do PT e Marcos Valério, um dos operadores do esquema, em troca de apoio ao governo Lula. Valério foi peça-chave também num esquema de distribuição de recursos na campanha pela reeleição do então governador de Minas, o tucano Eduardo Azeredo, em 1.998.

No sábado, a OAB-DF anunciou que estuda a possibilidade de pedir o impeachment do governador. Com apenas 5 dos 24 integrantes da Câmara Legislativa do Distrito Federal, a oposição – formada por quatro deputados do PT: Chico Leite, Érica Kokay, Cabo Patrício, Paulo Tadeu; e um do PDT, José Antonio Reguffe – vai propor na terça-feira a abertura do processo.

O presidente nacional do partido, deputado Ricardo Berzoini (SP), no entanto, afirmou em seu perfil no twitter que não concorda com o impeachment do governador: “Não defendo o impeachment do Arruda. Defendo que as investigações sejam feitas, com serenidade, sem baixaria”, disse.

A oposição quer ainda instalar uma CPI para investigar o escândalo e abrir processos por quebra de decoro contra quatro deputados supostamente envolvidos no caso.

Veja aqui íntegra do inquérito contra o governador.

(Com informações do Globo Online, Folha Online e G1).



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade