Formulário de Busca

“Estaria preocupado se eu tivesse sido vaiado”, diz Flávio Dino sobre manifestação contra Lula

qui, 01/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O candidato do PCdoB, deputado Flávio Dino, disse nesta quinta-feira que não existe nenhum acerto dele e do ex-governador Jackson Lago (PDT) sobre uma possível união num hipotético segundo turno das eleições. “Como diz o ditado popular: cada dia, uma agonia”, afirmou e completou citando o capítulo 3 do livro do Eclesiastes: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.”

Rubens Júnior, Miosótis, Dino e José Reinaldo: nem aí

Rubens Júnior, Miosótis, Dino e José Reinaldo: nem aí

O comunista, no entanto, declarou ter conversado com o ex-governador no sentido de nesse primeiro-turno eles fecharem um pacto de não-agressão. “Há um clima de respeito. É um momento de afirmação de candidaturas, que são distintas. Temos o entendimento que não haverá ataques recíprocos”, declarou durante coletiva realizada no Gran São Luís Hotel (ex-Vila Rica).

Vaias a Lula

O deputado afirmou que vota na petista Dilma Roussef mas seus apoiadores, principalmente os membros do PPS, estão liberados para votar e fazer campanha para o tucano José Serra (PSDB).

O deputado afirmou não ter ficado muito preocupado com as vaias que o presidente Lula recebeu de apoiadores de sua candidatura durante a convenção que homologou seu nome. “O que gostei muito foi que eu não fui vaiado. Estaria preocupado se eu tivesse sido vaiado”, declarou.

Durante a entrevista foram anunciados os dois suplentes do candidato José Reinaldo Tavares (PSB): o primeiro é o presidente do PPS, Paulo Matos, e a segunda é Socorro Nascimento (PSB). Já os suplentes do candidato Adonilson Lima ainda não estão definidos.

Vice-governadora

A candidata a vice, a psicóloga Miosótis Lúcio, disse que é instrutora e consultora do Sebrae. Nasceu no município de Patos, na Paraíba. “Sou sertaneja do pé rachado e gosto de atender gente”, definiu-se.

Ele disse estar no Maranhão há 12 anos, depois de passar alguns anos em Brasília. Contou já ter sido candidata derrotada a vice-prefeita em Governador Nunes Freire, na região do Alto Turi, onde estava estabelecida. “Estava me preparando para ser candidata a vereadora em 2012. Agora minha vida mudou.”

Convenção de Dino vira samba-do-crioulo-doido; senador elogia governo Lula e presidente é vaiado

qui, 01/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Luana de José Antonio discutem por cadeira para Ribamar Alves

Luana de Zé Antonio discutem por cadeira para Ribamar Alves

Um verdadeiro “samba-do-crioulo-doido” marcado por uma sucessão de gafes, erros e constrangimentos. Assim pode ser definida a convenção do PCdoB/PSB que homologou nesta quarta-feira a candidatura do deputado Flávio Dino (PCdoB) ao Governo do Estado. Com o apoio de última hora do PPS, a chapa terá a professora Miosótis Lúcio como candidata a vice-governadora, o ex-governador José Reinaldo (PSB) e o professor Adonilson Lima (PCdoB) ao Senado.

O festival de gafes começou com o atraso no início da convenção. Marcada para as 16h, só iniciou às 17h30 após a chegada do deputado ao auditório da Assembleia Legislativa onde militantes empolgados, trazidos por dezenas de ônibus, microonibus e vans, gritavam palavras de ordem. Antes da chegada do comunista, a mulher do deputado federal Ribamar Alves (PSB), Luana Alves, chegou a discutir com o presidente do partido, José Antonio Almeida, e a organização do evento, porque não havia cadeira reservada na mesa dos trabalhos para o marido.

Houve falhas ainda na execução do hino nacional e na veiculação do clipe com o jingle do candidato. O hino só começou a tocar quando o público já cantava. O jingle não foi executado. “Esse deejay é sarneisista”, gritavam alguns militantes. Apesar de ter cedido o local para o evento e ter ouvido vários políticos e dirigentes de movimentos sociais, o presidente da Assembleia, Marcelo Tavares (PSB), não teve direito a discursar.

Constrangimentos

convenção PCdoB 2O primeiro grande constrangimento quem passou foi o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE). Ao citar os avanços do governo Lula, ele teve de mudar o tom devido ao coro de vaias de militantes do PCdoB ao presidente. Integrante da ala radical, o vice-presidente do partido, Augusto Lobato, disse que “o PT é maior que Lula”. Nos meios políticos em todo país o entendimento é justamente o contrário. O contrangimento foi tanto que do meio para o final, Arruda (na foto de Biaman Prado sorrindo amarelo após as vaias a Lula) já não era mais visto à frente da mesa. Sumiu do local.

Na sequência, numa espécie de desagravo, vários oradores tentaram amenizar o clima e passaram a  defender o governo do PT. O deputado-radical Domingos Dutra fez um apelo à militância para “não transformar Dilma (Roussef) e Lula em nossos inimigos”. “Se tem alguém aqui para a gente defender é o Lula e a Dilma. É bom ter cuidado porque aqui tem muito fuxiqueiro”, completou.

O presidente do PPS, Paulo Matos, que pela manhã defendia o alinhamento da legenda à candidatura Jackson Lago (PDT) durante convenção em Bacabal, apareceu no meio do evento para hipotecar apoio a Flávio Dino. Ele foi vaiado ao tentar defender a candidatura do tucano José Serra (PSDB). Disse em bom tom que uma das condições do partido estar ali era justamente o apoio da coligação ao ex-governador paulista. Antes dele José Antonio já tinha detonado o PSDB. “O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso levou o Brasil ao retrocesso. O PSDB faliu o Brasil. No governo do PSDB venderam várias de nossas empresas.”

Messias

Ribamar Alves, que esteve sábado na convenção que homologou o nome de Jackson, brincou com seus quase dois metros de altura. “Temos o maior e o melhor deputados do Brasil. Ribamar Alves e Flávio Dino.” Ele comparou o candidato comunista ao messias que levou o povo cristão à terra prometida atravessando o Mar Vermelho. Segundo Ribamar Alves, a derrota do deputado à Prefeitura de São Luís em 2008 foi “uma coisa boa porque a missão dele é maior que a prefeitura; era ser candidato a governador.”

Paulo Matos que pela manhã defendia Jackson cumprimenta Dino

Paulo Matos: de manhã Jackson Lago; à tarde Flávio Dino

O prefeito de Caxias, Humberto Coutinho (PDT), chegou a dizer que Flávio Dino “foi presidente do CNJ” (Conselho Nacional de Justiça)”. Na verdade, ele foi presidente da Ajufe (Associação Nacional dos Juízes Federais) e membro do CNJ. Além de Coutinho, somente a prefeita Suely Pereira (PDT), de Matões, participou da convenção. Anunciado com “representante da região Tocantina e Sul do Maranhão”, o candidato a senador Adonilson Lima disse ter nascido no povoado Capa Bode, em Presidente Dutra, no Centro do Estado.

José Reinaldo confirmou ter tentado que apenas ele, pela coligação PCdoB/PSB, e um outro nome da aliança em torno de Jackson, fossem candidatos ao Senado. “Fizeram uma confusão danada. Não era medo. Era só para que pudéssemos demonstrar que estávamos unidos”, explicou sobre a tentativa frustrada de união.

Discurso

Flávio Dino falou durante meia hora mas não fez uma referência a Lula e nem a Dilma, candidata apoiada oficialmente pelo PCdoB. Disse apenas que carregaria as bandeiras do PCdoB, do PPS e do PT. Lembrou que na convenção tinham militantes de “muitos partidos” e era preciso ampará-los na campanha.

O deputado contou que jamais pensou em desistir e tentou culpar a imprensa pelas revelações feitas pelo candidato ao Senado Edson Vidigal (PSDB) sobre sua desistência. “Eu não desisto, não arredo, não ando para trás porque para o Maranhão andar para frente, nossa candidatura tem de avançar”, declarou em tom arrogante.

O comunista criticou a “propaganda enganosa do governo”, mas admitiu que projetos como as UPAS (Unidades de Pronto Atendimento) – a primeira delas no Anjo da Guarda recém inaugurada pela governadora Roseana Sarney – e a Refinaria da Petrobras, em Bacabeira, são bons e devem continuar.

Covnvenção Dino 4Ele elogiou a “experiência política e administrativa” de José Reinaldo. “A experiência de um homem que viveu do outro lago (grupo Sarney), mas possibilitou esse momento que estamos vivendo.” Em seguida disse que o ex-governador e Adonilson Lima seriam eleitos senadores.

“Serão ou não serão?”, questionou ao público. Recebeu um sim meio desanimado dos presentes. “O Adonilson ainda é novinho, mas o José Reinaldo está com o coração pulsando forte. A gente não pode deixá-lo triste”, apelou insistindo: “Vamos elegê-los, sim ou não, companheiros!”. O público respondeu positivamente com um pouco mais de vigor. “Agora ele está mais tranquilo. Está me devendo o comercial”, disse o deputado ao ex-governador. José Reinaldo sorriu amarelo.

No PSB já se fala em Alexandra vice de Jackson

sáb, 26/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Diante de uma possível desistência do deputado Flávio Dino (PCdoB), uma ala do PSB ligada ao ex-governador José Reinaldo Tavares já se movimenta no sentido de tentar emplacar a ex primeira-dama Alexandra Tavares como vice de Jackson Lago (PDT). Alexandra esteve hoje pela manhã na convenção do PDT e PSDB toda serelepe. O movimento está causando mal-estar entre pedetistas e tucanos. Dirigentes das legendas acham que a ex primeira-dama “não tem estatura” para o posto.

Negociações imobiliárias de Alexandra podem prejudicar Jackson

Negócios imobiliários de Alexandra podem prejudicar Jackson

Acreditam que como Jackson corre sério risco de vir a ser cassado por conta da Lei da Ficha Limpa, o melhor seria colocar alguém à altura de substitui-lo em um possível impedimento. A convenção deste sábado que homologou o pedetista candidato ao governo deixou o cargo vice em aberto. O movimento pró-Alexandra teria o ex-marido como “padrinho” porque José Reinaldo, com a saída do comunista da disputa, teria sua candidatura ao Senado inviabilizada. Como a ex-mulher quer disputar uma vaga de deputada federal, ele estaria querendo tirá-la do caminho para tentar, nesse novo cenário, uma vaga à Câmara.

Segundo pedetista e tucanos, Alexandra seria alvo fácil dos adversários. Ela tem um histórico de “pirações” na cidade, além de estar sendo investigada pelo Ministério Público por suposto enriquecimeno ilícito. Reportagem de O Estado Maranhão de março localizou em cartórios do Distrito Federal, em nome da pretensa candidata a vice, pelo menos oito registros de transações com apartamentos e casas comerciais, todas flagrantemente subfaturadas, totalizando cerca de R$ 6 milhões (reveja).

Dirigentes do PSB, no entanto, rechaçam qualquer envolvimento da direção nesse movimento. Segundo os socialistas, Alexandra tem forte rejeição no partido e se alguém tiver de ser indicado vice este será o presidente do partido, o ex-deputado José Antonio Almeida. Na semana passada, a Executiva homologou o nome dele como vice de Flávio Dino.

O temor maior dos socialistas, porém, é que o partido acabe tendo de apoiar Jackson mas não tenha direito a indicar ninguém na chapa majoritária.

“Zé Rebolation”, o desespero continua!

ter, 22/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições, Vídeos

Lembram da charge do “Zé Rebolation”, mostrando o “rebolado” do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) para viabilizar sua candidatura ao Senado (reveja)? O sucesso foi tanto que virou um filme. A situação está ficando cada dia pior. O desespero é grande. Clique e bote a mão na cabeça que vai começar…

Dino e Zé Reinaldo forçam renúncia de Jackson

dom, 20/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Este blog foi o primeiro alertar a atração repentina do deputado Flávio Dino (PCdoB) por Jackson Lago (PDT). Sabendo que o TSE iria barrar a candidatura de políticos condenados pela Corte, o comunista queria apenas herdar o apoio da coligação e do próprio pedetista diante de sua possível desistência por conta da Lei da Ficha Limpa (reveja).

charge flavio dino bote JacksonNo entanto, Jackson reagiu em entrevista sexta-feira e garantiu que é candidato. Pior: apesar de notas plantadas na grande imprensa pelo PCdoB, negou ter tido nas últimas semanas qualquer encontro com o pré-candidato comunista para tratar do assunto. “Estou sabendo disso pelos jornais”, disse o ex-governador.

Flávio Dino, na verdade, está desesperado por não poder recuar da candidatura ao governo e saber que no atual cenário - e sem o PT – será mero coadjuvante numa disputa entre Jackson e Roseana Sarney (PMDB). O máximo que pode fazer é ajudar a levar a eleição para o segundo turno. O desespero é tanto que ele vem tentando um contato com o prefeito João Castelo (PSDB), contra quem move uma ação de cassação no TRE. Castelo não lhe deu bolas.

Associado ao ex-governador José Reinaldo (PSB), também perdido, quer forçar o pedetista a renunciar da disputa de qualquer maneira. Usa para tanto o Jornal Pequeno, conduzido por Lourival Bogéa. Lourival e o jornal seguem hoje cegamente as orientações de José Reinaldo.

Na edição deste domingo, o matutino da Rua Afonso Pena 171 trouxe matéria com o deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ) defendendo a união do PDT e PCdoB no Maranhão pela causa da oposição contra Sarney. A “causa” tem nome: Flávio Dino. O problema é que entre os oposicionistas quase ninguém concorda com esse nome. Preferem lançar outro: Edson Vidigal, Roberto Rocha (PSDB) ou próprio José Reinaldo. Este teme enfrentar Roseana e Roberto está mais preocupado com sua candidatura ao Senado.

“Dr. Jackson Lago: desista da candidatura! Pare de ficar dizendo que confia na Justiça, pois essa Justiça não inspira nenhuma confiança”, disse Lourival na coluna que ele assina com o pseudônimo de “Dr.Pêta”.

Jackson, aliás, se espantou com as declarações de Brizola Neto. Declarações estas que estavam sendo oferecidas a vários jornalistas na sexta-feira pelo presidente do Diretório Municipal do PCdoB, jornalista Márcio Jerry, braço direito de Flávio Dino. O espanto com o deputado carioca se deve ao fato dele ter se solidarizado com Jackson há três dias durante a Convenção Nacional do PDT que homologou o apoio do partido à pré-candidata Dilma Roussef (PT). Brizola pai deve estar se revirando no túmulo.

Outros exemplos de como o JP, o “Pravda maranhense”, está alinhado ao pensamento dinista e reinaldista. Em uma de suas manchetes deste domingo, o matutino diz que “PTC oficializa apoio às candidaturas de Jackson e José Reinaldo”. O problema é que nessa mesma convenção o PTC oficializou apoio à candidatura ao Senado do tucano Roberto Rocha, presente ao evento e um dos articulistas do próprio jornal, mas não citado na matério como também tendo recebido o apoio.

Na quinta-feira, a manchete mostrou toda a indisposição do JP com o “velhinho”: “Jackson diz que não é ‘ficha suja’ e confirma que vai ser candidato” (veja aqui). Estive na coletiva do ex-governador e em nenhum momento ele tratou de “ficha suja”. Disse apenas que apesar da Lei da Ficha Limpa seria candidato. Em conversas reservadas, tem dito que precisa participar da disputa por causa dos outros candidatos da coligação.

Como se vê Jackson está entre a cruz, a foice e o martelo: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

Charge eletrônica

seg, 14/06/10
por Décio Sá |
categoria Charges

Do blog Coroatá em Debate:

charge abacaxi Dino

Zé Reinaldo ‘coopta’ Jackson Lago contra Roberto

ter, 11/05/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O ex-governador José Reinaldo (PSB) resolveu investir mesmo forte contra uma pretensa candidatura do deputado Roberto Rocha (PSDB) ao Senado numa coligação com o PDT. Depois de mandar alguns recados para o tucano através de notas no Jornal Pequeno, agora “cooptou” o cassado Jackson Lago (PDT) para seu projeto de barrar as pretensões do tucano.

José Reinaldo usa Jackson contra Roberto

Zé Reinaldo quer minar Roberto

Em entrevista domingo à Rádio Capital, de propriedade do próprio Roberto, Jackson defendeu que o deptuado componha sua chapa como candidato a vice-governador. “Ficaria feliz se o deputado Roberto Rocha, com sua juventude, com a grande experiência política que tem, com seu talento, pudesse ser meu companheiro de chapa, pois compensaria algumas de minhas limitações”, disse o pedetista.

Essa entrevista aconteceu domingo. Um dia antes, no sábado, José Reinaldo e Flávio Dino (PCdoB) se reuniram com Jackson em seu apartamento, segundo revelou o próprio socialista em artigo publicado hoje. Ele disse que a reunião foi para acertar um acordo de Jakckson e Dino visando o segundo turno.

No entanto, segundo uma fonte presente ao evento, o assunto Roberto foi discutido reservadamente pelos três. Daí porque no dia seguinte o pedetista daria entrevista apelando para o deputado ser seu vice. Acompanhando todo o noticiário, o tucano diz que não abre da disputa ao Senado. Segundo aliados, ele se “empolgou” com a ideia de ser senador.

José Reinaldo, como se sabe, quer ser candidato ao Senado pela chamada “oposição” tirando todos os adversários do páreo, ou seja, por “WO”. Já cooptou Bira através de uma “boquinha” para sua mulher na Assembleia. Agora tenta implodir as pretensões de Roberto. Será que vai conseguir?!

Charge: Bira, a próxima vítima de Zé Reinaldo

qui, 29/04/10
por Décio Sá |
categoria Charges, Eleições

Zé Rebolation mata Bira

Charge eletrônica: “A mão na cabeça que vai começar…”

sex, 23/04/10
por Décio Sá |
categoria Charges, Eleições

Veja só o esforço que o ex-governador José Reinaldo está fazendo para sair candidato ao Senado:

charge ZÉ Rebolation

PT, PPS, PSDB, PCdoB e prefeitos deixam Jackson falando sozinho

sex, 16/04/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O PT, PPS, PSDB e PCdoB, que em 2006 formaram a “Frente de Libertação do Maranhão”, deixaram o ex-governador Jackson Lago (PDT) falando sozinho nesta sexta-feira em evento em que ele “comemorou” um ano de sua cassação. Além dos partidos, nenhum prefeito foi visto no evento. Jackson só citou os vice-prefeitos de Imperatriz, Jean Carlos, e de Presidente Dutra, José Nunes Martins, o Zezão, ambos do PDT.

Jackson cassação comemora

Marcelo Tavares, Jackson e Zé Reinaldo: só lamúrias

Balaios de proa do “Governo da Libertação” e o ex-líder do governo Edivaldo Holanda (PTC) também não comparecerem. Alegaram que o evento estava sendo organizado pelo pessoal de sempre: os ex-secretários Aziz Santos (Planejamento) e Weverton Rocha (Esporte e Juventude).

O único tucano presente foi o ministro aposentado Edison Vidigal, recém filiado ao partido. Jackson e o ex-governador José Reinaldo (PSB) ainda ligaram insistemente para o deputado Roberto Rocha e o prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB), mas eles deram uma desculpa qualquer e não compareceram.

O governador cassado não conseguiu esconder o desânimo. Leu um discurso, a maioria do tempo de cabeça baixa. Chegou mesmo a cochilar durante a fala dos outros oradores. O auditório estava lotado de militantes levados em ônibus fretados (veja foto abaixo).

“Não há democracia sem Judiciário livre”, lamentou-se Jackson, citando a frase famosa – “Não ha democracia sem Parlamento livre”- do presidente do Senado, José Sarney (PMSB), inscrita na Assembleia Legislativa. Classificou como “golpe baixo” e “golpe do judiciário” a decisão do TSE que comprovou o desvio de recursos públicos para sua campanha em 2006.

Segundo o pedetista, o evento foi um ato de “celebração para reafirmar nossa união”. As ausências mostraram bem de qual união Jackson se referia. O ex-governador também foi claro sobre o verdadeiro motivo de sua natimorta candidatura ao Governo do Estado. “Não perdi a noção da honra que herdei de meus pais. O sentido de estarmos aqui é de lavar a alma”, declarou.

Completou falando de seu estado de saúde. “Aqui estou eu, me permitam uma reflexão pessoal, marcado pelas rugas do tempo, açoitado no enfrentamento de doença, graças a Deus em franca recuperação.”

onibus libertaçãoO PSB, através do presidente da Assembleia, Marcelo Tavares, e do tio, José Reinaldo, que no final de semana estavam celebrando aliança com o PCdoB, parecem já terem virado a casaca. “A candidatura de Jackson é natural porque o mandato é dele. Sem Jackson ninguém fara mudança no Maranhão”, declarou Marcelo. Ele acusou o golpe em relação aos ex-colegas ausentes. “Muitos daqueles que estavam conosco não estão mais. Padecemos em quantidade, mas nada em qualidade.”
 
Já José Reinaldo passou o tempo todo contando piadas. Disse que seu governo foi o melhor do mundo. Assegurou ter descoberto o verdadeiro motivo do Moto Clube, time por qual torce, estar em situação difícil. “Estava assistindo o Bom Dia Mirante e vi o patrocínio do time: ‘Governo do Maranhão, de volta ao trabalho’. Está aí o motivo.”



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade