Formulário de Busca

“Nenhum homem público do Maranhão tem a ficha mais limpa que a minha”, diz Jackson Lago

seg, 05/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O ex-governador Jackson Lago (PDT) afirmou no final da manhã desta segunda-feira no TRE que nenhum homem público do Estado “tem a ficha mais limpa”  que a dele. A declaração foi uma resposta a possível impugnação de sua candidatura em decorrência da Lei da Ficha Limpa.  O pedetista esteve no tribunal na companhia dos candidatos a vice-governador Luiz Porto e ao Senado Roberto Rocha e Edson Vidigal (PSDB) para registrar a chapa “O Povó é Maior” (PDT/PSDB/PTC).

Jackson registra chapa“Ninguém na vida pública do Maranhão tem a vida e a ficha mais limpa que o Jackson Lago. Fui três vezes prefeito de São Luís e dois anos governador. Meu patrimônio continua o mesmo. Nunca aumentou um centavo além do meu salário. Não sou sócio de nenhuma empresa. Estou na vida pública para mostrar ser possível exercer cargos e permanecer com as mãos limpas”, disse.

O governador cassado, acusado pelo Ministério Público Federal no bojo da Operação Navalha de receber 8% de propina de obras da construtora Gautama no Estado, declarou não duvidar que possa ter a candidatura impugnada.

“Eu tenho a vida, as mãos e a consciência tranqüilas. Mas quem luta contra essas estruturas viciadas tudo pode acontecer. No entanto, não creio que o Brasil assista pela segunda vez uma violência dessa natureza. Se as estruturas dominantes do Estado, que convivem com instituições nacionais, não aceitam a vontade do povo do Maranhão, isso é outra questão. Eu não aceito que pela segunda vez queiram desrespeitar a vontade de nossa população”, completou.

Jackson disse que “tudo é possível” ao ser questionado sobre uma possível ação do Ministério Público Eleitoral contra ele. “O povo constatou que todo tipo de violência é possível. O Brasil inteiro não vai aceitar que pela segunda vez se cometa uma violência contra a vontade da maioria do povo do Maranhão”, reforçou.

O ex-governador disse ainda que se sua candidatura for impugnada “haverá defesa”. “Eles farão isso sempre porque temem a candidatura de Jackson Lago. Vamos obter a segunda vitória sobre a representante da oligarquia. Sabemos que eles não querem perder pela segunda vez, mas vão perder”, assinalou.

O pedetista previu gastos de R$ 15 milhões na campanha. Os candidatos ao Senado R$ 10 milhões cada. Cada deputado federal da coligação “O Povo é Maior” R$ 4 milhões e os estaduais R$ 2 milhões. A aliança lançou cerca de cem candidatos.

Sub judice, Jackson vai ao TRE registrar chapa

seg, 05/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Com a candidadura sub judice por conta da Lei da Ficha Limpa, o ex-governador Jackson Lago (PDT) e o pastor Luiz Carlos Porto (PSDB) formalizam daqui a pouco, às 11h no TRE, o pedido de registro de sua candidatura ao gGoverno do Estado e demais integrantes da coligação “O Povo é Maior” (PDT-PSDB-PTC).

Coligação de Jackson Lago apoiará tucano José Serra à Presidência

Coligação de Jackson Lago apoiará tucano José Serra à Presidência

Jackson chegará ao tribunal em companhia dos candidatos ao Senado Roberto Rocha e Edson Vidigal, ambos do PSDB, deputados federais, estaduais, lideranças políticas dos partidos coligados e entregará pessoalmente a documentação ao representante do Cartório Eleitoral. Roberto terá como suplentes o ex-chefe da Casa Civil Pedro Maranhão e o vereador José Joaquim (PSDB), respectivamente. Já os de Vidigal serão o ex-prefeito de Barreirinhas Léo Costa (PDT) e o ex-deputado Lula Almeida (PSDB). O vice de Jackson deve ser mesmo o pastor Luiz Porto (PSDB)

“A partir do dia 6 estaremos em condições legais de iniciarmos nossa campanha. Vamos discutir nosso programa de governo com a população com objetivo de reiniciarmos as obras que foram paralisadas por conta de um golpe judicial”, observou Jackson.

Em cumprimento à lei que estabelece a apresentação do plano de governo no ato do pedido de registro de candidaturas majoritárias, a coligação confirmará as diretrizes que nortearão o próximo mandato do pedetista. Em síntese, Jackson Lago apresentou um plano que pretende ratificar a descentralização administrativa e a participação popular, marcas do seu mandato interrompido por causa da cassação.

Além do fortalecimento da política municipalista, o governador cassado se propõe a nortear seu mandato popular, a partir da avaliação do curto período em que esteve à frente do Executivo estadual, dando continuidade aos grandes projetos na política de saúde no estado, com a implantação dos socorrões regionais. No programa também é mencionado o apoio aos empreendimentos regionais e aos grandes projetos econômicos como a implantação da refinaria Premium da Petrobras no município de Bacabeira,
 
Os três partidos vão se coligar também na eleição proporcional. O “chapão” vai apresentar com o número máximo de candidatos permitido pela legislação.  O PDT, por exemplo, vai apresentar uma lista com nove candidatos a deputado federal e 18 concorrendo a um mandato na Assembleia Legislativa.
 
A caravana da coligação se concentrará na sede do diretório estadual do PDT, no Olho D’água, de onde seguirá para o TRE. Após a formalização do pedido de registro, Jackson Lago vai iniciar a montagem do seu cronograma de visitas ao interior do Estado, assim como acelerar a colocação de sua campanha na rua. Deve começa a caminhada de volta ao Palácio dos Leões pelas regiões tocantina e sul do Maranhão.

“Ficha-suja”, Jackson ataca justiça em convenção

dom, 27/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Com possibilidade real de ter a candidatura cassada por conta da lei que proíbe a candidaturas de políticos “ficha-suja”, o governador cassado Jackson Lago (PDT) atacou ontem duramente a justiça durante a convenção que homologou seu nome como candidato ao governo. Segundo ele, o grupo da governadora Roseana Sarney (PMDB) “articulou com as estruturas corruptas de poder da República ( a justiça no meio) o nosso afastamento”.

Imagens do tucano José Serra e Jackson decoraram palco da convenção

Imagens de José Serra e Jackson decoraram palco da convenção

“Por que cassaram o nosso mandato. Será, como eles dizem, porque o então governador (José Reinaldo Tavares) assinou convênio com o prefeito de Codó (Biné Figueiredo), em abril de 2006? Eu não era nada, não tinha função pública. E aí cassaram nosso mandato. Mentira! Cinismo!”, disse o ex-governador.

Já no final de seu discurso, acusou a governadora Roseana Sarney (PMDB) de ter “trancado” um convênio eleitoral firmado por ele às vésperas de sua cassação com o prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB) no valor de R$ 150 milhões – o Governo do Estado repassou antecipadamente ao município R$ 73,5 milhões. “Esse governo falso, ilegítimo, que aí está, cassou nessa falsa justiça esses recursos. Até hoje o prefeito não conseguiu usá-los”, disse.

Em almoço-entrevista há duas semanas com um grupo de jornalistas, Roseana explicou que esperava a prefeitura devolver os recursos para refazer o convênio. Castelo retirou os R$ 73,5 milhões da conta do convênio, o que seria ilegal. O Tribunal de Justiça determinou a devolução do dinheiro ao erário, decisão até hoje não cumprida.

Aliados também atacam

Os aliados também não pouparam críticas principalmente à Justiça Eleitoral. “Golpe judiciário” foi o termo mais ameno com que foi tratada a decisão do TSE que cassou o ex-governador em 2009.

O vice-governador cassado Luiz Carlos Porto, o Pastor Porto (PSDB), afirmou que a decisão da Corte Eleitoral foi uma “inversão de valores”. “Como eu poderia estar ali (no TSE) como um criminoso? Sabia que não havia nada de errado. Aquilo foi uma inversão de valores”, discursou.

O ministro aposentado do STJ e ex-ministro do TSE, o pré-candidato ao Senado Edson Vidigal (PSDB), garantiu que a Lei a Ficha Limpa não atingirá Jackson. 

“A não ser que todos os livros de direito tenham de ser queimados nas fogueiras juninas. A não ser que todos os professores de direito tenham de ser demitidos. A não ser que todas as faculdades de direito tenham de ser fechadas. A não ser que os princípios do direito, no mundo inteiro, tenham de ser deletados. O Supremo (Tribunal Federal), como guardião da Constituição, desproverá uma injúria dessa de que Jackson não será candidato”, afirmou.

O prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo (PDT), disse que “nós não temos de temer aqueles que querem imputar a Jackson o ficha-suja. Jackson não é ficha-suja. Ficha-suja são aqueles que estão por aí”.

Já para Castelo, é o povo que terá de “corrigir” o “erro” do TSE. “O que nós queremos é corrigir um grande equívoco. É o povo quem vai decidir se pode mais ou se ele não pode mais”, declarou.

No Twitter, Flávio Dino confirma convenção para 4ª

dom, 27/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Apesar das informações detalhadas do pré-candidato ao Senado Edson Vidigal (PSDB) dando conta de uma possível desistência e da articulação para colocar o ex-governador José Reinaldo (PSB) em seu lugar na chapa de Jackson Lago (PDT), o deputado Flávio Dino (PCdoB) confirma para esta quarta-feira, na Assembleia Legislativa, a convenção que deve homologar seu nome como candidato ao governo.

Twitter Dino“Amanhã vamos torcer muito pelo Brasil. Terça vamos fechar nossa chapa. Quarta nossa convenção, às 16h, na Assembleia. Definindo coligacões e candidaturas. Tudo normal. Nos próximos dias, muito diálogo, muitas reuniões. Normal. Qualquer fato novo, comunico via twitter, em primeira mao”, diz ele.

Numa provável referência a mim e ao colega Marco D’Eça, o deputado afirma na rede de microblogs que “assessores de imprensa da governadora Roseana Sarney falam de mim todos os dias, todas as horas. Ótima propaganda do meu nome.”

Da minha parte o que existe é o fato de ser funcionário do Sistema Mirante, empresa da qual a governadora é sócia. O problema do comunista é que, no alto de sua arrogância, ele só fala com a chamada grande imprensa. Trata os jornalistas locais como se fossem subalternos. Quer que a gente fique dando notícias enviadas por seu assessor de imprensa e faz-tudo na campanha Márcio Jerry.

O blog vem e continuará se recusando a dar este tipo de informação, a não ser em casos excepcionais. Afinal, o candidato é Márcio Jerry ou Flávio Dino? Se formos analisar pelo que tem sido divulgado, o candidato é mesmo o primeiro. Ele aparece muito mais que o pretenso candidato do PCdoB.

Aliás é bom lembrar, com a notícia da desistência de Flávio Dino divulgada por Vidigal, que o presidente municipal do PCdoB já enterrou as carreiras do casal Jomar e Terezinha Fernandes. O ex-juiz federal seria a próxima vítima?

Vidigal detalha desistência de Dino e acusa Zé Reinaldo de ter feito ‘arapuca’ para ele em 2006

sáb, 26/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Em comentário ao blog do Cardoso, o pré-candidato ao Senado Edson Vidigal (PSDB) dá todos os detalhes de como soube da desistência do deputado Flávio Dino (PCdoB) da disputa pelo governo. Vidigal conta que estava na sede do PDT nesta sexta-feira à noite quando o presidente da Assembleia, Marcelo Tavares (PSB) , e o prsidente do PSB, José Antonio Almeida, chegaram para pedir a participação do PSB na chapa de Jackson Lago (PSDB).

vidigal X zé reinaldoNo entanto, o partido exigia uma das vagas ao Senado para o ex-governador José Reinaldo. Vidigal, obviamente, teria de abdicar de sua candidatura. “Eu estava sentado ao lado do Roberto, entao disse – Roberto, isso é contigo. Tu és o presidente do partido, mas acho que devemos consultar o Castelo, o Madeira, o Ildemar, os nossos deputados federais e estaduais. Fui falando assim e foi se impondo um silêncio sepulcral na sala. Logo eles, Marcelo e Ze Antonio, saíram e o Aderson foi levá-los até à porta”, disse o ex-ministro.

Vidigal diz ainda ter avisado ao comunista que ele poderia ser vítima da mesma “arapuca” passada por ele em 2006. Ele acusa o tentão governador José Reinaldo de arma-lhe uma “arapuca” na ocasião. “Antes que isso tudo chegasse ao que chegou eu mesmo o avisei, como amigo, várias vezes – cuidado com essa conversa porque tu (Flávio Dino) podes acabar sendo o Vidigal da vez. Referia-me à aventura em que de boa fé me lancei achando que poderia disputar uma eleição e chegando aqui, despojado de tudo, me vi aprisionado numa arapuca e aí não havia mais caminho de volta, eu continuava e mantinha a dignidade ou caía fora e ninguém iria entender e seria incompreensivelmente cobrado pelo resto da vida.”

Abaixo, a íntegra do desabafo de Vidigal:

“As pessoas tem o mal de costume de não tratar as outras com o devido respeito. Me ofendem e me insultam apenas porque dei a conhecer fato verdadeiro sobre o qual ninguem pediu segredo. Assuntos de interesse público devem ser do conhecimento público. Não mereço as ofensas que a paixão gratuita dissemina contra mim em todos os sentidos.

Ontem, estávamos na sede do PDT quando, por volta das 22h, recebemos a visita do presidente da Assembleia, deputado Marcelo Tavares (PSB), acompanhado do presidente estadual do PSB, o ex-deputado José Antonio Almeida. Eu havia saído para ir a minha casa, que fica próxima, e ao retornar à sala do ex-candidato a prefeito de São Luís Clodomir Paz, coordenador da campanha do Jackson, encontrei os dois queridos amigos pessoais do PSB e, juntos estavam o deputado Brandão, o deputado Chico Leitoa, o ex-deputado Aderson Lago, o ex-deputado Wilson Carvalho, o prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo, o Clodomir, o Roberto Rocha, e quando entrei na sala fizeram silêncio.

Falei brincando o que houve? Só porque eu retornei a reunião agora está em off? Foi quando o Marcelo deu a conhecer, ou repetiu o sentido da sua missão, àquele recinto.

Ele estava ali em companhia do presidente do PSB, legitimando sua missão, para dizer que o PSB queria coligar conosco nas proporcionais mas a condição era uma vaga da chapa ao Senado para o Zé Reinaldo. Nada mais lógico, do ponto de vista deles. E o Flávio, que assim estaria sendo abandonado, perguntei – como fica o Flávio? O Flávio está fora, respondeu. O Flávio será candidato a deputado e nós queremos uma vaga de senador para o Zé Reinaldo.

Eu estava sentado ao lado do Roberto, entao disse – Roberto, isso é contigo. Tu és o presidente do partido, mas acho que devemos consultar o Castelo, o Madeira, o Ildemar, os nossos deputados federais e estaduais. Fui falando assim e foi se impondo um silêncio sepulcral na sala. Logo eles, Marcelo e Ze Antonio, saíram e o Aderson foi levá-los até à porta.

Foram todos embora e ainda fiquei conversando com Chico Leitoa e Clodomir querendo entender aquilo tudo que, como dizia Mateus do Corintians, poderia ser uma faca de dois legumes. Fui encontrar Eurídice e fomos comer carangueijo na Litorânea. Era quase meia-noite quando me veio a ideia de avisar pelo Twitter só a manchete do que havia acontecido. Muita gente tem interesse na candidatura do Flávio e nós também.

Antes que isso tudo chegasse ao que chegou eu mesmo o avisei, como amigo, várias vezes – cuidado com essa conversa porque tu (Flávio Dino) podes acabar sendo o Vidigal da vez. Referia-me à averntura em que de boa fé me lancei achando que poderia disputar uma eleição e chegando aqui, despojado de tudo, me vi aprisionado numa arapuca e aí não havia mais caminho de volta, eu continuava e mantinha a dignidade ou caía fora e ninguém iria entender e seria incompreensivelmente cobrado pelo resto da vida.

Ora, o próprio Rabelo, presidente nacional do PCdoB, pessoa por quem tenho grande estima pessoal e respeito político, ja havia me dito, na presença do Flávio, num jantar em minha casa, que ele, Flávio, não seria candidato a governador porque sendo um dos mais brilhantes dos deputados do PCdoB o partido não iria abrir mão dele na Câmara. Seria candidato à reeeleição. Aqui no Maranhão foi que trataram de inocular-lhe a mosca azul e ele, jovem e de boa fé, acreditou no que eu também havia acreditado.

Então a jogação de toalha anunciada na reunião de ontem não seria novidade para mim.

Pouco antes da meia-noite passei a notícia adiante e o resultado é que, ao invés de lamentarem a situação terrível em que jogaram o Flávio, muitos preferem me agredir, me faltando com respeito. Muitos não me conhecem, ignoram a minha história de vida, desde moço nas lides estudantis combatendo contra o caciquismo vitorinista e sempre sem razão alguma para mudar de opinião quanto a qualquer forma de dominação do nosso povo.

O tempo já e já vai dizer se na reunião de ontem à noite alguém estava blefando usando, mais uma vez o Flávio, ou se tudo que foi dito ja era verdade indesmentivel ou não.”

Vidigal anuncia desistência de Flávio Dino

sáb, 26/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O deputado Flávio Dino (PCdoB) teria desistido de sua candidutara ao governo. A informação circulou com força entre dirigentes do PDT e PSDB que participaram da convenção que homologou a candidatura do ex-governador Jackson Lago (PDT) neste sábado pela manhã. Havia , inclusive, a expectativa que o comunista comparecesse ao evento, mas ele não apareceu.

Vidigal TwitterCandidato ao Senado, o tucano Edson Vidigal deu a nótícia via Twitter (veja reprodução ao lado ou aqui), conforme informado pelo blogueiro timonense Ludwig Almeida (aqui). “PSB acaba de propor coligação c/PDT porque Flávio Dino já está fora”, diz o ministro aposentado na rede de microblogs.

Durante a convenção não foi anunciado o nome do candidato a vice de Jackson possivelmente para esperar alguém do PSB, segundo informou ao blog o prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB). De acordo com ele, “o carrasco da candidatura do deputado Flávio Dino foi o presidente Lula”. Ele rechaçou qualquer iniciativa de apoio ao comunista. “Nós temos de construir um palanque para o José Serra (PSDB) e não dois palanques para a Dilma”, explicou.

Questionado após a convenção, o deputado federal Carlos Brandão (PSDB) também disse ter ouvido rumores sobre a desistência do comunista. “Eu ouvi isso aqui (na convenção).”

A informação da possível desistência de Flávio Dino chegou aos dirigentes tucanos e pedetistas através do presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Tavares (PSB). Ele teria se reunido ontem com membros da coligação PSB/PCdoB para discutir o assunto.

Em conversas reservadas, Dino tem chamado Jackson de “irresponsável” por manter uma candidatura sub-judice podendo vir ser cassado em decorrência da Lei da Ficha Limpa. Tem dito ainda que, ao contrário do ex-governador, não levará seus companheiros ao “suicídio político”.

Flávio Dino chorando eleiçãoOutro lado

Via Twitter também o deputado reafirmou ontem a a realização da convenção que homologará seu nome para o próximo dia 30 (aqui). “Chegando em Sao Luis, depois de Brasilia e São Paulo. Lutando pelo fortalecimento da nossa candidatura. Convencão, dia 30, 16 h. Avante.”

O blog tentou contato com a assessoria do comunista, sem sucesso. No entanto, o assessor Márcio Jerry admitiu ao blog do Marco D’Eça (aqui) a capitulação. “Se vier a ocorrer (a desistência), por conta de um eventual isolamento, isso não siginifca que o PCdoB irá aderir automaticamente a Jackson”, disse.

Nesse cenário, o deputado disputaria a própria reeleição.

Em ‘standy-by’, Vidigal quer ser opção a Jackson

sex, 18/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Sob o tíutlo de “Mais Um”, a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, informa nesta sexta-feira que o pré-candidato do PSDB ao Senado no Maranhão, Edson Vidigal, está em “standy-by” para ocupar uma possível vaga de vice na chapa do tucano José Serra (SP). “Candidato ao Senado pelo Maranhão, o tucano Edson Vidigal diz que dirigentes do PSDB pediram seu currículo para que ele ficasse de ‘stand-by’ para a possibilidade de ser vice do presidenciável José Serra. Ele desembarca em SP nos próximos dias para ‘conversas’” (veja aqui).

Vidigal quer viabilizar sua candidatura ao governo

Edson Vidigal quer viabilizar seu nome ao governo

No entanto, desde de ontem Vidigal se movimenta freneticamente nos bastidores do PSDB e dos partidos em torno do ex-governador Jackson Lago (PDT) no sentido de vir a substitui-lo por conta Lei Ficha Limpa. Nas eleições de 2006, ele teve cerca de 15% dos votos. O ministro reclama até hoje do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) que o convenceu a deixar a presidência do STJ, mas não lhe deu as condições necessários para realizar sua campanha.  Aliás, o próprio José Reinaldo tem interesse nesse cenário já que tira um adversário da disputa pelo Senado.

Com bom trânsito na oposição, ele é menos rejeitado que o comunista Flávio Dino, contra quem há forte oposição principalmente de setores do PDT. Outra opção seria o presidente do PSDB, deputado Roberto Rocha, mas ele está empolgadíssimo com a recepção do eleitorado a sua candidatura ao Senado.

Ex-deputado federal, Vidigal, apesar de defender Jackson, acha que chegou a hora da oposição lhe compensar pelo esforço feito em 2006 quando abandonou o segundo tribunal da América Latina no sentido de ajudar a derrotar Roseana Sarney. Diz para todo mundo que sem seus 15% não teria segundo turno e Jackson jamais teria sido eleito.

Quer agora, com todo direito, cobrar a fatura.

Cuidado com o que você anda lendo por aí!

sex, 18/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

capa JP 180810

Leia a íntegra da matéria aqui.

Zé Reinaldo ‘coopta’ Jackson Lago contra Roberto

ter, 11/05/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O ex-governador José Reinaldo (PSB) resolveu investir mesmo forte contra uma pretensa candidatura do deputado Roberto Rocha (PSDB) ao Senado numa coligação com o PDT. Depois de mandar alguns recados para o tucano através de notas no Jornal Pequeno, agora “cooptou” o cassado Jackson Lago (PDT) para seu projeto de barrar as pretensões do tucano.

José Reinaldo usa Jackson contra Roberto

Zé Reinaldo quer minar Roberto

Em entrevista domingo à Rádio Capital, de propriedade do próprio Roberto, Jackson defendeu que o deptuado componha sua chapa como candidato a vice-governador. “Ficaria feliz se o deputado Roberto Rocha, com sua juventude, com a grande experiência política que tem, com seu talento, pudesse ser meu companheiro de chapa, pois compensaria algumas de minhas limitações”, disse o pedetista.

Essa entrevista aconteceu domingo. Um dia antes, no sábado, José Reinaldo e Flávio Dino (PCdoB) se reuniram com Jackson em seu apartamento, segundo revelou o próprio socialista em artigo publicado hoje. Ele disse que a reunião foi para acertar um acordo de Jakckson e Dino visando o segundo turno.

No entanto, segundo uma fonte presente ao evento, o assunto Roberto foi discutido reservadamente pelos três. Daí porque no dia seguinte o pedetista daria entrevista apelando para o deputado ser seu vice. Acompanhando todo o noticiário, o tucano diz que não abre da disputa ao Senado. Segundo aliados, ele se “empolgou” com a ideia de ser senador.

José Reinaldo, como se sabe, quer ser candidato ao Senado pela chamada “oposição” tirando todos os adversários do páreo, ou seja, por “WO”. Já cooptou Bira através de uma “boquinha” para sua mulher na Assembleia. Agora tenta implodir as pretensões de Roberto. Será que vai conseguir?!

José Reinaldo usa JP para atacar Roberto Rocha

dom, 09/05/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Foi só o deputado Roberto Rocha (PSDB) colocar a cabeça de fora para começar a pegar as primeiras bordoadas. Sob o título de “Saída Honrosa”, a edição de sábado da coluna Estado Maior, de O Estado Maranhão (veja post abaixo), revelou a possibilidade do tucano tentar uma vaga ao Senado numa coligação com o PDT.

Roberto Rocha 080510Foi o bastante para os aliados do ex-governador José Reinaldo (PSB) e do ministro aposentado Edson Vidigal (PSDB) começarem a atacar Roberto (foto). A edição deste domingo do Jornal Pequeno publica nada menos que quatro notas sobre o assunto. Como se sabe, o matutino segue o pensamento político do socialista.

Primeiro, o jornal insinua que a provável candidatura do tucano beneficiaria o grupo da governadora Roseana Sarney (PMDB). Depois afirma que somente a ameaça do deputado ser mesmo candidato ao Senado já estaria gerando crise na oposição.

“Essa história de candidatura do Roberto Rocha ao Senado interessa a quem mesmo? A Zé Reinaldo e a Vidigal é que não é. Dois dos principais expoentes da oposição na vitória de 2006, e pré-candidatos ao Senado, Reinaldo e ‘Vidiga’ não estão gostando nada dessa história. Resultado: desunião. Bom, o melhor mesmo é esperar ‘desanuviar’ mais um pouco”, diz o jornal na coluna que o diretor Lourival Bogéa assina com o pseudônimo de “Dr. Pêta”.

Como se sabe, José Reinaldo quer ser candidato a senador tirando todos os adversários do caminho. Ja cooptou Bira do Pindaré (PT) com uma “boquinha” para mulher dele na Assembleia Legislativa. E agora já investe contra Roberto.

O próprio deputado chegou a dizer que sua candidatura estaria incomodando o grupo Sarney. Como se viu hoje nas notas do JP, não é isso que parece estar acontecendo.

É por essa e por outras que o senador Epitácio Cafeteira (PTB) chamou essa turma de “Frente da Traição”.



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade