Formulário de Busca

Ibope mostra Dilma e Serra empatados

dom, 04/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

De O Globo:

Rio – De acordo com a pesquisa Ibope sobre a intenção de voto para presidente da República, encomendada pela Associação Comercial de São Paulo e divulgada na noite deste sábado, os candidatos José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) estão empatados com 39%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Ibope Serra e Dilma empateHá dois meses, o candidato tucano aparecia com 40% e na prévia de maio para junho, despencou 3 pontos e ficou com 37% e logo depois chegou aos 35%. Agora está com 39% e, com margem de erro, pode variar entre 37% e 41%. Já a candidata petista surgiu com 32%, foi a 37%, chegou a 40% e agora aparece com 39%. Com a margem de erro, pode variar entre 37% e 41%.

A candidata Marina Silva, do PV, que estava estacionada com 9% nas três pesquisas desde abril, subiu um ponto e está com 10%. Com a margem de erro, entre 8% e 12%. Os votos brancos e nulos somaram 6%, enquanto que os indecisos, 7%.

Numa simulação de segundo turno, a pesquisa mostrou que Serra e Dilma continuariam empatados, com 43% das intenções de voto cada, enquanto brancos ou nulos somaram 8% e indecisos, 7%.

A pesquisa Ibope mediu também o grau de aprovação do governo Lula: 76% dos eleitores consideraram ótimo ou bom, 19%, regular, 4%, ruim e péssimo e 1% não soube ou não quis opinar.

TSE tumultua processo eleitoral, diz presidente do PT

qui, 01/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Brasília – A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de proibir a presença dos presidenciáveis no palanque eletrônico de candidatos a governador cujas coligações estaduais envolvam mais de um partido com candidato a presidente desagradou ao governo e à oposição.

José Eduardo Dutra

José Eduardo Dutra

As direções de PT, PV, PMDB e PSDB foram apanhadas de surpresa. O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, acusou o TSE de tumultuar o processo.

A decisão do TSE foi tomada em função de uma consulta feita pelo PPS sobre a disputa no Rio. O tribunal decidiu que o candidato a governador Fernando Gabeira (PV) fica impedido de fazer campanha no horário eleitoral gratuito com o tucano José Serra ou com Marina Silva, de PSDB e PV respectivamente, ambos de sua coligação.

Ontem a direção do PT correu para anular algumas coligações estaduais, na tentativa de impedir estrago na campanha na TV para Dilma, mas não deu tempo. O PT só conseguiu reverter o caso da Bahia, onde a coligação de Jaques Wagner (PT) incluía o PSL, coligado nacionalmente com o PSDB.

No caso do Acre, onde a coligação do candidato a governador Tião Viana (PT) inclui o PV, não foi possível reverter. Apesar da irritação com o TSE, o PT não vai recorrer.

— Essas decisões do TSE tomadas em cima da hora tumultuam o processo eleitoral. E é uma lei contraditória, porque outra lei diz que toda mudança de regra eleitoral tem de ser tomada um ano antes da eleição. Agora o TSE faz esses entendimentos em cima da hora, quando as coligações estão fechadas, tumultuando o processo. Disparamos todo mundo do partido nos estados para fazer um pente fino, mas não tem mais como trocar — reclamou Dutra.

No caso do PT, além de Tião Viana, que não poderá mostrar Dilma em sua propaganda na TV, o candidato do PMDB ao governo da Bahia, Geddel Vieira Lima, também não poderá aparecer com a petista. Sua coligação estadual inclui o PTB, que em nível nacional está com o PSDB.

O mesmo acontece com a candidata do PMDB ao governo do Maranhão, Roseana Sarney, que brigou tanto para ter apoio do PT. Ela não poderá aparecer ao lado de Dilma na TV, porque sua coligação inclui o DEM, que, nacionalmente, apoia Serra.

O caso do Maranhão é emblemático. Nem Dilma poderá aparecer no horário eleitoral de Roseana, nem Serra aparecerá com Jackson Lago (PDT), coligado em nível estadual com o PSDB, mas nacionalmente com o PT. Flávio Dino (PCdoB) está na mesma situação porque recebeu ontem o apoio do PPS, que apoia Serra.

— Não acho a decisão correta. Não sei se cabe recurso. Mas não vamos recorrer — protestou o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP).

O estrago será feito também no palanque eletrônico de Serra. Além da campanha de Gabeira, ele não poderá aparecer no horário de TV de André Pucinelli, candidato do PMDB ao governo de Mato Grosso do Sul com apoio do PSDB; de Jarbas Vasconcelos (PMDB), que se candidatou ao governo de Pernambuco só para lhe fazer um palanque forte; e de Joaquim Roriz, candidato ao governo do DF. PMDB e PSC estão na coligação nacional do PT.

(Com informações de O Globo).

Radicais do PT voltam ‘perturbar’ TSE em nova ação

sex, 25/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Dirigentes do PT do Maranhão entraram com nova ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nesta sexta-feira (25), pedindo liminar que anule a decisão do comando nacional da legenda de formar aliança com o PMDB no Estado, apoiando a candidatura de Roseana Sarney ao governo local.

Dutra culpou advogados por erro na 1ª ação

Dutra culpou advogados de Flávio Dino por erro na 1ª ação

No dia 11 de junho, o diretório nacional da sigla revogou a decisão adotada no encontro do PT no Maranhão, que havia definido o apoio à candidatura do deputado federal Flávio Dino (PCdoB) ao governo do estado.

Após intervenção, PT do Maranhão indica candidato a vice de RoseanaPT revoga decisão de diretório estadual e aprova apoio a Roseana Na última segunda-feira (21), o ministro Hamilton Carvalhido já havia negado pedido semelhante.

Ele afirmou não ter reconhecido a legitimidade dos dirigentes maranhenses para entrar com a ação e alegou falta de provas da suposta intervenção por parte da direção nacional da sigla. Na ocasião, o deputado Domingos Dutra (PT-MA) informou ao G1 que houve erros dos advogados na elaboração da ação. A peça foi preparada pelo escritório jurídico de Flávio Dino.

Na nova ação, as lideranças maranhenses alegam que, na condição de filiados, tiveram seus direitos subjetivos violados, “afetando as suas condições de elegibilidade e, por consequência, o processo eleitoral”. Segundo os dirigentes, a decisão impugnada pelo comando nacional do partido foi referendada pelos delegados petistas em encontro realizado em março.

“A direção nacional resolveu ignorar deliberação da instância regional e aprovar uma coligação estadual majoritária e praticou um ato de vontade, pretendendo estabelecer uma autêntica ditadura partidária”, afirmaram os radicais do PT do Maranhão.

(Com informações do G1).

O chororô de Flávio Dino

sex, 11/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Flávio Dino chorando eleição

Foto: Paulo Soares

O deputado Flávio Dino (PCdoB) divulgou nota nesta sexta-feira lamentando a decisão do PT que definiu pelo apoio à governadora Roseana Sarney (PMDB).

Ele garante que continua candidato e classificou a decisão do PT de “equívoco político com “consequências táticas e estratégicas igualmente graves”.

“Não há qualquer motivo jurídico ou político que sustente a decisão da maioria da direção nacional do PT”, diz a ele.

Abaixo, a íntegra da nota:

 

1- Como parceiro de tantas lutas e militante da esquerda brasileira, lamento o equívoco político da maioria da direção nacional do PT. Tão grave erro tem consequencias táticas e estratégicas igualmente graves, como a história demonstrará. Manifesto também a indignação contra o tratamento desrespeitoso ao PSB, ao PCdoB e ao PT do Maranhão.

2 - Não há qualquer motivo jurídico ou político que sustente a decisão da maioria da direção nacional do PT.

3 - Agradeço a confiança das direções nacionais e estaduais do PSB e do PCdoB, que desde o começo do processo manifestam-se a favor de um Maranhão justo e desenvolvido. Do mesmo modo, o meu reconhecimento aos companheiros do PT do Maranhão, os quais, em sua imensa maioria, permanecem determinados a renovar e mudar a política maranhense.

4 - Prossigo na pré-campanha no Maranhão, com o PCdoB, o PSB, os petistas e os movimentos sociais. A esperança está mais viva do que nunca. Quem conhece o sofrimento e a pobreza do povo do Maranhão, e se indigna com essa situação vergonhosa, não se permite ter medo.

5 - Amanhã (sábado) estaremos debatendo nosso Programa de Governo nos municípios de Colinas, Mirador e Dom Pedro. No domingo, participarei do Congresso Estadual da União da Juventude Socialista (UJS), em São Luís.

6 - Faremos nossa Convenção Estadual no dia 26 de junho, em São Luís. Vamos vencer as eleições. A esperança sempre vence o medo.”

Resolução do PT sobre aliança no Maranhão

sex, 11/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Do site do PT:

Resolução DN 10/06/2010  -  Política de Alianças no Maranhão

PT 30 anos 250510Considerando as diretrizes estabelecidas no 4º Congresso Nacional do PT que definiu como objetivo princicipal de 2010 a vitória na eleição presidencial, com a candidatura da companheira Dilma Rousseff, para dar continuidade aos avanços do projeto democrático e popular liderado pelo Presidente Lula;

Considerando que o 4º Congresso estabeleceu, ainda,a respeuito das eleições estaduais, que é de competência da direção nacional a deliberação, em última instância, sobre as questões de tática e alianças nos Estados;

Considerando a importância do PMDB na base aliada do nosso governo e na composição da coligação eleitoral nacional para as Eleições 2010;

O Diretório Nacional

RESOLVE:

1.  Aprovar a coligação estadual majoritária com o PMDB no Estado do Maranhão e à candidata ao Governo do Estado, Roseana Sarney;

2. Determinar à Comissão Executiva Estadual do PT do Maranhão, na realização de sua Convenção Oficial para a escolha de candidatos e aprovação de coligações às próximas eleições gerais, a observância das diretrizes estabelecidas na presente Resolução, em consonância às normas legais, bem como às normas estatutárias definidas no Capítulo I do Título V do Estatuto do PT.

Brasília, 11 de junho de 2010

Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores

Roseana convoca petistas para cruzada pró-Dilma

sex, 11/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

A governadora Roseana Sarney (PMDB) afirmou agora há pouco estar “feliz” e ter recebido com “humildade” e “tranqulidade” a decisão do PT em oficializar o apoio à sua candidatura. Ela disse que todas as correntes do partido no Maranhão serão bem recebidas na coligação. “Ninguém terá tratamento privilegiado”, declarou.

Dilma, Lula e Roseana em Bacabeira

Dilma, Lula e Roseana em Bacabeira

A governadora convocou os petistas maranhenses a se unirem a ela no esforço de eleger a pré-candidata Dilma Roussef a primeira mulher presidente do Brasil. “Temos de dá a Dilma uma votação do tamanho da generosidade do presidente Lula com o Maranhão. Ela é a única candidata que pode dar continuidade a esse grande trabalho que o presidente tem feito pelo país”, disse.

Roseana viaja ainda nesta sexta-feira à tarde para Brasília com objetivo de participar da convenção nacional do PMDB neste sábado. Ainda hoje ela vai ter uma série de conversas na Capital Federal com as lideranças do partido. Por conta disso, cancelou sua participação na abertura do São João no Arraial da Lagoa da Jansen.

PT Nacional decide apoio a Roseana Sarney

sex, 11/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

No sábado passado informei aqui qua a aliança PT/PMDB em torno da candidaura da govenadora Roseana estava fechada. Disse mais: só ainda acreditava que o deputado Flávio Dino (PCdoB) teria apoio do PT, e que o partido do presidente Lula terá candidatura própria ou uma chapa sem cabeça no Estado, quem não conhecia política, era ingênuo ou queria ser usado (reveja).

Com apoio do PT, Roseana fica praticamente imbatível

Com apoio do PT, Roseana fica praticamente imbatível

Por falar essa verdades, com base em informações que havia recebido dos próprios petistas, passei a ser alvo de comentaristas e da patota do PCdoB. Como nada mais certo nessa vida que um dia após o outro, com uma noite no meio, aconteceu o previsto.

Por 43 votos a 30, o Diretório Nacional do PT confirmou nesta sexta-feira a coligação do partido com o PMDB. Antes dessa votação, por 44 votos a 30, a instância já havia definido anular o encontro do PT-MA que havia definido a aliança PT/PCdoB.

A pré-candidata Dilma Roussef (PT) esteve na abertura da reunião. A tese pró-Roseana foi defendida pelos ex-ministros José Dirceu (Casa Civil) e Antonio Palocci (Fazenda), pelo líder do partido Câmara, deputado Cândido Vaccareza (SP), e o presidente da legenda, José Eduardo Dutra.

Ninguém ligou para as palhaçadas armadas pelo deputado Domingos Dutra, que ameaça iniciar uma greve de fome no Plenário da Câmara. Estiveram em Brasília tentando criar factóides a ex-deputada Terezinha Fernandes, Augusto Lobato, Sílvio Bembem e Manoel da Conceição. Conceição tentou iniciar uma greve de fome no auditório da sede do Diretório Nacional, mas foi expulso de lá.

Eles levaram a tiracolo os delegados Francivaldo Coelho, Marcelo Coelho e Maria de Lourdes Moreira da Silva, a Moçota, que apareceram na Veja dizendo terem recebido proposta em dinheiro para votar na aliança pró-Roseana. Ninguém quis saber de mais essa armação.

A questão da composição da chapa será definida no Maranhão. Mas confome informou o blog ainda no sábado, o mais provável é que o ex-deputado Washington Luiz (PT) seja o candidato a vice-governador e o atual ocupante do cargo, João Alberto de Sousa (PMDB), seja o candidato ao Senado. Agora a novela vai ser a participação do DEM na coligação.

O certo é o que o principal derrotado de todo esse processo foi Flávio Dino. Ele vai se reunir com os PSB para ver se ainda mantém a candidatura. Já Dutra, Bira do Pindaré, Bembem, Lobato, Terezinha e Jomar Fernandes devem desistir das candidaturas ao Senado e ao Parlamento. Na reunião de hoje eles não foram liberados a apoiar outro nome. Se quiserem concorrer terão de ir com Roseana.

Acabaram perdendo o trem da história.

O Globo e Folha: PT pode fechar apoio a Roseana

sex, 11/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Panorama Político 110610

 Da coluna Painel, Folha de S. Paulo:

Última instância
A corrente majoritária do PT endossou ontem a intervenção pró-Roseana Sarney (PMDB) no Maranhão. As demais tendências do partido divergem, mas essa posição deve prevalecer no voto hoje, no encontro do Diretório Nacional da sigla. A seção estadual queria apoiar Flávio Dino (PC do B) ou, no máximo, manter-se “neutra” na disputa. Dino foi reclamar do destino com um expoente da bancada petista e ouviu: “Meu, o Lula mandou!”.

“Não quero morrer de fome.Tenho tripas estreitas. Quero apenas desgastar Sarney”, diz Dutra

qui, 10/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Toda véspera de eleição o deputado Domingos Dutra (PT) cria um factóide para se manter na mídia e com isso se eleger. Ele já comandou a CPI do Caso Granville, na época atingindo o então governador Epitácio Cafeteira e beneficando o grupo Sarney. Já brigou com o ex-deputado Vila Nova e lançou rifa que ele mesmo ganhou. Na eleição passada, ameaçou invadir a sede do partido e se alimentou da denúncia das “verdinhas”, supostos dólares que o grupo de Washington Luiz teria usado no pleito. Na sede do PT-MA, um grupo pró-Dutra iniciou nesta quinta-feira uma espécie de “pajelança” com várias velas acesas em torno da bandeira do partido à espera da decisão do Diretório Nacional amanhã.

Dutra 100610Nessa entrevista a Veja.com, o deputado mostra seu verdadeiro objetivo com mais esse factóide: só quer desgastar a governadora Roseana Sarney (PMDB). “Eu não estou querendo morrer de fome. Eu tenho bastante resistência para aguentar uns quatro meses. Durante a minha infância toda eu não tive alimentação farta. Tenho minhas tripas muitos estreitas”, diz ele.

Agora, sacanagem mesmo, é do deputado Flávio Dino (PCdoB). Ele , no mínimo, deveria acompanhar Dutra e os “companheiros” nessa greve de fome. Aliás, o comunista é o principal beneficiado de mais essa palhaçada. Abaixo, a entrevista do petista a Veja.com:

Por que uma greve de fome?
Eu tenho consciência que é um recurso extremo. Mas é o único que a gente tem. Porque nós fizemos a disputa de acordo com as regras do partido. Se isso não vale, a greve de fome é o único recurso.

Até onde o senhor está disposto a levar o protesto?
Eu não estou querendo morrer de fome. Eu tenho bastante resistência para aguentar uns quatro meses…

O PT não vai reverter uma decisão do diretório nacional.
Eu acho que no mínimo vai haver um grande desgaste do grupo Sarney no Maranhão, que já está desgastado. Se eu contribuir com esse desgaste, eu acho que já valeu a pena.

O senhor vai tomar água?
Segundo os médicos que eu consultei, a gente ingere líquido como água, água de coco.. .Já consultei um deputado que passou greve de fome aqui para saber quais são as reações do corpo..

E quais são?
Eles me dizem que o corpo humano tem bastante resistência. No episódio do Haiti, teve gente que foi encontrada viva 15 dias depois do terremoto, sem comer. Eu sou de uma família muito humilde, portanto durante a minha infância toda eu não tive alimentação farta. Tenho minhas tripas muitos estreitas.

O senhor pretende continuar com sua agenda normal no Congresso?
Como a greve vai ser no plenário da Câmara, vou levar meu computador, meu telefone e livros para ler…O plenário é meu santuário.

Por que tanta resistência à candidatura de Roseana Sarney?
Os Sarney têm catinga.

Pode tomar banho no plenário?
Pode sim, já vi que lá no cafezinho tem um bom banheiro…

PT e PMDB tentam acerto antes das convenções

qui, 10/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Da Folha de S. Paulo:

Brasília - Maranhão, Paraná e Ceará são os últimos Estados em que PT e PMDB buscam acerto para evitar problemas em suas convenções nacionais que, no fim de semana, vão oficializar a chapa Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) à Presidência.

Ala de Washington e Monteio querem PT apoiando Roseana

Ala de Washington Luiz e Monteiro quer PT apoiando Roseana

O PT reúne amanhã seu Diretório Nacional para discutir as pendências, mas admite que o caso maranhense é o mais complicado: o PT local está dividido entre o apoio a Flávio Dino (PC do B) ou Roseana Sarney (PMDB). Petistas e peemedebistas dizem que a tendência é que a legenda fique neutra. Embora não seja contemplada por completo, a família Sarney ficaria satisfeita em evitar o aumento do tempo de propaganda de Dino na TV.

No CE, a tendência é que o PT mantenha José Pimentel ao Senado. Os peemedebistas, que lançarão Eunício Oliveira (PMDB), tentam dinamitar a candidatura petista.

No PR, PT, PMDB e PDT negociam chapa única, mas Osmar Dias (PDT), candidato mais bem colocado, mantém conversas com a oposição. Os problemas regionais, porém, não têm potencial para inviabilizar a aliança nacional entre PT e PMDB. Interessado em aumentar o tempo na TV, o PT não cedeu apenas às pressões do PMDB para ampliar suas alianças.

Ontem o PMDB entregou a Dilma a sugestão do partido para o programa de governo. Após reunião fechada, as cúpulas minimizaram divergências entre as propostas, garantindo que uma comissão será criada para finalizar até o fim de julho o texto. Com diferenças programáticas para economia, habitação, saneamento, PT e PMDB disseram que ainda vão esperar as convenções dos outros aliados da coalizão para criar um programa de consenso.

Mesmo negando grandes diferenças entre os textos dos projetos, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, afirmou que “em último caso quem vai decidir é a Dilma, porque é ela quem vai assumir o programa publicamente”.



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade