Formulário de Busca

José Sarney, 80 anos, um grande brasileiro

sáb, 24/04/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Por Ribamar Corrêa
Diretor de Redação de O Estado Maranhão

José Sarney completa hoje 80 anos. Muitos alcançam a marca dos 29.200 dias, mas raros, muito raros, o fazem com uma trajetória tão movimentada e rica. A epopéia humana é escrita por políticos, pensadores, escritores, poetas, humanistas, revolucionários, artistas, enfim, por construtores militantes e obstinados na História. Mas entre eles se sobressaem os que são muito especiais, pois eles marcam efetivamente uma época, seja pelo protagonismo ofuscante, seja pela participação proeminente nos momentos transformadores que desencadeiam eras. Das suas oito décadas de existência, Sarney é um desses protagonistas há seis.

Sarney aniversário 1Como que predestinado a pregar e construir o novo, Sarney nasceu exatamente em 1930, no início da Era Vargas, que pôs abaixo tudo o que sobrara da Velha República. Nesse contexto de mudanças, logo se revelou um filho da precocidade. O político envolveu-se desde cedo com as lutas estudantis e o jornalista-escritor tornou-se grande ainda imberbe – que outro gigante da política foi eleito membro de uma exigente academia de letras aos 22 anos. E quantos homens de letras lideraram uma transformação política e administrativa tão radical num estado aos 36, após uma luta política renhida? No Brasil, somente Sarney.

Na aparência e nos hábitos, Sarney é um cidadão simples, afável e cujos gestos misturam educação e elegância; aprecia uma boa e descontraída conversa; se alimenta prazerosamente quando está em família e milita como o religioso e o devoto que, além de Deus, cultua e reverencia santos da sua predileção, como São José, por exemplo. Mas quando a circunstância cobra a ação do político ou do escritor, ele se transforma, ganha musculatura e assume dimensão de tal magnitude que o separa da média e o remete para o patamar só habitado por grandes. Usa sempre a razão e nunca a emoção para enfrentar tsunamis. São muito poucos os que têm o privilégio de contatar e conviver com um cidadão que tem sobre os ombros o peso e o compromisso de ser José Sarney.

O político começou na militância estudantil, de onde saltou para a Câmara Federal, com pouco mais de duas dezenas de anos, e logo fazendo política maiúscula no movimento “Bossa Nova” da velha UDN. Dali deu um salto politicamente gigantesco, elegendo-se governador do Maranhão, vitória que pôs abaixo o vitorinismo e abriu caminho para as transformações que durante três anos e meio tornaram possível a formulação embrionária do conceito de cidadania e colocaram o Maranhão no mapa do Brasil e do mundo. Esse político, líder e referência de uma geração de ouro no Maranhão, foi para o Senado onde, dois mandatos depois, protagonizou, como presidente do PDS, a reviravolta que assegurou a transição da ditadura para a democracia, processo consolidado com ele, exatamente ele, na Presidência da República. Depois, voltou ao Senado, onde cumpre seu quinto mandato – dois pelo Maranhão e três pelo Amapá -, com o diferencial de quem já presidiu a Casa e o Congresso Nacional por duas vezes.

O governador José Sarney derrubou as velhas estruturas e construiu um estado moderno, moldado em planejamento. Com ele, vieram a energia, a malha rodoviária, o Complexo Portuário do Itaqui, a televisão educativa, as universidades, enfim, tudo o que o Maranhão tem hoje em estrutura e infra-estrutura ou nasceu ou foi por ele planejado; e depois, por seu intermédio, vieram a Alumar e a Vale, a Ferrovia Carajás e a Norte-Sul. O presidente Sarney atuou como estadista e devolveu o país à democracia, liderando, de maneira inconteste, uma transição impecável, sem traumas, sem reivindicar bônus dos incontáveis acertos e assumindo todo o ônus dos eventuais pecados da Nova República. Atacou a velha ordem com o Plano Cruzado, hoje reconhecido como a base da estabilidade e do fortalecimento econômico que embalam o país. Da sua lavra estão de pé o Mercosul e a desnuclearização da América do Sul.

O Sarney das letras é tão bem-sucedido quanto o Sarney político. Dono de uma produção literária de fazer inveja à grande maioria dos escritores profissionais, Sarney é hoje conhecido em todos os continentes e traduzido para mais de uma dezena de idiomas, incluindo o inglês, o francês e o espanhol. Isso lhe valeu a imortalidade pelas Academias Maranhense e Brasileira de Letras, bem como títulos muito especiais, como o de doutor honoris causa pela prestigiada Universidade de Coimbra. Quando presidente, editou a Lei Sarney, que abriu as portas do incentivo para a cultura brasileira. E foi o grande articulador da integração dos países de língua portuguesa, consumada num histórico evento que reuniu em São Luís, em 1988, chefes de estados da comunidade lusófona, entre eles o respeitado líder português Mário Soares e o chefe revolucionário moçambicano Samora Machel.

Sarney e o papa João Paulo II em 1991

Sarney e papa João Paulo II em 1991

Aos 80 anos, Sarney continua em plena forma política e literária, comandando o Senado e liderando a fatia mais expressiva e atuante do PMDB. Além de ser o decano e a referência mais destacada da política brasileira, para frustração de seus adversários, o ex-presidente é, desde 2003, um dos principais aliados políticos do presidente Lula. Nessa posição, contribuiu expressivamente para o sucesso administrativo do governo do PT, o que o torna um dos protagonistas das mudanças que estão transformando o Brasil numa potência.

Em toda a sua trajetória, Sarney teve como aliadas três mulheres, as quais reverencia: a esposa Dona Marly, a mãe Dona Kiola e a filha Roseana. Além delas, os filhos Fernando e Sarney Filho, e netos, irmãos, parentes e amigos. Nesse contexto, o senador teve o privilégio de ver sua filha, Roseana Sarney, tornar-se a primeira mulher a governar um estado no Brasil e, em seguida, a primeira maranhense no Senado da República, e o filho, Sarney Filho, projetar-se como um dos mais ativos parlamentares da sua geração.

Nessa caminhada, Sarney se mantém firme, apesar das traições e das pressões quase insanas de adversários políticos. E, como há dez anos, avalia que o que está faltando ao mundo é utopia, por entender que a humanidade não pode viver sem ela. Hoje, aos 80 anos e uma década mais sábio, Sarney mantém intacta essa convicção, com a satisfação de ver que a História não acabou e está mostrando que ele tem razão.

Notícias da noite

sex, 23/04/10
por Décio Sá |
categoria Política local

“Penetras” na festa de Hildo
Um grupo de amigos supreendeu ontem o secretário Hildo Rocha (Articulação Política) com uma festa para comemorar seu aniversário. A festa mesmo acontece neste sábado, em Cantanhede, terra natal do secretário. Na comemoração de ontem algumas surpresas. O prefeito Jose Martinho, o Cabão (Cantanhede), adversário de Hildo no município, não foi mas compareceu ao evento. Explico: é que a revista “Caras e Nomes”, distribuída no local, trazia várias fotos do desafeto da Articulação Política. Engraçado mesmo foi a presença do jornalista Lourival Bogéa, o “Dr. Pêta”. Ele apareceu de repente e como viu que a governadora Roseana Sarney (PMDB) não estava deu meia volta e se retirou do recinto com o rabinho entre as pernas. Segundo se comentou durante a festa, Lourival estava querendo mesmo era ter uma conversa com a governadora.

sarney e lula TSECochichos presidenciais
Aí tem! Chamou a atenção ontem na posse do ministro Ricardo Lewandowski, na presidência do TSE, o eterno cochicho entre o presidente do Senado, José Sarney, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A foto mostra os dois apenas juntos, mas quem assistiu à solenidade pela TV Justiça via a todo momento a conversa pé-de-ouvido dos dois mandatários.

Produtividade no TJ
Continua rendendo o post sobre a produtividade dos desembargadores do Tribunal de Justiça (reveja). Depois de Marcelo Carvalho, agora foi a desembargadora Maria dos Remédios Buna reclamar da divulgação onde ela aparece com o pior desempenho julgando apenas 35 processos nos três primeiros meses do ano. Alega que estava em férias em janeiro e fevereiro. Já os desembargadores das Câmaras Criminias argumentam que o número de casos analisados por eles é muito menor que os da área cível. Garantem que não tem processos acumulados, o que não aconteceria na área cível. O blog só reafirma que as informações levadas a público são do site do próprio tribunal.

Ambev comemora
A Ambev do Maranhão, denunciada pela promotora Lítia Cavalcante por “lançar” a “Brahma sabor barata”, está comemorando uma decisão do STJ. Apesar do desconforto, um inseto dentro de uma garrafa de refrigerante que não chegou a ser consumida não gera dano moral. O caso foi relatado pelo ministro Fernando Gonçalves, que acolheu o recurso da Brasal Refrigerantes S/A contra decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). A Quarta Turma do STJ seguiu por unanimidade o voto do relator. Após adquirir um refrigerante, o consumidor notou haver inseto dentro da garrafa. O consumidor entrou com ação por danos morais contra a empresa Brasil Refrigerantes S/A, engarrafadora do produto. A indenização foi concedida em primeira instância, sendo posteriormente confirmada pelo TJDFT. Leia aqui.

Conspiração no PT
Ex-superintendente da Caixa Econômica no Maranhão (CEF) no Maranhão, o agora petista José Carlos Nunes Júnior vai começar a conhecer como funciona o partido do presidente Lula no Estado. Já tem “companheiro” querendo cassar a candidatura do ex-bancário a deputado estadual. A alegação é que como pessoa pública ele deveria ter submetido sua filiação ao PT à avaliação da Executiva do partido, a exemplo do que ocorreu com Francisca Primo e o ex-deputado Mauro Jorge. Por isso, querem sua cabeça.

Aprovado
O Diretório Estadual do PT acaba de aprovar, por ampla maioria, a participação do partido no governo Roseana Sarney (PMDB). Como se sabe, os “companheiros” estão comandando as secretarias de Educação, Trabalho e Desenvolvimento Social. Foi justamente no dia 23 de abril de 2009 que Roseana assinou o ato do secretário José Antonio Heluy (Trabalho), primeiro a ir para a administração.

Lula quer ‘implodir’ candidato de Zé Reinaldo

sáb, 10/04/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Da coluna Panorama Político, de O Globo, publicada simultaneamente em O Estado Maranhão:

panorama10042010

Sarney: volta à presidência será ‘ato protocolar’

qui, 08/04/10
por Décio Sá |

Da Agência Senado:

Brasília – O presidente do Senado, José Sarney, assume no domingo à noite a Presidência da República em decorrência da viagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que vai participar em Washington de uma reunião de cúpula sobre segurança nuclear.

Sarney e AnastaciaOs primeiros na linha sucessória, o vice-presidente José Alencar e o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, não poderão assumir a presidência da República, pois isso os deixaria inelegíveis caso se candidatem nas eleições de outubro. José Alencar tem viagem marcada para Montevidéu, onde vai se encontrar com o presidente Jose Mujica, e Temer também deve viajar no período.

- Será um ato meramente protocolar, sem conseqüências administrativas – disse o presidente Sarney ao chegar esta manhã ao seu gabinete para uma reunião da Mesa do Senado. Sarney deixou a Presidência da República em março de 1990, depois de comandar a redemocratização do país e de ter assumido o cargo em decorrência da doença e morte de Tancredo Neves. Ao final de seu mandato, Sarney passou o cargo ao sucessor Fernando Collor, eleito diretamente pelo voto popular depois de 30 anos da última eleição direta.

As viagens internacionais do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo a agenda do Palácio do Planalto, devem somar um total de 27 dias até o final de julho. Mesmo ocupando pela terceira vez a presidência do Senado Federal, é a primeira vez que o senador José Sarney ocupará o Palácio do Planalto desde 1990.

Minas Gerais e Ford

Sarney recebeu nesta quinta-feira a visita do presidente mundial da Ford, Alan Mulally, que agradeceu a rápida aprovação, pelo Congresso Nacional, da Medida Provisória que prorrogou os estímulos fiscais para as montadoras no Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Segundo ele, a MP vai permitir que a Ford aumente seus investimentos na Bahia. Mulally anunciou também investimentos no Brasil de US$ 4 bilhões de 2011 a 2015, principalmente no centro de engenharia e desenvolvimento tecnológico, um dos cinco que a empresa tem no mundo.

O Brasil é o terceiro mercado mundial da Ford, atrás apenas dos Estados Unidos e do Reino Unido, e o presidente Alan Mulally disse ao presidente do Senado que “há uma parceria entre a Ford e o Brasil que precisa ser cada vez mais intensificada”.Os senadores César Borges (PR-BA), Antônio Carlos Jr (DEM-BA), João Durval (PDT-BA), Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e José Agripino (DEM-RN) participaram do encontro do presidente José Sarney com o presidente da Ford.

Sarney recebeu também a visita de cortesia do novo governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia (foto), que tomou posse na semana passada, com a desincompatibilização do ex-governador Aécio Neves, que deve disputar o Senado.

Sarney reassumirá presidência após 25 anos

qua, 07/04/10
por Décio Sá |

Do Blog de Cristiana Lôbo

Sarney 290310Vinte e cinco anos após assumir a presidência da República com a morte de Tancredo Neves, José Sarney voltará a responder pelo cargo. Ele deve assumir interinamente a presidência da República no próximo domingo, quando o presidente Lula embarcará para os Estados Unidos. Pela legislação brasileira, a cada viagem internacional do titular, o seguinte na linha sucessória assume o posto. O vice José Alencar não pretende assumir para não se tornar inelegível nas eleições de outubro; o mesmo acontece com Michel Temer, presidente da Câmara, que quer ser o vice de Dilma Roussef. O seguinte é José Sarney, como presidente do Senado.

O presidente Lula embarcará para Washington no domingo e lá vai permanecer por três dias – de 11 a 13 deste mês – para participar da reunião da Cúpula de Segurança Nuclear. Deste debate, sairá a posição do Brasil em relação a ratificação ou não do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares. O Brasil indica que fará exigências antes de tomar sua decisão.

Nesta viagem, o presidente Lula também terá encontros com presidentes de outros países e deve ter mais uma reunião com Barack Obama, agenda que ainda não está confirmada.

Sarney já está de volta ao trabalho

qua, 07/04/10
por Décio Sá |

sarney 060410Brasília – O presidente do Senado, José Sarney, já está de volta ao trabalho depois da operação para a retirada de um cisto do lábio. Somente ontem ele recebeu a a visita do ministro Cezar Peluso, que foi entregar o convite para a solenidade de posse como presidente do STF, marcada para o dia 23 de abril, às 16h.

Recebeu também, em seu gabinete, os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Cesar Asfor Rocha e Raul Araújo Filho, e o ex-consultor jurídico do Ministério da Defesa Artur Vidigal de Oliveira. O jurista, especialista em Direito Militar, foi escolhido pelo presidente da República, em lista tríplice, para ocupar a vaga de ministro do Superior Tribunal Militar (STM). Artur Vidigal será sabatinado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado nos próximos dias.

Em sua primeira após a operação, Sarney afirmou que seu empenho agora é apressar a votação de projetos que aguardam deliberação do Plenário, principalmente os do pré-sal . Ele disse que essas matérias terão de ser votadas antes das eleições.

- Vamos tentar votar as matérias antes das eleições, principalmente as referentes ao pré-sal, que têm prazo constitucional a ser obedecido. A primeira delas entra na pauta do plenário no dia 9 e começa a bloqueá-la no dia 19 – disse.

Os quatro projetos de lei do Executivo relativos ao marco regulatório para exploração da camada pré-sal, mencionados por Sarney, estão entre as principais matérias que aguardam deliberação no Senado. Na semana passada, encerrou-se o prazo de apresentação de emendas a todas elas.

Questionado sobre a cirurgia que fez em São Paulo para a retirada de um cisto no lábio superior, Sarney respondeu fazendo brincadeiras:

- Eu estou bem. Salvei meu bigode. Fiz toda a força para salvá-lo.

Caso Lunus: como dossiê tucano destruiu Roseana

ter, 06/04/10
por Décio Sá |
categoria Eleições, Vídeos

Do blog Os Amigos do Presidente Lula:

Cronologia do Caso Lunus, onde grampos telefônicos ilegais, um dossiê e uso político da Polícia Federal tiraram Roseana Sarney do caminho de José Serra, do PSDB, na disputa presidencial de 2002.

Novembro de 2001: A firma Interforte de José Heitor Nunes e Jonathan Sardenberg é contratada para grampear Roseana Sarney, sua família e investigar os negócios da empresa Lunus.

Novembro: Heitor comenta sobre o grampo que está fazendo nos telefones de Roseana. A um interlocutor, oferece, em troca de um valor, informações sobre seu trabalho e o nome de quem encomendou a arapongagem. O negócio não se realiza.

Dezembro: Arapongas espalham que foram contratados pelo PSDB para produzir um dossiê contra a família Sarney.

Fevereiro: O dossiê contra Roseana fica pronto. Ele tem três partes. A primeira, com as doações para a campanha do PFL, hoje DEM. A segunda, com as empresas da governadora e seu marido e suas ramificações com a Sudam. E a terceira, com fotos íntimas. É oferecido a Anthony Garotinho  para ser usado como arma na campanha. O então governador recusa e procura o senador José Sarney, informando que seu interlocutor se apresentou como emissário do deputado Márcio Fortes (PSDB-RJ), um dos coordenadores da campanha de José Serra na época.

Serra armações ilimitadasFevereiro: Os senadores Sarney e Edison Lobão procuram FHC e contam que agentes da Abin estiveram em cartórios no Maranhão vasculhando as empresas dos Sarney. O presidente chama o general Alberto Cardoso, que nega a participação da Abin.

Dias 20, 21, 25, 26, 27, e 28 de fevereiro: O pubicitário Luís Alberto Marques troca telefonemas com Heitor, que também conversa diversas vezes com Jonathan.

28 de fevereiro: Com ordem judicial, uma equipe da PF se desloca de Brasília para São Luís. Heitor e Marques trocam quatro telefonemas.

1º de março: Às 14h15, depois de pegar os mandados em São Luís, a PF invade a Lunus. Encontram documentos que ligam a empresa ao escândalo Sudam e R$ 1,34 milhão em dinheiro. Às 19h, FHC e Sarney têm uma conversa ríspida por telefone. O senador denuncia uma “armação suja” do governo para derrubar sua filha e beneficiar Serra. Entre 21h30 e 22h, FHC recebe cópia do mandado.

4 de março: Sarney Filho pede demissão da pasta do Meio Ambiente. Três dias depois, o PFL deixa o primeiro escalão do governo FHC. Marques e Heitor trocam um telefonema.

12 de março: Jorge Murad, marido de Roseana, dá coletiva para renunciar ao cargo de secretário de Planejamento do Maranhão. Diz que o dinheiro achado na Lunus era para a campanha de sua mulher. Marques e Heitor trocam mais um telefonema.

Março: O governador do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB), denuncia que também foi grampeado por dois meses. Ele diz que havia sido informado por Sarney de que os arapongas buscavam ligações entre Murad e seu irmão, Carlos Jereissati. Tasso culpa Serra e Márcio Fortes pelo grampo.

20 de março: Às 15h55, Sarney sobe à tribuna do Senado e faz um duro discurso, de 80 minutos. Culpa Serra e o governo pela espionagem contra Roseana e compara o grampo contra sua filha a outro caso mais famoso, o Watergate, que levou à renúncia do presidente Richard Nixon.

27 de março: A PM do Maranhão invade uma casa em São Luís e descobre uma central de espionagem da PF. Encontra quatro policiais federais e muitos equipamentos sofisticados de escuta telefônica e rastreadores. O Ministério da Justiça diz que o local servia para operações secretas de combate ao narcotráfico.

13 de abril: Roseana renuncia à sua candidatura.

Por falar em José Serra, onde anda o delegado Bruninho? Gravação da conversa entre o delegado Edmilson Bruno (PF) e cinco repórteres, quando precedeu o primeiro turno da eleição. Delegado Bruno e jornalistas combinaram vazamento (veja abaixo). O golpe armado contra Lula pelo PSDB na eleição de 2006. A maioria preferiu Lula, em desespero, PSDB armou e não levou

Revelada a face tucana de José Reinaldo

ter, 06/04/10
por Décio Sá |

Após a crítica do ex-ministro José Dirceu em seu blog (reveja), o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) passou a afirmar ser Dilma Roussef desde criancinha. Tudo conversa fiada porque a Direção Nacional pode melar a coligação local PT/PCdoB por conta da participação do socialista na chapa. Em entrevista a emissoras de rádios ano passado, ele chama o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) de “o futuro presidente da República”. E comemora o fato do tucano e o presidente do Senado, José Sarney (PMDB), não se entenderem bem politicamente

“O Sarney não se dá com o Serra, o provável futuro presidente da República, pelas vitórias que tem tido na Prefeitura de São Paulo também. E pela compreensão do povo brasileiro que está na hora de uma pessoa do nível dele. Pois bem, é notório que o Sarney não tem nenhuma proximidade com o Serra. Pelo contrário, tiveram atritos violentos no passado. E o Serra não tem porque dar a mão para o Sarney. Ele (Serra) não será um Lula para o Sarney que, inexplicavelmente, esqueceu tudo que ele dizia do Sarney e deu a mão tão forte que o Sarney ficou mais forte do que no próprio governo dele”, diz ele na gravação abaixo. Clique e ouça:

Sarney tem alta após cirurgia

qui, 01/04/10
por Décio Sá |

Do G1:
Sarney 290310

A assessoria do Senado informou na manhã desta quinta-feira (1) que o presidente da Casa, José Sarney (PMDB), teve alta da cirurgia a que se submeteu, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para a retirada de um cisto benigno situado no lábio superior. “Ele passa bem e sua primeira providência, ao acordar, foi ler os jornais”, diz a assessoria, em nota.

Sarney ficará em São Paulo aguardando a retirada dos pontos. A cirurgia foi iniciada às 20h de terça-feira (30), durou duas horas e foi realizada por uma médica dermatologista clínica e cirúrgica, por dois cirurgiões plásticos e acompanhada por um cardiologista.

“Depois da páscoa, Sarney deve retornar a Brasília, onde participará, terça-feira (06), da campanha que o Senado lança para incentivar a adesão de empresas brasileiras à concessão da licença-maternidade de seis meses a suas empregadas parturientes”.

A assessoria do presidente do Senado disse ao G1 que o bigode, marca registrada de Sarney, não sofreu intervenções por conta da cirurgia: “Não foi preciso tirar o bigode. O procedimento ocorreu na parte interna da boca.”

Comentário meu: A informação de que não foi preciso retirar o bigode do presidente foi antecipada pelo blog há dois dias. Reveja aqui.

Duas notas rápidas

qua, 31/03/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Roseana define secretariado
A governadora deve anunciar nos próximos dias pelo menos alguns dos novos secretários. Três nomes foram antecipados pelo blog há dez dias (reveja). O lugar de Ricardo Murad (Saúde) vai ser ocupado pelo ex-diretor do Hospital Geral Luiz Alfredo Guterres que, por sua vez, será substituído pelo Dr. Amarildo. Já o incansável Fábio Câmara teve todo o seu trabalho compensado – será o novo gestor de saúde de São Luís.

Para o lugar de Roberto Costa (Esporte e Juventude) vai mesmo o secretário-adjunto Sousa Neto. O presidente do Cejovem (Conselho Estadual de Juventude), Rui Pires, vai virar adjunto. O novo secretário de Planejamento será Fábio Gondim, consultor-geral do Orçamento no Congresso Nacional. Conforme o blog antecipou ainda em janeiro (reveja), o secretário João Abreu (Casa Civil) deixará o posto. Ele vai ficará à disposição para tentar viabilizar-se até como candidato a vice-governador na chapa de Roseana.

Operação de Sarney é sucesso
Foi um sucesso a operação do presidente do Senado, José Sarney, para a retirada de um sinal no lábio superior, realizada na noite desta terça-feira em São Paulo. O sucesso foi tanto que ele nem precisou retirar seu tradicional bigode. A mídia demo-tucana do eixo Rio/São Paulo/Brasília e algumas aves agourentas do Maranhão estavam ávidos para ver Sarney sem bigode. Quebraram a cara mais uma vez. O velhinho é duro na queda.



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade