Formulário de Busca

Vidigal detalha desistência de Dino e acusa Zé Reinaldo de ter feito ‘arapuca’ para ele em 2006

sáb, 26/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Em comentário ao blog do Cardoso, o pré-candidato ao Senado Edson Vidigal (PSDB) dá todos os detalhes de como soube da desistência do deputado Flávio Dino (PCdoB) da disputa pelo governo. Vidigal conta que estava na sede do PDT nesta sexta-feira à noite quando o presidente da Assembleia, Marcelo Tavares (PSB) , e o prsidente do PSB, José Antonio Almeida, chegaram para pedir a participação do PSB na chapa de Jackson Lago (PSDB).

vidigal X zé reinaldoNo entanto, o partido exigia uma das vagas ao Senado para o ex-governador José Reinaldo. Vidigal, obviamente, teria de abdicar de sua candidatura. “Eu estava sentado ao lado do Roberto, entao disse – Roberto, isso é contigo. Tu és o presidente do partido, mas acho que devemos consultar o Castelo, o Madeira, o Ildemar, os nossos deputados federais e estaduais. Fui falando assim e foi se impondo um silêncio sepulcral na sala. Logo eles, Marcelo e Ze Antonio, saíram e o Aderson foi levá-los até à porta”, disse o ex-ministro.

Vidigal diz ainda ter avisado ao comunista que ele poderia ser vítima da mesma “arapuca” passada por ele em 2006. Ele acusa o tentão governador José Reinaldo de arma-lhe uma “arapuca” na ocasião. “Antes que isso tudo chegasse ao que chegou eu mesmo o avisei, como amigo, várias vezes – cuidado com essa conversa porque tu (Flávio Dino) podes acabar sendo o Vidigal da vez. Referia-me à aventura em que de boa fé me lancei achando que poderia disputar uma eleição e chegando aqui, despojado de tudo, me vi aprisionado numa arapuca e aí não havia mais caminho de volta, eu continuava e mantinha a dignidade ou caía fora e ninguém iria entender e seria incompreensivelmente cobrado pelo resto da vida.”

Abaixo, a íntegra do desabafo de Vidigal:

“As pessoas tem o mal de costume de não tratar as outras com o devido respeito. Me ofendem e me insultam apenas porque dei a conhecer fato verdadeiro sobre o qual ninguem pediu segredo. Assuntos de interesse público devem ser do conhecimento público. Não mereço as ofensas que a paixão gratuita dissemina contra mim em todos os sentidos.

Ontem, estávamos na sede do PDT quando, por volta das 22h, recebemos a visita do presidente da Assembleia, deputado Marcelo Tavares (PSB), acompanhado do presidente estadual do PSB, o ex-deputado José Antonio Almeida. Eu havia saído para ir a minha casa, que fica próxima, e ao retornar à sala do ex-candidato a prefeito de São Luís Clodomir Paz, coordenador da campanha do Jackson, encontrei os dois queridos amigos pessoais do PSB e, juntos estavam o deputado Brandão, o deputado Chico Leitoa, o ex-deputado Aderson Lago, o ex-deputado Wilson Carvalho, o prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo, o Clodomir, o Roberto Rocha, e quando entrei na sala fizeram silêncio.

Falei brincando o que houve? Só porque eu retornei a reunião agora está em off? Foi quando o Marcelo deu a conhecer, ou repetiu o sentido da sua missão, àquele recinto.

Ele estava ali em companhia do presidente do PSB, legitimando sua missão, para dizer que o PSB queria coligar conosco nas proporcionais mas a condição era uma vaga da chapa ao Senado para o Zé Reinaldo. Nada mais lógico, do ponto de vista deles. E o Flávio, que assim estaria sendo abandonado, perguntei – como fica o Flávio? O Flávio está fora, respondeu. O Flávio será candidato a deputado e nós queremos uma vaga de senador para o Zé Reinaldo.

Eu estava sentado ao lado do Roberto, entao disse – Roberto, isso é contigo. Tu és o presidente do partido, mas acho que devemos consultar o Castelo, o Madeira, o Ildemar, os nossos deputados federais e estaduais. Fui falando assim e foi se impondo um silêncio sepulcral na sala. Logo eles, Marcelo e Ze Antonio, saíram e o Aderson foi levá-los até à porta.

Foram todos embora e ainda fiquei conversando com Chico Leitoa e Clodomir querendo entender aquilo tudo que, como dizia Mateus do Corintians, poderia ser uma faca de dois legumes. Fui encontrar Eurídice e fomos comer carangueijo na Litorânea. Era quase meia-noite quando me veio a ideia de avisar pelo Twitter só a manchete do que havia acontecido. Muita gente tem interesse na candidatura do Flávio e nós também.

Antes que isso tudo chegasse ao que chegou eu mesmo o avisei, como amigo, várias vezes – cuidado com essa conversa porque tu (Flávio Dino) podes acabar sendo o Vidigal da vez. Referia-me à averntura em que de boa fé me lancei achando que poderia disputar uma eleição e chegando aqui, despojado de tudo, me vi aprisionado numa arapuca e aí não havia mais caminho de volta, eu continuava e mantinha a dignidade ou caía fora e ninguém iria entender e seria incompreensivelmente cobrado pelo resto da vida.

Ora, o próprio Rabelo, presidente nacional do PCdoB, pessoa por quem tenho grande estima pessoal e respeito político, ja havia me dito, na presença do Flávio, num jantar em minha casa, que ele, Flávio, não seria candidato a governador porque sendo um dos mais brilhantes dos deputados do PCdoB o partido não iria abrir mão dele na Câmara. Seria candidato à reeeleição. Aqui no Maranhão foi que trataram de inocular-lhe a mosca azul e ele, jovem e de boa fé, acreditou no que eu também havia acreditado.

Então a jogação de toalha anunciada na reunião de ontem não seria novidade para mim.

Pouco antes da meia-noite passei a notícia adiante e o resultado é que, ao invés de lamentarem a situação terrível em que jogaram o Flávio, muitos preferem me agredir, me faltando com respeito. Muitos não me conhecem, ignoram a minha história de vida, desde moço nas lides estudantis combatendo contra o caciquismo vitorinista e sempre sem razão alguma para mudar de opinião quanto a qualquer forma de dominação do nosso povo.

O tempo já e já vai dizer se na reunião de ontem à noite alguém estava blefando usando, mais uma vez o Flávio, ou se tudo que foi dito ja era verdade indesmentivel ou não.”

“Zé Rebolation”, o desespero continua!

ter, 22/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições, Vídeos

Lembram da charge do “Zé Rebolation”, mostrando o “rebolado” do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) para viabilizar sua candidatura ao Senado (reveja)? O sucesso foi tanto que virou um filme. A situação está ficando cada dia pior. O desespero é grande. Clique e bote a mão na cabeça que vai começar…

Em represália a Jackson, PSB quer vetar candidatura de Luciano Leitoa

ter, 22/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O ex-governador José Reinaldo (PSB) resolveu aumentar a pressão para forçar a renúncia do ex-governador Jackson Lago (PDT). O PSB, presidido pelo ex-deputado José Antonio Almeida, primdo do presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Tavares (PSB), admitiu ontem que pode vetar a candidatura do ex-deputado federal Luciano Leitoa (PSB). Marcelo é sobrinho de José Reinaldo. Leitoa declarou apoio a Jackson. “É uma possibilidade”, disse o presidente do Poder Legislativo ontem. Sem o apoio de Luciano, filho do deputado cassado no exercício do mandato Chico Leitoa (PDT), Jackson perderia força no Leste do Maranhão aumentando as possibilidades de renunciar. Por trás de toda essa articulação está também o PCdo do deputado Flávio Dino.

José Reinaldo e Marcelo 'conspiram' contra Jackson e Luciano

José Reinaldo e Marcelo 'conspiram' contra Jackson e Luciano

Nesse jogo há ainda o interesse de Marcelo, como medo de ser atropelado pelo adversário interno, tirar o ex-deputado federal do páreo na disputa por uma vaga na Assembleia. Há duas semanas o presidente propôs que Lucianao fosse o vice de Flávio Dino (PCdoB). Ele reagiu devolvendo a bola para Marcelo e indicou ainda a deputada Cleide Coutinho (PSB), mulher do prefeito Humberto Coutinho (PDT-Caxias), como opção. Ninguém quis (reveja).

Essa confusão vem mais de longe. Luciano é um dos críticos à “oligarquia” Tavares no PSB. Além de José Reinaldo, Marcelo e José Antonio, o partido pode lançar ainda a candidatura da ex primeira-dama Alexandra Tavares. Como se não bastasse, Chico Leitoa até hoje não engoliu a forma como foi tratado por Marcelo quando de sua cassação pelo TRE. Ele reclama que o presidente da Casa deveria ter esperado cinco sessões para poder afastá-lo da Casa, o que não ocorreu. Ele recorreu ao TSE e acabou voltando.

Já o PDT e PSDB resolveram reagir. Membros das legendas vão pressionar o PTC, do deputado Edivaldo Holanda, a retirar o apoio feito em convenção neste final de semana à candidatura ao Senado de José Reinaldo. O PTC está coligado oficialmente com PPS, PSDB e PDT, que tem os tucanos pré-candidatos Roberto Rocha e Edson Vidigal ao Senado. Caso Edivaldo insista no apoio ao socialista vai ter problemas na coligação.

O jogo é bruto.

Marcelo Tavares com medo de Luciano Leitoa?

qui, 10/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O deputado Marcelo Tavares afirmou ontem a jornalistas na Assembleia que o ex-deputado Luciano Leitoa (ambos do PSB) estava praticamente certo para compor como vice a chapa da suposta candidatura do deputado Flávio Dino (PCdoB) ao governo, segundo informou o blog do professor Hostilio Caio.

Luciano Leitoa 100610Nesta quinta-feira Luciano Leitoa (foto) negou a informação dando a entender que o presidente da Assembleia estaria com receio de disputar com ele uma vaga no Parlamento Estadual. “Meu plano é ser candidato a deputado estadual. Foi e sempre será essa alternativa para as eleições deste ano”, disse ele ao blog do Elias Lacerda, de Timon.

O ex-deputado, que já não acredita na participação do PT na coligação PT/PSB (o PT indicou a ex-deputada Terezinha Fernandes para vice de Dino), ainda destilou um leve veneno ao afirmar que o partido tem outros nomes que poderiam ir para o sacrifício, como o do próprio presidente da Assembleia. “Temos o nome da deputada Cleide Coutinho e o próprio Marcelo Tavares, que acho acrescentariam muito como vice”, ironizou.

Luciano e o pai Chico Leitoa (PDT) estão com Marcelo e o tio, o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB), atravessados na garganta. Luciano acha que tem Tavares demais candidatos pelo PSB. E Chico se chateou com o presidente quando ele não deu o prazo de cinco sessões para o cumprimento de decisão do TRE determinando sua cassação. Decisão esta, posteriormente, cassada pelo TSE.

E mais: o ex-deputado já declarou apoio a Jackson Lago (PDT) alegando que ele apoiou sua eleição à Câmara Federal. Também avisou que quer distância da campanha de Dino.

Marcelo Tavares devolve reajuste de servidores. Agora são os deputados que reclamam dele

qua, 09/06/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Antes tarde do que nunca. O presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Tavares (PSB), recuou da ideia de não repassar a parcela de 5,9% de aumento aos salários dos servidores efetivos da Casa como vinha fazendo regularmente. O percentual foi conquistado tardiamente no final do ano passado depois que fora concedido a todos os funcionários dos poderes Executivo, Judiciário e, no caso do Poder Legislativo, foi repassado apenas para os cargos comissionados. O reajuste aconteceu em junho de 2009.

marcelo tavares 270510No último sábado (reveja) o blog noticiou a insatisfação dos barnabés do poder e, diante da repercussão, o presidente voltou atrás. Ele participou de uma reunião nesta quarta-feira pela manhã com a categoria e anunciou que vai implantar o reajuste retroativo ao mês passado.

Os funcionários, no entanto, ainda reclamam do ticket-alimentação, congelado em R$ 200 há quatro anos, e do adicional de qualificação, dado aos com cursos de especialização. Sobre isso, o presidente ainda não se pronunciou.

Notas fiscais

Mas enquanto tenta agradar os barnabés, Marcelo Tavares (foto) encontra outro foco de insatisfação: os próprios deputados. Os parlamentares estão chiando da prestação de contas da verba indenizatória de R$ 15 mil. Só estão sendo aceitas as notas fiscais de estabelecimentos sem problemas com órgãos federais e estaduais.

Segundo um deputado,”o Marcelo quer que a gente chegue num determinado estabelecimento e peça certidão negativa de débito para poder aceitar a nota. Essa não é função nossa, é função do Estado. Eu não sou fiscal da Receita”, lamentou-se o parlamentar.

O problema está fazendo muito deputado não ter como cumprir alguns compromissos. A chiadeira é geral.

Servidores da Assembleia acusam Marcelo Tavares de não honrar acordo salarial

sáb, 05/06/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Do Blog do Sindsalem:

Os servidores efetivos e estáveis da Assembléia Legislativa do Maranhão (Alema) ao abrirem seus contracheques do mês de maio ficaram indignados ao verificarem que seus salários foram reduzidos em 5,9%. Tal percentual foi conquistado tardiamente no final do ano passado depois que fora concedido a todos os servidores dos poderes Executivo, Judiciário e, no caso do Poder Legislativo, foi repassado apenas para os cargos comissionados. Tais reajustes aconteceram em junho de 2009.

marcelo tavares 270510Após tomar conhecimento que o reajuste não seria aplicado aos servidores efetivos e estáveis o Sindicato dos Servidores da Assembléia Legislativa (Sindsalme) foi até ao presidente Marcelo Tavares (PSB) e conseguiu que o índice fosse estendido também a esses servidores. Naquele momento foi acordado que o índice seria inserido na tabela do atual Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), nos anos 2009, 2010 e 2011, as três últimas etapas da implantação do plano. Diga-se de passagem, que o tal índice aplicado a todos os outros servidores do Estado desde o mês de junho de 2009, só veio a ser concedido aos estáveis e efetivos a partir do mês de novembro.

Iniciado o ano de 2010, fomos surpreendidos pela informação da Diretoria de Recursos Humanos (DRH) que a lei do índice seria aplicada somente na tabela do PCCV de 2009, isto é, reajuste aplicado, com defasagem em relação aos outros servidores, seria temporário, terminaria no dia 30 de abril de 2010. Ou seja, para a DRH os Deputados maranhenses inovaram: pela primeira vez na história aprovaram um reajuste com inicio e término determinado.

A direção do Sindsalem voltou a conversar com o presidente e ele disse, depois de consultar a Procuradoria da Assembléia Legislativa, que a interpretação da lei pelo DRH era equivocada. Em seguida, parecendo concordar com a DRH, disse que seria necessário alterar a Lei (9112/2010) aprovada e publicou no diário oficial um projeto de lei de número 032/2010 neste sentido. Depois que tal projeto entrou na pauta, Marcelo Tavares nos informa que o estava retirando, pois temia que depois de aprovado não fosse sancionado pela Governadora do Estado. Assim, a solução do impasse seria resolvida por ele no âmbito da própria Assembléia Legislativa.

Entretanto, ao visualizar o contracheque do mês de maio, os servidores verificaram que o presidente não honrou a sua palavra e que todos os seus movimentos só tinham um objetivo, ganhar tempo e evitar contestações de sua política salarial por parte dos servidores. Continue lendo aqui.

Notícias da Noite

qui, 27/05/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Inquérito na Polícia Federal
O Corredor do TRE, José Joaquim Figueiredo dos Anjos, pediu abertura de inquérito na Polícia Federal em relação a artigos publicados semana passada no Jornal Pequeno e Atos e Fatos onde são feitas insinuações de um suposto envolvimento dele no processo que resultou na cassação do prefeito de São João Batista, Eduardo Dominice (PSB). Constamente dois jornalistas “joaninos”, ligados ao prefeito cassado, fazem este de ilação. Para por um ponto final na questão, o corregedor  resolveu acionar a PF.

Serra não vem
Em crise PDT, PSDB, PPS e PTC marcaram para esta sexta-feira uma pré-convenção. Os tucanos tentaram trazer o pré-candidato José Serra, mas ele pulou lá fora. O ex-governador paulista ficou surpreso quando foi informado por integrantes do PPS que teria o apoio de Jackson Lago (PDT) no Maranhão. “Mas ele não apoia é a Dilma?”, questionou. Pedetistas, socialistas e trabalhistas estão chateados com a gula dos tucanos em querer abocanhar toda a chapa majoritária – as duas vagas de senador e a de vice-governador. A revolta aumentou porque corre a informação que o prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB), estaria tentando emplacar o filho Joãozinho como primeiro suplente do pré-candidato Roberto Rocha (PSDB).

Acordão
O PSDB fez um acordo interno para não reinvindicar na Justiça Eleitoral o mandato do suplente Carlinhos Amorim (PDT), que assumiu a vaga do ex-presidente João Evangelista (PSDB). Amorim foi eleito pelo PSDB, andou no PSB e pousou no PDT. O principal interessado, Lula Almeida, disse que como o agora deputado ajudou na eleição do prefeito tucano Sebastião Madeira (Imperatriz) não há porque tentar tirá-lo do mandato.

marcelo tavares 270510Assembleia aos frangalhos
A coisa está feia na Assembleia. Deputados e funcionários reclamam da falta de cafezinho e até papel higiênico nos banheiros. Servidores dizem ainda que não tiveram este mês 5% incorporados aos salários como prevê o Plano de Cargos, Carreiras e Salários. Alguns parlamentares suspenderam a visita de prefeitos em seus gabinetes por causa do circuito interno de TV que possibilita ao presidente da Casa, Marcelo Tavares (PSB-foto), saber qual político procura determinado deputado.

Pesquisa pirata
O Jornal Pequeno parece gostar de descumprir a legislação eleitoral. Na edição desta quarta-feira reproduziu do Estadão uma suposta “pesquisa interna” do PCdoB mostrando números da corrida eleitoral no Maranhão onde Flávio Dino (PCdoB) aparece em destaque. O levantamento não tem registro, número de entrevistados e o instituto que a realizou. É mais uma estatégia do PCdoB para encher a bola do ex-juiz federal. Tanto o JP quanto o Estadão estão sujeitos a multa.

Juíza esclarece
A juíza de Santa Luzia, Maricélia Gonçalves, diz que ainda não analisou o processo em que o Ministério Público pede a cassação do prefeito Atemir Botelho (Alto Alegre do Pindaré). Ela afirma que está desde segunda-feira em São Luís fazendo um curso de planejamento estratégico e só na volta à comarca semana que vem quando vai analisar o caso.

Puxão de orelha em Timon
O presidente do Diretório do PR de Timon, Itamar Barbosa de Sousa, encaminha nota ao blog para repudiar a atitude do secretário Reginaldo Bom Clima (Desenvolvimento Econômico e Turismo). No encontro do partido no final de semana, Bom Clima criticou o Governo do Estado. “A fala do secretário não foi respaldada de forma alguma por este presidente, sendo o senhor Reginaldo totalmente responsável por sua explanação”, diz Itamar.

Fogo amigo
Tem petista abastecendo a Veja com informações da gestão do presidente do PT no Maranhão, Raimundo Monteiro, no Incra. Foi justamente essa briga intestina interna que derrubou Monteiro do cargo. Ontem já tinha repórter da Folha de S. Paulo no gabinete do deputado Valdinar Barros (PT).

Armação na Fecomércio
Após se declarar reeleito, apesar dos vários recursos que ainda tramitam na Justiça do Trabalho, o ainda presidente da Fecomércio, José Arteiro da Silva, marcou para esta segunda-feira sua posse a mais um mandato de quatro anos.

Renovação de eleição
O professor Flávio Braga explica em seu blog aqui no imirante que em Água Doce do Maranhão haverá renovação de eleição e não eleição suplementar, conforme determinação do TSE. “Denomina-se renovação de eleição a repetição do pleito anteriormente realizado quando mais da metade dos votos forem declarados nulos por decisão da  Justiça Eleitoral”,  diz (veja aqui).

A fila andou
A ex primeira-dama Alexandra Tavares fez a fila andar mais uma vez. Engatou romance com Vitor Trovão Neto, sobrinho do deputado Ricardo Murad (PMDB), mas assessor da deputada Gardênia Castelo (PSDB).

Ninho de delegados
O professor Hostilio Caio está denunciando em seu blog uma série de delegados do PT que estariam nomeados na Assembleia Legislativa. É petista defensor da tese de aliança com o PCdoB dando na canela (veja aqui).

Notícias da Tarde

ter, 11/05/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Fecomércio: continua a confusão
O presidente da Fecomércio, José Arteiro da Silva, promoveu ontem uma reunião onde foram julgados e indeferidos todos os recursos da eleição para o comando da instituição. Por conta disso, ele se declarou reeleito. A oposição, liderada por Haroldo Cavalcanti, classificou a medida como mais um “ato arbitrário” do presidente. Com a medida, Arteiro estaria descumprindo decisões da justiça. A oposição vai usar o fato de ontem contra o próprio Arteiro junto aos juízes do trabalho que analisam o caso. Os oposicionistas alegam que não tiveram acesso a ata e ao CD com o áudio da reunião. “Ele fez tudo a revelia”, dizem.

Circulação em queda
Está circulando no meio publicitário um em-mail de um funcionário de O Imparcial reclamando da forma como é tratado pelos chefes. Já no final da mensagem, ele revela a queda de tiragem do matutino e do filhote popular “Aqui”. “O que vc faz é puxar o faturamento para baixo, veja resultado do mês de abril. Me responda: porque o AQUI que tinha 32 páginas diárias, hoje só tem 16? Pq a circulação caiu de 40 mil para 20 mil? E o que dizer de O Imparcial que antes tinha 8 mil e hoje só tem míseros 3.800??? “, questiona.

Expectativa no TRE
Apesar de estar na pauta, os julgamentos mais esperados desta terça-feira podem não ocorrer no TRE. O juiz Sérgio Muniz está em São Paulo tratando da saúde e não deve comparecer à sessão. O julgamento do processo de Barreirinhas – 3 a 2 pela volta do prefeito cassado Miltinho Dias (PT) – está esperando justamente o voto dele. Em relação a São João Batista – 2 a 0 pela cassação do prefeito Eduardo Dominici -, o juiz Magno Linhares, que pediu vistas na sessão da semana passada, disse na ocasião que traria seu voto no dia 13, próxima quinta-feira. Já o deputado Flávio Dino (PCdoB) entrou com outro recurso em relação a um mandato de segurança no processo em que pede a cassação do prefito João Castelo (São Luís), o que deve adiar o julgamento novamente.

SMTT_protestoDia de Cão
São Luís viveu ontem um verdadeiro Dia de Cão por conta da greve dos agentes de trânsito. Com faixas e cartazes, os manifestantes partiram para cima do secretário municipal Ribamar Oliveira (Trânsito e Transporte) como mostram as faixas. Os grevistas estão sendo responsabilizados por um verdadeiro “apagão” nos semáforos da cidade ocorrido ontem. Na prefeitura, há quem tenha visto as digitais de um ex-secretário, pretenso candidato a deputado, nas articulações.

Presidente fashion
Logo que iniciou sua gestão o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Tavares (PSB), tentou criar uma farda para os funcionários da Casa. Como todo mundo reclamou a ideia não foi adiante. Na semana passada descobriu-se a ligação do presidente com o mundo fashion. Ao lado da mulher, Silvana Tavares, ele era o ilustre convidado da inauguração de uma loja de roupas de grife no Calhau, segundo revelado no blog de Othon Lima (veja aqui). Um deputado brincou dizendo que se Marcelo não conseguir a reeleição já pode tentar a carreira de estilista.

Presidente fashion 2
Enquanto envereda pelo mundo do falecido deputado Clodovil Hernandes, Marcelo vai ficando a cada dia mais baixa com os funcionários e os próprios colegas de Parlamento. Segundos alguns deputados, o presidente de fato da Casa se chama Edivaldo Holanda (PTC). É ele quem dar ordens aos funcionários de alto escalão e tenta controlar a assessoria de imprensa do Legislativo. Nos últimos meses nada menos que cinco jornalistas já foram deslocados para fazer a cobertura de Holanda, mas todos pediram para deixar o posto criticando a maneira como o trabalhista cristão tenta lidar com a mídia.

Perseguição em Matões
O secretário de Articulação Política e prefeito de fato de Matões, o ex-deputado Rubens Pereira, pai do deputado imberbe Rubens Júnior (PCdoB), está tentando tirar do ar a rádio comunitária “Chapada do Corisco”. A revolta é principalmente com o programa “Fala Matões”, apresentado por Fernando Tenório, filho do ex-prefeito Gilberto Tenório. Como no programa a população tem voz e vez e fala o que acha da administração da prefeita eleita Suely Pereira (PDT), o secretário alega que a emissora está se posicionando politicamente.

Charge eletrônica: “A mão na cabeça que vai começar…”

sex, 23/04/10
por Décio Sá |
categoria Charges, Eleições

Veja só o esforço que o ex-governador José Reinaldo está fazendo para sair candidato ao Senado:

charge ZÉ Rebolation

Pressão de José Reinaldo sobre Bira já faz efeito

ter, 20/04/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Começa a se concretizar o que o blog afirmou há dez dias (reveja). O ex-sindicalista Bira do Pindaré deve mesmo desistir da disputa ao Senado por pressão do ex-governador José Reinaldo (PSB). O movimento para tirá-lo do páreo é coordenado em parte pelo PCdoB, de quem o ex-governador estaria cobrando a “fatura” pela eleição do deputado Flávio Dino em 2006.

Bira deve desistir do Senado

Bira está perto de desistir do Senado

Na época do post, petistas e comunistas afirmaram que eu estava “jogando pedra na lua” (tentando adivinhar a informação). Nesta terça-feira, os candidatos se inscreveram no PT para a disputa de outubro. Bira se cadastrou, além do Senado, para deputado estadual e federal. Prova mais evidente que ele planeja desistir da senatória.

Segundo apurou o blog, no encontro do PSB há duas semanas, o presidente da Assembleia, Marcelo Tavares (PSB), sobrinho de José Reinaldo, afirmou aos membros do Diretório Estadual estar tentando convencer Bira a desistir. O ex-sindicalista teria respondido que se saísse da disputa poderia ser pior porque a vaga cairia no colo de Kleber Gomes, aliado de Washington Oliveira, adversário do clã Tavares nessa disputa específica.

O ex-governador estaria preocupado principalmente com o tempo de TV. Caso seja candidato ao Senado apenas contando com seu partido e o PCdoB ele terá cerca de 1 minuto no horário eleitoral, o que tornaria sua candidatura inviável. Já o PT sozinho tem mais de 6 minutos. José Reinaldo, como se sabe, é “serrista” até na alma.

Vice-governador

Quatro candidatos se inscreveram para suplência de senador: Arnaldo Colaço e Joab Jeremias, para a 1ª, e Márcio Jardim e Franklin Douglas para a 2ª. Jardim também se inscreveu para deputado federal. No encontro do PT, Bira havia fechado um acordo com Joab pela 1ª suplência, mas não cumpriu ajudá-lo a fortalecer seu nome.

Já para vice-governador se inscreverem Terezinha Fernandes e Washington Luiz Oliveira, que se inscreveu ainda para deputado federal. Washington, neste caso, sonha ser o companheiro de chapa da governadora Roseana Sarney (PMDB). A ex-deputada pretende concorrer também a deputada federal e estadual. Já o marido dela, o ex-prefeito Jomar Fernandes (Imperatriz), inscreveu-se para uma vaga na Assembleia. Todas essas múltiplas incrições mostram que os petistas ainda não sabem como o partido vai seguir nestas eleições.

 Ao todo, 56 membros do PT se cadastraram para a disputa a estadual, 19 a federal, dois a vice-governador e quatro para suplente de senador. Abaixo, os principais nomes.

Deputado Estadual: Ivaldo Coqueiro, Cláudio Arruda (ex-prefeito de Formosa da Serra Negra), José Carlos da CEF, Cafezinho (vereador em Arari), Francisca Primo (mulher do prefeito de Buriticupu), Raimundo Monteiro (presidente do PT), Inácio Rodrigues (ex-superintendente do Ministério do Desenvolvimento Agrário no MA), Edmilson Carneiro, Antonio Erismar (vice-prefeito de Açailândia), Américo (vereador em Coelho Neto), Valdinar Barros (deputado estadual), Fransuila Lopes, Antonio da Mata (ex-prefeito de Paulino Neves), Mauro Jorge (ex-deputado estadual), Genilson Alves, Bira do Pindaré, Jomar Fernandes, Terezinha Fernandes e Eri Castro.

Deputado federal: Ananias Neto (ex-vereador da capital), Augusto Lobato (vice-presidente do PT), Rodrigo Comerciário, Domingos Dutra (deputado federal), Raimundo Monteiro, Bira do Pindaré, Márcio Jardim, Washington Luiz Oliveira, Terezinha Fernandes e Ney Jefferson (Caxias).

Senado: Bira do Pindaré e Kleber Gomes

Vice-governador: Washington Luiz Oliveira e Terezinha Fernandes.

Nota: Post alterado a 1h para acréscimo de informações.



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade