Formulário de Busca

Sarney vai passar por cirurgia simples em SP

seg, 29/03/10
por Décio Sá |

Sarney 290310O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), vai passar por uma cirurgia para retirar um sinal no lábio superior na próxima terça-feira (30) em São Paulo. O parlamentar vai completar 80 anos no dia 24 de abril.

A informação foi confirmada pelo filho do senador, José Sarney Filho, o Zequinha Sarney, neste domingo. Segundo ele, o presidente do Senado já está na capital paulista e escolheu a data para poder se recuperar durante o feriado da Semana Santa.

“Acho que é uma cirurgia bem simples. Na segunda-feira (5) ele deve voltar a trabalhar”, afirmou Zequinha. A assessoria de imprensa do Hospital Sírio-Libanês, provável local da cirurgia, não confirmou o agendamento da operação do senador.

Zequinha não informou desde quando o senador sabe do problema no lábio superior.

(Com informações da Folha de S. Paulo).

Sarney negocia solução para royalties do petróleo

ter, 16/03/10
por Décio Sá |

Por Nathalia Passarinho, do G1:

Brasília - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB), pediu nesta segunda-feira (15) que o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), “guarde suas lágrimas” porque os senadores encontrarão uma “solução negociada” para a questão da distribuição dos royalties do petróleo.

Na semana passada, a Câmara aprovou emenda que faz uma nova redistribuição dos recursos entre os estados. O Rio de Janeiro e o Espírito Santo são mais prejudicados com a emenda, que retira dinheiro dos dois estados. No caso do Rio, a redução dos repasses pode chegar a até R$ 7 bilhões. O Espírito Santo pode perder até R$ 400 milhões anuais. Na sexta-feira (12), Cabral chegou a chorar ao falar sobre a aprovação da emenda. 
 
“Eu disse ao governador: governador, guarde suas lágrimas que nós vamos encontrar uma solução negociada, como sempre encontramos, de maneira que não prejudique nenhum estado e que o Rio de Janeiro, portanto, não precise ficar tão alarmado”, afirmou Sarney, referindo-se a uma conversa que teve mais cedo com o governador do Rio.

Ele disse acreditar em uma solução negociada para o impasse sobre a distribuição dos royalties. “A arte da política é a arte da negociação e que para isso nós temos duas câmaras. A Câmara passou por lá, eles negociaram, e nós vamos passar aqui. E o objetivo nosso é justamente encontrar uma fórmula na qual nós não tenhamos nem perdedores nem ganhadores.”

O presidente do Senado disse ainda que as propostas de solução para o impasse não devem vir prontas. “Para que tenhamos uma boa negociação é necessário que nós não tenhamos uma fórmula pré-estabelecida, para que as partes que estão envolvidas elas já não se sintam já tolhidas por uma proposta pronta.”

Royalties

Na última quarta-feira (10), a Câmara dos Deputados aprovou, por 369 votos a favor e 72 contra, a emenda dos deputados Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) e Humberto Souto (PPS-MG) que redistribui os recursos que não são destinados diretamente à União entre todos os estados e municípios de acordo com critérios dos fundos de participação. O Rio de Janeiro e seus municípios são os maiores prejudicados pela nova divisão de recursos.

A emenda faz parte do projeto que muda o marco regulatório para a exploração de petróleo na camada pré-sal, alterando o modelo de concessão para partilha de produção, onde a União recebe diretamente parte da produção.

Se o Senado mantiver o texto aprovado pela Câmara, a União ficará com os percentuais que tem atualmente nas áreas concedidas: 40% de royalties e 50% de participação especial. Todo o restante será dividido de acordo com critérios dos fundos de participação. A emenda abrange também as áreas já em exploração fora do pré-sal.

Redemocratização do país completa 25 anos

seg, 15/03/10
por Décio Sá |

Da Agência Senado:

Sarney posse 25 anosBrasília – Principal responsável pela transição que reconduziu o Brasil ao estado democrático de direito, desde cedo o presidente do Senado, José Sarney, vem recebendo telefonemas de pessoas recordando aquele momento crucial para a história do país. É que completa 25 anos nesta segunda-feira (15) o segundo período de redemocratização vivido pelo Brasil, quando Sarney assumiu o poder e encerrou-se o ciclo de 21 anos do regime militar vigente desde 1964.

Na história do país, o primeiro processo de redemocratização ocorreu em 1945, com a deposição de Getúlio Vargas e o fim do chamado Estado Novo. O período hoje vivido pelo país é a mais longa sequência de governantes democraticamente eleitos. Desde Sarney, chegaram pelo voto ao Palácio do Planalto os presidentes Fernando Collor de Mello e seu vice Itamar Franco, além de Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva.

A eleição da chapa composta por Tancredo Neves e José Sarney pelo Colégio Eleitoral, para presidente e vice-presidente, denominada Aliança Democrática, no dia 15 de janeiro de 1985, deu início ao segundo processo de redemocratização na história brasileira.

Na véspera de tomar posse, em 14 de março daquele ano, Tancredo foi internado em estado grave no hospital e o vice-presidente José Sarney assumiu o cargo, exatamente no dia 15 de março de 1985. Depois de ser submetido a sete cirurgias – duas realizadas em Brasília e outras cinco em São Paulo -, Tancredo morreu no dia 21 de abril de 1985, na capital paulista.

Sarney subindo a rampa do Planalto

Sarney subindo a rampa do Palácio do Planalto

A chapa de Tancredo e Sarney foi formada após a derrota da emenda Dante de Oliveira no Congresso, em abril de 1984, que previa eleições diretas para presidente da República. A Aliança Democrática derrotou o candidato da situação Paulo Maluf, com um placar de 480 a 180 votos e 26 abstenções no Colégio Eleitoral.

No governo, Sarney – atual presidente do Senado – promoveu reformas, entre as quais a legalização de partidos políticos até então clandestinos. Em 1º de fevereiro de 1987, foi instalada a Assembleia Nacional Constituinte, presidida pelo deputado Ulysses Guimarães, do PMDB, que culminou com a promulgação da Constituição do país, ocorrida no dia 5 de outubro de 1988.

Band homenageará Sarney em documentário

sáb, 13/03/10
por Décio Sá |

Sob o comando do deputado Manoel Ribeiro (PTB), a TV Maranhense (filiada a Band em São Luís) estreia em abril o documentário “Um brasileiro chamado José”, biografia do senador José Sarney inédita na TV aberta brasileira. O documentário será exibido em cinco capítulos e contará a saga do maranhense que chegou à Presidência da República e três vezes ao comando do Congresso Nacional. Será apresentado pela jornalista Mônica Moreira Lima e terá depoimentos de familiares, amigos, autoridades locais e nacionais. A chamada ficou uma maravilha e já mostra a excelente qualidade do programa. Clique e veja:

Lula se reunirá com PMDB semanalmente

sex, 12/03/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Lula e  José Sarney Bacabeira  petrobrasBrasília – Na tentativa de solucionar impasses regionais à aliança do PT com o PMDB, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai se reunir semanalmente com a cúpula peemedebista para discutir os Estados em que a aliança nacional não tem acordo para se repetir.

A disposição do presidente, segundo o senador Romero Jucá (PMDB-RR), é negociar diretamente com o PMDB soluções que permitam a repetição da aliança nos Estados ou um comportamento que seja comum a todas as localidades onde não houver acordo.

“Toda semana vamos sentar com o presidente para fazer a avaliação do quadro político. A disposição do presidente é ajudar a construir essa posição. O casamento PT-PMDB está mais forte do que nunca”, disse Jucá.

O senador se reuniu com Lula nesta quinta-feira, ao lado do presidente do PMDB, Michel Temer (SP), e do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). O grupo vai se reunir toda semana, com a participação também do ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais), para discutir os impasses regionais à aliança PT-PMDB.

A aliança deve ser firmada em definitivo em junho, quando o PMDB realiza convenção nacional para anunciar o nome do vice-presidente que vai disputar a Presidência da República na chapa da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) – pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto. A ideia dos partidos é, até lá, superar as dificuldades que tornam inviável a aliança entre os dois partidos em diversos Estados.  Leia mais aqui.

Notícias da noite

qui, 11/03/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Sérgio Macedo: só um susto
Depois de uma bateria de exames realizados no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, familiares e amigos do secretário Sérgio Macedo (Comunicação) estão respirando aliviados. Durante procedimentos médicos de rotina no UDI foi detectado um pequeno nódulo no pulmão esquerdo do secretário. No Sírio Libanês descobriu-se tratar-se, na verdade, de uma cicatriz de seis milímetros originada provavelmente numa pneumonia sofrida por ele há seis anos. Não será necessária cirurgia, só monitoração durante dois anos. Após o susto, Sérgio Macedo deve voltar ao batente na próxima semana.

Mário Macieira: queimação no TRE
Temendo a cassação, o deputado imberbe Rubens Júnior (PRTB) resolveu apelar. Para impressionar o TRE, ele mudou de advogado. Tirou o tio Paulo Cruz e nomeou ninguém menos que o presidente da OAB, Mário Maceira, como seu defensor. Por conta disso, seu processo, que deveria ser julgado nesta quinta-feira, foi adiado para o dia 23. Entre os advogados que militam na Corte, a repercussão para Macieira foi totalmente negativa. Acham que, para preservar a entidade, ele não deveria se envolver na defesa de político acusado de irregularidades em eleições. Pior: vão aproveitar sua presença no tribunal para cobrar a instalação da sala da OAB no local.

sarney globoSarney, o político
Não é a toa que o presidente do Senado, José Sarney, chegou onde chegou. Ontem ele recebeu a visita de João Roberto Marinho, presidente do Conselho Editorial e vice-presidente das Organizações Globo.

Lição de moral
O presidente do Consea (Conselho de Segurança Alimentar), Miécio Robert Lopes, disse várias verdades, nesta quinta-feira, durante evento em que o governo Roseana Sarney (PMDB) retomou o programa “Compra Legal”. Afirmou que no governo do cassado de Jackson Lago (PDT), a ex-secretária Telma Pinheiro (Cidades) e Heraldo Marineli “desviaram” os recursos do programa. Presente ao evento, o ex-presidente do Diretório Municipal do PDT e secretário municipal de Agricultura, Júlio França, não sabia onde enfiava a cara. Na atual gestão, o “Compra Legal” vai investir R$ 6,7 milhões na aquisição da produção de pequenos produtores em 37 municípios maranhenses.

Rodrigo Lago: comendo mosca
Advogado do deputado cassado Chico Leitoa (PDT), o advogado Rodrigo Lago, filho do indiciado e ex-secretário Aderson Lago (PSDB), “comeu mosca”, literalmente, durante a sessão de terça-feira do TRE. Rodrigo esteve no tribunal e fez a defesa do deputado Roberto Rocha (PSDB), que estava ameaçado de cassação e acabou sendo absolvido. Depois foi embora sem saber que Leitoa iria ser julgado. Não deu outra: o ex-prefeito de Timon acabou cassado. Rodrigo agora tentar salvar o cliente no TSE.

Tucanos com Roseana
A cada dia cresce um movimento de integrantes do PSDB em favor de uma aliança em torno da governadora Roseana Sarney. Na semana passada foi a juventude tucana que avisou aos dirigentes da legenda: se o partido não tiver candidato e Jackson Lago (PDT) não for para o segundo turno, estarão de corpo e alma na campanha da governadora.

Só para prejudicar
Não passa de birra a ameaça do deputado Domingos Dutra (PT) de desistir da candidatura caso o PT se coligue mesmo com o PMDB. Na verdade, ele vai tomar a medida apenas para prejudicar o adversário interno e também deputado federal Washington Luiz Oliveira. Acredita que estando fora do páreo, o partido não faz número suficiente para eleger um representante sequer na Câmara Federal.

Fantasma do passado
O policial civil Sebastião Souza Sabino, morto na segunda-feira ao trocar tiros com um traficante na Vila Embratel, participou do famoso episódio conhecido como “Chacina do Bando Bel”, no final dos ano 1990. Na ocasião, a quadrilha do pistoleiro José Gomes de Oliveira, o Bel, foi executava por policiais numa estrada vicinal próxima a Santa Inês.

Homenagem
Durante reunião do Conselho Estadual de Juventude (Cejovem), quarta-feira, foi proposta uma homenagem ao presidente do Senado, José Sarney, pela passagem dos seus 80 anos em abril. Assessor do enrolado Weverton Rocha, o “balaio” Olímpio Araújo, resolveu protestar: “Em vez de homenagear Sarney, é muito melhor homenagear Roseana”. O conselho então aprovou a homenagem ao pai e à filha.

“Deputado 43″
Durante sessão desta quinta-feira na Assembleia o suplente Luiz Pedro (PDT) foi apelidado de “deputado 43″ e “dublê de deputado”.

Ministério da Justiça nega conta na China

seg, 08/03/10
por Décio Sá |

fernando-sarney-300909O Ministério da Justiça negou ontem que tenha recebido qualquer confirmação, por parte de autoridades chinesas, sobre a existência de uma conta corrente no exterior, movimentada pessoalmente pelo empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney. A informação foi veiculada na edição de ontem do jornal Folha de S. Paulo. Segundo a reportagem, Fernando Sarney teria usado essa conta para realizar uma transferência no valor de R$ 1 milhão para uma agência do banco HSBC situada em Qingdao, na China.

“O Ministério da Justiça esclarece, por meio de seu secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Junior, que o Departamento de Recuperação de Ativos, da secretaria, não recebeu qualquer comunicado do governo chinês a esse respeito”, afirma a nota. A reportagem veiculada pela Folha aponta que a conta em questão estaria situada em um paraíso fiscal, em nome de uma offshore com sede no Caribe.

Na verdarde, a matéria da Folha é mais uma parte da campanha contra o presidente do Senado. O mesmo factóide foi divulgado ano passado, durante a crise na Casa. Até agora o jornal, nem na sua versão impressa e nem na versão online, deu o desmentido do Ministério da Justiça e do próprio governo chinês.

 (Com informações de O Estado de S. Paulo).

Globo boicota Sarney em noticiário sobre Tancredo

sáb, 06/03/10
por Décio Sá |

A campanha contra o presidente do Senado, José Sarney, não para. No ano passado, a chamada grande imprensa tentou de todas as forma apeá-lo do cargo, sem sucesso. “O Sarney foi um homem de uma postura muito digna em todo esse episódio. Das acusações que vocês (O Estado de S. Paulo) fizeram contra o Sarney, nenhuma se sustenta juridicamente e o tempo vai provar”, sentenciou o presidente Lula semana passada em entrevista ao diário dos Mesquitas (reveja).

Na quinta-feira, muita gente não notou, mas a toda-poderosa Rede Globo mostrou também ainda estar de corpo e alma na campanha, não só contra Sarney, mas contra o próprio Estado do Maranhão. Neste dia o Jornal Nacional, o principal do país, conseguiu falar das comemorações em torno do centenário do nascimento de Tancredo Neves e sua vitória no Colégio Eleitoral sem citar Sarney.

Guardadas as devidas proporções, é como se o blog se fizesse uma retrospectiva de 2006 e não citasse a vitória de Jackson Lago (PDT) sobre Roseana Sarney (hoje no PMDB).

A coisa foi tão de propósito que na noite desta mesma quinta-feira o Jornal da Globo fez o mesmo e na manhã da sexta foi a vez do Bom Dia Brasil. Não se trata aqui de ser a favor ou contra Sarney. Se trata de informação, de história. A Globo não pode negar a história, mesmo que esteja em campanha contra Sarney e o Maranhão.

Olha só o trecho do noticiário do Jornal Nacional: “Tancredo Neves foi eleito pelo colégio eleitoral o primeiro presidente civil, depois de 20 anos de ditadura. Na véspera da posse, Tancredo foi internado com diverticulite. Em 38 dias de internação, fez sete cirurgias e não resistiu. Morreu em 21 de abril de 1985. ‘Lamento informar que o excelentíssimo senhor presidente da República, Tancredo de Almeida Neves, faleceu esta noite no Instituto do Coração, às 22h23″, declarou o porta-voz Antonio Britto.’Ficou dele a imagem do político que negociou o fim do autoritarismo’, explicou o historiador Rodrigo Motta. O presidente que não chegou a tomar posse era advogado, profissão que exerceu. Na vida pública, se tornou um especialista em crises políticas.”

E continua a reportagem sem dizer que foi Sarney quem assumiu a Presidência da República e fez a transição democrática. Mas a história foi cruel com a própria Globo. Mesmo a contragosto, Sarney aparece rapidamente nas imagens ao lado do mineiro. Clique acima e veja.

O Bom Dia Brasil foi no mesmo sentido: “Em 1984, Tancredo se tornou o primeiro presidente civil depois do governo militar, na última eleição indireta do país. Um sonho que terminou cedo demais. Um dia antes da posse, ele foi internado com fortes dores abdominais e 38 dias depois, a notícia comoveu o país. ‘O excelentíssimo senhor presidente da República, Tancredo de Almeida Neves, faleceu esta noite no Instituto do Coração’, informou o secretário de imprensa na época, Antônio Britto.” E segue mais uma vez o noticiário negando o restante da história.

Na ânsia de boicotar o maranhense, o Bom Dia Brasil até cometeu até um erro. Diz que Tancredo foi o primeiro presidente civil do país. Na verdade, foi o primeiro presidente civil eleito. O primeiro presidente civil mesmo foi Sarney, nascido em São Bento e criado em Pinheiro, interior do Maranhão.

Paulo Maluf

Sarney, Aécio e estátua de TancredoO Jornal da Globo foi mais longe. Disse que “Tancredo derrotou Maluf” (até Maluf, adversário de Tancredo e Sarney na eleição, foi lembrado)  e que “era o primeiro presidente eleito em 20 anos, mas morreu antes de tomar posse”. E a reportagem continua novamente sem citar o maranhense.

A coisa foi tão premeditada que todos os telejornais globais já citados não fizeram uma menção sequer ao fato do Congresso Nacional ter feito, na quarta-feira, uma sessão solene em homenagem a Tancredo. O evento contou inclusive com a presença do neto-governador Aécio Neves (PSDB-MG), amigo de Sarney (na foto da Agência Senado eles estão em frente ao busto de Tancredo instalado no Salão Nobre da Casa). Só para reforçar: o presidente do Congresso Nacional é Sarney e talvez por isso o evento foi omitido do noticiário sobre o ex-presidente mineiro.

Ao negar a história e os fatos, a Globo diminuiu a própria homenagem que fez ao presidente mineiro. Pior: negou sua história recente da tentativa da prática de um bom jornalismo.

O Globo destaca volta de Sarney à Presidência

qui, 04/03/10
por Décio Sá |

De O Globo Online:

panorama 04032010Brasília e Rio – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende se licenciar do cargo, nos meses de agosto e setembro, para participar ativamente da campanha da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência, informa Ilimar Franco na coluna Panorama Político, no Globo.  O assunto já foi destaque no Correio Braziliense e na revista ISTOÉ.

Segundo o colunista, o presidente Lula quer evitar problemas com a Justiça Eleitoral e se dedicar integralmente à tarefa de eleger seu sucessor. Com isso, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB), que não disputa as eleições, voltará temporariamente à Presidência da República. O vice José Alencar e o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), deverão ser candidatos e não poderiam assumir o cargo.

Ainda de acordo com a coluna, a coordenação da campanha de Dilma também está preocupada com a visibilidade da candidata nos meses de abril e maio, considerados delicados, porque ela estará fora do governo e não poderá se expor ao lado do presidente.

Manchete do Globo Online desta assunto

Manchete do Globo Online destaca assunto

Para preencher o vazio até as convenções partidárias de junho, a coordenação está articulando eventos com partidos, empresários, trabalhadores e movimentos sociais em várias regiões do país. A intenção é ocupar a mídia regional.

Há cerca de duas semanas, no congresso que aclamou Dilma pré-candidata do PT à Presidência , Lula afirmou que sua prioridade este ano é elegê-la presidente.

- Eleger a Dilma é uma das coisas mais importantes do meu governo. Para dar continuidade às coisas boas. Eleger Dilma não é coisa secundária para o presidente da República, é coisa prioritária na minha vida este ano – afirmou na ocasião.

Aécio: “Não adianta, empurrado eu não vou”

qua, 03/03/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O Congresso realizou hoje sessão solene  para celebrar o centenário de nascimento de Tancredo Neves. Participaram do evento o governador de Minas Gerais e neto de Tancredo, Aécio Neves; o governador de São Paulo, José Serra; o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, os pré-candidatos Ciro Gomes (PSB) e Marina Silva (PV), além de parlamentares e familiares do político mineiro, que morreu em 1985.

Notívago, Serra chegou após mesa estar formada

Notívago, Serra chegou após mesa já estar formada

Na abertura da sessão, a cantora Fafá de Belém interpretou o Hino Nacional. A sessão foi presidida pelo presidente do Senado, José Sarney, que, em 1985, se elegeu vice-presidente da República na chapa de Tancredo Neves e assumiu a presidência em seu lugar.

Em meio à pressão de partidos de oposição para lançar o seu nome à vice-presidência da República na chapa de Serra, o governador Aécio Neves (PSDB-MG) disse, após a solenidade, que não vai “empurrado” atender aos apelos dos oposicionistas. Lembrando uma frase do avô, Aécio demonstrou não ser suscetível a pressões para integrar a chapa “puro-sangue” com Serra.

“Não adianta empurrar, empurrado eu não vou”, disse. Aécio disse que a frase foi usada por Tancredo em 1985, quando foi pressionado pelo então deputado João Amazonas para assumir “posições radicais” para a época. “O Tancredo respondeu com a frase. Então, vou repetir Tancredo: não adiante empurrar, empurrado eu não vou.”  Leia mais aqui.

Serra, que chegou atrasado, foi dúbio em relação a sua pretensa candidatura ao Planalto. Primeiro evitou comentar a possibilidade de disputar a Presidência da República. “Eu vim hoje aqui participar deu ma homenagem ao nosso grande Tancredo Neves. Questão de eleição, a gente trata em um outro momento”, afirmou.

Depois, provocado pela turma do CQC, da TV Bandeirantes, negou que iria “pipocar” (desistir). “Não, vou comer a pipoca”, respondeu o governador. Em seguida, ele pegou parte da pipoca nas mãos da humorista do programa e entrou no carro para deixar a sede do Legislativo.

O homem ainda está tonto com o resultado da pesquisa Datafolha mostrando diferença de apenas 4 pontos entre ele Dilma Roussef (PT). Leia mais aqui.



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade