Formulário de Busca

Morre jornalista Telma Borges

qui, 20/05/10
por Décio Sá |
categoria Cidades

Morreu, na noite desta quarta-feira, a jornalista Telma Borges (foto), aos 49 anos, vítima de uma parada cardíaca provocada por uma infecção generalizada. Ela vinha sofrendo de câncer na região do estômago e chegou a ser operada no final do ano passado em São Paulo. Estava internada desde domingo no Hospital São Domingos, tendo se submetido a uma nova cirurgia, mas não resistiu.

telma_borgesÉ o terceiro profissional da área de comunicação que morre num espaço de três dias. Na segunda-feira, o decano da imprensa maranhanse Jurivê Macedo, 80 anos, desapareceu em decorrência de um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Ontem foi enterrado Walter Rodrigues, 59 anos, vítima de um ataque fulminante do coração.

Telma Borges trabalhou por muitos anos como editora de Economia do jornal O Imparcial, foi repórter das TVs Ribamar e Difusora, e atualmente vinha atuando como assessora do Sesc. Ela era casada com o jornalista Jorge Vieira e tinha duas filhas.

O corpo está está sendo velado na Central de Velório da Pax União, no Centro de São Luís. Aos familiares, meus sinceros pêsames.

(Com informações do imirante.com e TV Mirante).

Gardeninha bate forte em Flávio Dino

seg, 30/11/09
por Décio Sá |

gardeninha castelo 301109Em entrevista ao jornal O Imparcial desta segunda-feira, a deputada Gardeninha Castelo (PSDB) bate forte no deputado Flávio Dino (PCdoB) por causa do processo de cassação que o parlamentar move contra seu pai, o prefeito João Castelo (São Luís). O caso deve ser julgado até o final de dezembro pelo TRE. Ela (foto) chama o comunista de “imaturo”, “vaidoso” e “prepotente”. “O mandato de deputado federal ele não construiu, ele ganhou”, detona.

“Ao invés dele estar aí preocupado em criar fatos políticos, ele deveria era explicar para a população como se elegeu sem ser conhecido. Financiamento público de campanha, pelo que sei, ainda não foi aprovado”, completa a tucana numa clara referência ao fato do adversário ter tido sua campanha bancada, em 2006, pelo governo José Reinaldo (PSB). Leia abaixo:

Qual sua análise sobre o processo que corre na Justiça Eleitoral e que pede a cassação do mandato do prefeito de São Luís?
“Esse processo é do deputado Flávio Dino. O deputado, transtornado com a derrota que o povo lhe impôs, mesmo ele indo para o segundo turno com o apoio da máquina, com o apoio do Lula que ele botou na televisão como seu maior cabo eleitoral, João Castelo disputou as eleições, não contra ele, mas contra o Lula. E aí ele, talvez por imaturidade, talvez pelo excesso de vaidade, talvez por ser um pouco prepotente acostumado de uma maneira diferente a ter tudo(achou que venceria o pleito).

Por último, ele conseguiu ser eleito deputado federal mesmo sem ser conhecido por quase nenhum eleitor do Maranhão. Conseguiu ter quase 130 mil votos. Conseguiu em Caxias ter ter 15 mil votos; em Tuntum, 60% dos votos. Uma eleição fácil. O mandato de deputado federal ele não construiu, ele ganhou. Conseguiu achar tudo mais fácil. Eleito deputado (decidiu): “Vou ser prefeito”. E o Tadeu (ex-prefeito e atual secretário estadual de Turismo) bancou sua campanha. Com o apoio de Lula foi para o segundo turno e meteu na cabeça que era o prefeito. Perdeu a eleição, ficou revoltado, pensou em ser prefeito de qualquer jeito. Esse é um processo na justiça para tentar cassar o prefeito (Joâo Castelo) de qualquer jeito. Esse é um processo que não tem fundamentação legal. Flávio Dino construiu uma colcha de retalhos. Até agora não tem obtido êxito. Felizmente nossa justiça está atenta, está sendo inteligente. Até agora tudo o que o Flávio Dino alega não conseguiu provar. E não vai provar.

Tenho dito que ao invés dele está aí preocupado em criar fatos políticos, ele deveria era explicar para a população como se elegeu sem ser conhecido. Financiamento público de campanha, pelo que sei, ainda não foi aprovado.”



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade