Formulário de Busca

TSE tumultua processo eleitoral, diz presidente do PT

qui, 01/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Brasília – A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de proibir a presença dos presidenciáveis no palanque eletrônico de candidatos a governador cujas coligações estaduais envolvam mais de um partido com candidato a presidente desagradou ao governo e à oposição.

José Eduardo Dutra

José Eduardo Dutra

As direções de PT, PV, PMDB e PSDB foram apanhadas de surpresa. O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, acusou o TSE de tumultuar o processo.

A decisão do TSE foi tomada em função de uma consulta feita pelo PPS sobre a disputa no Rio. O tribunal decidiu que o candidato a governador Fernando Gabeira (PV) fica impedido de fazer campanha no horário eleitoral gratuito com o tucano José Serra ou com Marina Silva, de PSDB e PV respectivamente, ambos de sua coligação.

Ontem a direção do PT correu para anular algumas coligações estaduais, na tentativa de impedir estrago na campanha na TV para Dilma, mas não deu tempo. O PT só conseguiu reverter o caso da Bahia, onde a coligação de Jaques Wagner (PT) incluía o PSL, coligado nacionalmente com o PSDB.

No caso do Acre, onde a coligação do candidato a governador Tião Viana (PT) inclui o PV, não foi possível reverter. Apesar da irritação com o TSE, o PT não vai recorrer.

— Essas decisões do TSE tomadas em cima da hora tumultuam o processo eleitoral. E é uma lei contraditória, porque outra lei diz que toda mudança de regra eleitoral tem de ser tomada um ano antes da eleição. Agora o TSE faz esses entendimentos em cima da hora, quando as coligações estão fechadas, tumultuando o processo. Disparamos todo mundo do partido nos estados para fazer um pente fino, mas não tem mais como trocar — reclamou Dutra.

No caso do PT, além de Tião Viana, que não poderá mostrar Dilma em sua propaganda na TV, o candidato do PMDB ao governo da Bahia, Geddel Vieira Lima, também não poderá aparecer com a petista. Sua coligação estadual inclui o PTB, que em nível nacional está com o PSDB.

O mesmo acontece com a candidata do PMDB ao governo do Maranhão, Roseana Sarney, que brigou tanto para ter apoio do PT. Ela não poderá aparecer ao lado de Dilma na TV, porque sua coligação inclui o DEM, que, nacionalmente, apoia Serra.

O caso do Maranhão é emblemático. Nem Dilma poderá aparecer no horário eleitoral de Roseana, nem Serra aparecerá com Jackson Lago (PDT), coligado em nível estadual com o PSDB, mas nacionalmente com o PT. Flávio Dino (PCdoB) está na mesma situação porque recebeu ontem o apoio do PPS, que apoia Serra.

— Não acho a decisão correta. Não sei se cabe recurso. Mas não vamos recorrer — protestou o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP).

O estrago será feito também no palanque eletrônico de Serra. Além da campanha de Gabeira, ele não poderá aparecer no horário de TV de André Pucinelli, candidato do PMDB ao governo de Mato Grosso do Sul com apoio do PSDB; de Jarbas Vasconcelos (PMDB), que se candidatou ao governo de Pernambuco só para lhe fazer um palanque forte; e de Joaquim Roriz, candidato ao governo do DF. PMDB e PSC estão na coligação nacional do PT.

(Com informações de O Globo).

Radicais do PT voltam ‘perturbar’ TSE em nova ação

sex, 25/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Dirigentes do PT do Maranhão entraram com nova ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nesta sexta-feira (25), pedindo liminar que anule a decisão do comando nacional da legenda de formar aliança com o PMDB no Estado, apoiando a candidatura de Roseana Sarney ao governo local.

Dutra culpou advogados por erro na 1ª ação

Dutra culpou advogados de Flávio Dino por erro na 1ª ação

No dia 11 de junho, o diretório nacional da sigla revogou a decisão adotada no encontro do PT no Maranhão, que havia definido o apoio à candidatura do deputado federal Flávio Dino (PCdoB) ao governo do estado.

Após intervenção, PT do Maranhão indica candidato a vice de RoseanaPT revoga decisão de diretório estadual e aprova apoio a Roseana Na última segunda-feira (21), o ministro Hamilton Carvalhido já havia negado pedido semelhante.

Ele afirmou não ter reconhecido a legitimidade dos dirigentes maranhenses para entrar com a ação e alegou falta de provas da suposta intervenção por parte da direção nacional da sigla. Na ocasião, o deputado Domingos Dutra (PT-MA) informou ao G1 que houve erros dos advogados na elaboração da ação. A peça foi preparada pelo escritório jurídico de Flávio Dino.

Na nova ação, as lideranças maranhenses alegam que, na condição de filiados, tiveram seus direitos subjetivos violados, “afetando as suas condições de elegibilidade e, por consequência, o processo eleitoral”. Segundo os dirigentes, a decisão impugnada pelo comando nacional do partido foi referendada pelos delegados petistas em encontro realizado em março.

“A direção nacional resolveu ignorar deliberação da instância regional e aprovar uma coligação estadual majoritária e praticou um ato de vontade, pretendendo estabelecer uma autêntica ditadura partidária”, afirmaram os radicais do PT do Maranhão.

(Com informações do G1).

Presidente do PT: ‘Greve de fome é inconsequente’

qui, 17/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Do Terra:

Brasília – O presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), José Eduardo Dutra, afirmou na noite desta quarta-feira (16) que, a despeito da greve de fome do deputado Domingos Dutra (PT-MA), que protesta contra a decisão dos petistas de apoiarem a reeleição da governadora Roseana Sarney (PMDB) no Maranhão, não existe a possibilidade de o PT rever a posição de aliança e dar aval à candidatura do deputado Flávio Dino (PCdoB-MA). Na avaliação do dirigente, o jejum de Dutra reflete uma “mobilização inconsequente do ponto de vista político”.

José Eduardo Dutra

José Eduardo Dutra

“Achamos esse tipo de mobilização inconsequente do ponto de vista político porque não havia qualquer possibilidade de reversão do fato (da aliança pró-Roseana). Sabíamos que eles (petistas contrários à família Sarney) iam questionar a coligação do ponto de vista judicial, mas para nós essa coligação é irreversível”, declarou o presidente petista.

Na noite desta quarta Manoel da Conceição, fundador do Partido dos Trabalhadores no Maranhão, suspendeu por 24 horas a greve de fome que fazia desde a última semana contra a decisão da cúpula petista de renegar apoio à candidatura de Flávio Dino ao governo maranhense e de apoiar o projeto de reeleição da governadora Roseana.

O deputado Domingos Dutra, que também participa do jejum contra a determinação petista de se apoiar a campanha da filha do presidente do Senado, continua em greve, mas abriu espaço para uma negociação e admite interromper o protesto caso a Justiça dê ganho de causa à decisão do PT de apoiar a família Sarney.

Aliados de Dino e Dutra insultam presidente do PT

sex, 11/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Da Folha.com:

Brasília - Minutos após o Diretório Nacional do PT decidir forçar sua seção maranhense a apoiar Roseana Sarney (PMDB), integrantes da legenda no Estado começaram um protesto no saguão de entrada da sede nacional do PT.

José Eduardo Dutra

José Eduardo Dutra

Aos gritos, eles acusaram o partido de se subjugar à família Sarney e voltaram a fazer acusações de que houve compra de votos no PT maranhense.

Ao avistarem o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, começaram a insultá-lo, aos gritos, chamando-o de “fascista” e “Hitler”. Dias antes, Dutra já havia sido chamado de “Hitler” por petistas de Minas Gerais insatisfeitos com o acordo pelo qual o PT declarou apoio à candidatura de Hélio Costa (PMDB).

Dutra não respondeu diretamente aos manifestantes, que prometeram seguir para o gabinete de deputado federal Domingos Dutra (PT-MA), que teria passado a noite no plenário da Câmara em vigília contra o apoio a Roseana.

Em entrevista em uma sala reservada, o presidente do PT afirmou que a manifestação foi exagerada. “Respeito as divergências, mas esse tipo de manifestação não contribui em nada.”

Presidente do PT manda suspender encontro no MA e diz que aliança será definida pela Direção Nacional

qua, 19/05/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, determinou ontem a suspensão do encontro estadual do PT marcado para para amanhã que definiria os nomes dos candidatos do partido a vice-governador, senador e deputado.

Petistas entregam manifesto para José Eduardo Dutra

Petistas entregam manifesto para José Eduardo Dutra

Eduardo Dutra disse aos dirigentes locais da legenda, que estiveram nesta terça-feira na sede do PT Nacional em Brasília para entregar um manifesto com a assinatura de 99 delegados em favor da aliança da legenda com o PMDB da governadora Roseana Sarney, que a questão da composição do PT do Maranhão para as eleições deste ano será definida nos próximos dias pela Direção Nacional.

A comitiva maranhense foi formada pelo presidente do Diretório Estadual, Raimundo Monteiro, pelo suplente de deputado Washington Luiz Oliveira, os secretários Anselmo Raposo (Educação), José Antônio Heluy (Trabalho) e Edmilson Santos (Ação Social), presidente do diretório municipal, Fernando Silva, e os dirigentes estaduais Mundico Teixeira, Edmilson Carneiro e Rodrigo Comerciário.

“Lutamos por esta aliança por considerá-la o melhor palanque para a companheira Dilma Rousseff e também o melhor caminho para o PT no Maranhão”, explicou Raimundo Monteiro.

O encontro ontem em Brasília é fruto da reunião que integrantes do partido tiveram domingo com a governadora Roseana Sarney. A edição de hoje da coluna Panorama Político, de O Globo, publicada simultaneamente em O Estado Maranhão, diz que “o PT Nacional está se articulando para intervir no diretório do Maranhão”.

Mais uma prova que a definição da aliança PT/PMDB no Estado agora é só uma questão de tempo.

Deu no Globo: Lula garante apoio do PT a Roseana

sex, 14/05/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Por Gerson Camarotti e Maria Lima, em O Globo:

Brasília – Sob forte pressão da família Sarney para que o PT maranhense retire o apoio à candidatura do deputado Flavio Dino (PCdoB) ao governo, o presidente Lula garantiu ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e à governadora Roseana Sarney (PMDB-MA) que o partido apoiará a reeleição da peemedebista. E que isso será feito por uma decisão interna do partido. Lula recebeu os dois anteontem, antes de viajar para Moscou.

Dilma, Lula e Roseana em Bacabeira

Dilma, Lula e Roseana em Bacabeira

Para contornar o impasse, a proposta da direção nacional do PT é fazer uma nova votação no encontro estadual do partido, marcado para o dia 22 — na primeira votação, os petistas maranhenses aprovaram, com apenas dois votos de diferença, o apoio a Flávio Dino. Essa possibilidade aumentou ainda mais o clima de tensão entre aliados de Lula no Maranhão.

O deputado Domingos Dutra (PT-MA), opositor ferrenho da família Sarney, rechaça uma nova votação e fala em conflito, exagerando:

— Se tentarem mudar o resultado anterior e anular a aliança com Flávio Dino haverá morte, e Sarney será o culpado. Não vou deixar que mudem o resultado. Se tentarem fazer isso no Maranhão vai ter guerra — adverte Domingos Dutra.

Flavio Dino, do tradicional aliado PCdoB, reclamou da pressão dos Sarney. Disse que só a direção nacional do PCdoB pode retirar sua candidatura, e que isso não deve acontecer. Para Dino, com ou sem PT, ele segue candidato com o apoio do PSB.

— O que posso garantir é que não haverá palanque único aqui no Maranhão. O que nós do PCdoB reivindicamos é igualdade de tratamento. O PCdoB é o aliado mais tradicional do PT e sua única reivindicação de governador é aqui no Maranhão — protestou Dino.

O presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, disse que já falou ao presidente Lula e à pré-candidata Dilma Rousseff, que a candidatura de Flavio Dino é prioridade absoluta para o partido.

— Eu disse para o presidente Lula que não aceitamos um critério para o PT e o PMDB, que podem ter dois palanques nos estados, e outro para o PCdoB — disse Renato Rabelo.

O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, já deu sinal verde para a realização da nova eleição no PT maranhense.

Charge eletrônica: Dutra, o ‘cangaceiro’ esfomeado

sex, 07/05/10
por Décio Sá |
categoria Charges

Charge DUTRA -O VALENTÃOEssa chegou agorinha, quando eu já tinha colocado essa charge no ar. O jeito foi editar o post. É o seguinte:

Antes de deixar Imperatriz rumo a Itinga, a comitiva da governadora Roseana Sarney (PMDB) foi tomar café no Hotel Poseidon. Qual não foi a surpresa do grupo ao deparar-se com o deputado Domingos Dutra (PT) tomando café no local. O prato do petista, que ameaça fazer greve de fome e disse que “vai morrer gente” no Maranhão se houver novo encontro para definir a política local de alianças, dava quase meio metro de altura. Dura saboreava ovos mexidos, qualhada, pães de todo tipo, caldo de ovos, um prato panelada (muito comum na cidade), frutas de toda espécie e por aí vai. Ou seja, ele mentiu para Folha de S. Paulo quando disse que estava só a base de farinha com camarão seco e banana com pão, que fazem o organismo exigir água, diminuindo a fome (reveja).

Diante daquela cena inusitada, o vice-governador João Alberto (PMDB) resolveu provocar o aprendiz de Lampião:

- E aí Dutra, estás te preparando para a greve de fome?

Meio sem jeito, quase sem ter o que dizer, o deputado resolveu também provocar o vice-governador:

- João Alberto, eu não estou comendo tanto assim. Agora, se o PT for vice de Roseana quem vai perder és tu o cargo de vice-governador – afirmou;

- O que é que tem?! Não tem problema. Eu já fui deputado, senador, governador, já fui tudo! Minha preocupação é eleger Roseana – devolveu o peemedebista.

Segundo os presentes, a resposta do vice-governador fez Dutra perder o “rebolation”.

PT fará novo encontro para discutir apoio no MA

qua, 05/05/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Da Folha Online:

josé eduardo dutra 06022010O presidente nacional do PT, Eduardo Dutra (foto), disse nesta quarta-feira que o PT do Maranhão terá de realizar um novo encontro para definir quem o partido irá apoiar para o governo do Estado. No mês anterior, o PT garantiu apoio à candidatura do deputado federal Flávio Dino (PCdoB) em detrimento da reeleição de Roseana Sarney (PMDB).

Entretanto, o diretório do partido no Estado, “que também é legítimo”, deliberou pela participação no governo de Roseana, segundo Dutra. O PT ocupa três secretarias no Estado.

O deputado Domingos Dutra (PT) ameaça fazer uma greve de fome se o PT mudar de posição. Segundo a coluna Painel noticiou, ele já iniciou os preparativos e há dias só come farinha com camarão seco, dieta que ajuda o organismo a enfrentar a greve de fome.

A Folha apurou que a direção do PSB está reunida com a do PCdoB, que também resiste em desistir da candidatura, pois alega que o único candidato a governador do partido é Flávio Dino.

Flávio Dino gera constrangimento em encontro do PT

sáb, 27/03/10
por Décio Sá |
categoria Política local

O deputado comunista Flávio Dino voltou a provocar ontem constrangimentos ao PT na abertura do encontro onde o partido vai decidir se firma uma aliança com o PCdoB ou com o PMDB da governadora Roseana Sarney.

Dino, de camisa listrada vermelha, observa Helena Heluy

Dino, de camisa listrada vermelha, observa Helena Heluy

Dino forçou a barra para participar da mesa dos trabalhados do evento.Depois de muita discussão e visivelmente constrangido, o presidente da legenda no estado, Raimundo Monteiro, autorizou que ele fizesse parte da mesa, mas não daria uma palavra porque a discussão era interna. O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, também na mesa, observou tudo também visivelmente constrangido.

Além disso, Flávio Dino, chegou ao Sesc do Olho d’Água, local do encontro, com uma claque formada principalmente por funcionários de seu gabinete na Câmara dos Deputados.

Para forçar ainda mais a barra, o deputado e seus assessores distribuiram um panfleto onde ele aparece numa montagem grotesca na capa ao lado do presidente Lula e da ministra Dilma Roussef (Casa Civil). Na parte, interna encheu de fotos da campanha passada onde é visto ao lado de vários petistas que hoje defendem o apoio à aliança com o PMDB. A ideia foi constranger os “companheiros” que  não rezam na sua cartilha.

“Acho isso, no mínimo, uma falta de respeito por parte do Flávio Dino. Ele não deveria tentar interferir dessa forma numa discussão interna do PT. Liderança não se impõe, se conquista”, reclamou o ex-coordenador da campanha de Lula no Maranhão Evandro Sousa.

De acordo com vários delegados do PT, o ato do comunista demonstrou certo desespero dele com o resultado do encontro.

Nota: Post alterado às 11h para troca de foto.

Eduardo Dutra defende e pede reforço na tese PT/PMDB

sex, 26/03/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Os membros da corrente Construindo Um Novo Brasil (CNB) no estado pegaram nesta sexta-feira à tarde uma espécie de “puxão de orelhas” do presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, durante reunião fechada no antigo hotel La Ravardière, no São Francisco.

Zé Eduardo Dtura conversa com Monteiro

Dutra conversa com Monteiro

Dutra não só defendeu a aliança do PT e PMDB no Maranhão, como reclamou dos “companheiros”, do fato da tese apresentada por eles para o encontro estar ampla demais no sentido de abarcar todos os partidos da base de sustentação do governo Lula.

Em vez de apresentarem um texto defendendo a coligação direta com o PMDB, o grupo liderado pelo deputado Washington Oliveira, incluiu as outras legendas que dão sustentação ao governo do presidente. Isso, obviamente, inclui o PCdoB do deputado Flávio Dino, que também disputa o apoio do PT no encontro.

José Eduardo Dutra sugeriu que a tese tenha alguns pontos modificados para que fique mais clara e evite problemas futuros. Segundo ele, do jeito que está, poderá abrir brechas para que posteriormente os próprios defensores da coligação PT/PCdoB, caso sejam derrotados, reivindiquem uma nova reunião.

Para ser claro: o presidente do PT disse que se o texto não for mudado o partido pode ter de realizar um novo evento só para discutir o que foi decidido no iniciado hoje à noite.

José Eduardo Dutra chegou a São Luís à tarde. Primeiro teve um encontro reservado com a governadora Roseana Sarney (PMDB). Depois com membros e delegados da CNB, com a direção do partido e neste momento (22h10) está participando da abertura do encontro, no Sesc Olho d’Água.

À imprensa, ele disse que a orientação da coligação entre petistas e peemedebistas maranhenses foi definida no Congresso Nacional do partido, realizado mês passado. “Acho que a divergência é natural, mas a orientação para o encontro (do Maranhão) foi dada na resolução do congresso, que está acima de todos os encontros estaduais”, disse.

Ele explicou que as duas agremiações políticas já firmaram até um protocolo de intenções “no sentido de, em o PMDB participando da coligação, indique o vice da  (pré-candidata) Dilma Roussef. Nós temos de trabalhar (no Maranhão) também nessa direção”, completou.



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade