Formulário de Busca

“Nenhum homem público do Maranhão tem a ficha mais limpa que a minha”, diz Jackson Lago

seg, 05/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

O ex-governador Jackson Lago (PDT) afirmou no final da manhã desta segunda-feira no TRE que nenhum homem público do Estado “tem a ficha mais limpa”  que a dele. A declaração foi uma resposta a possível impugnação de sua candidatura em decorrência da Lei da Ficha Limpa.  O pedetista esteve no tribunal na companhia dos candidatos a vice-governador Luiz Porto e ao Senado Roberto Rocha e Edson Vidigal (PSDB) para registrar a chapa “O Povó é Maior” (PDT/PSDB/PTC).

Jackson registra chapa“Ninguém na vida pública do Maranhão tem a vida e a ficha mais limpa que o Jackson Lago. Fui três vezes prefeito de São Luís e dois anos governador. Meu patrimônio continua o mesmo. Nunca aumentou um centavo além do meu salário. Não sou sócio de nenhuma empresa. Estou na vida pública para mostrar ser possível exercer cargos e permanecer com as mãos limpas”, disse.

O governador cassado, acusado pelo Ministério Público Federal no bojo da Operação Navalha de receber 8% de propina de obras da construtora Gautama no Estado, declarou não duvidar que possa ter a candidatura impugnada.

“Eu tenho a vida, as mãos e a consciência tranqüilas. Mas quem luta contra essas estruturas viciadas tudo pode acontecer. No entanto, não creio que o Brasil assista pela segunda vez uma violência dessa natureza. Se as estruturas dominantes do Estado, que convivem com instituições nacionais, não aceitam a vontade do povo do Maranhão, isso é outra questão. Eu não aceito que pela segunda vez queiram desrespeitar a vontade de nossa população”, completou.

Jackson disse que “tudo é possível” ao ser questionado sobre uma possível ação do Ministério Público Eleitoral contra ele. “O povo constatou que todo tipo de violência é possível. O Brasil inteiro não vai aceitar que pela segunda vez se cometa uma violência contra a vontade da maioria do povo do Maranhão”, reforçou.

O ex-governador disse ainda que se sua candidatura for impugnada “haverá defesa”. “Eles farão isso sempre porque temem a candidatura de Jackson Lago. Vamos obter a segunda vitória sobre a representante da oligarquia. Sabemos que eles não querem perder pela segunda vez, mas vão perder”, assinalou.

O pedetista previu gastos de R$ 15 milhões na campanha. Os candidatos ao Senado R$ 10 milhões cada. Cada deputado federal da coligação “O Povo é Maior” R$ 4 milhões e os estaduais R$ 2 milhões. A aliança lançou cerca de cem candidatos.

Sub judice, Jackson vai ao TRE registrar chapa

seg, 05/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Com a candidadura sub judice por conta da Lei da Ficha Limpa, o ex-governador Jackson Lago (PDT) e o pastor Luiz Carlos Porto (PSDB) formalizam daqui a pouco, às 11h no TRE, o pedido de registro de sua candidatura ao gGoverno do Estado e demais integrantes da coligação “O Povo é Maior” (PDT-PSDB-PTC).

Coligação de Jackson Lago apoiará tucano José Serra à Presidência

Coligação de Jackson Lago apoiará tucano José Serra à Presidência

Jackson chegará ao tribunal em companhia dos candidatos ao Senado Roberto Rocha e Edson Vidigal, ambos do PSDB, deputados federais, estaduais, lideranças políticas dos partidos coligados e entregará pessoalmente a documentação ao representante do Cartório Eleitoral. Roberto terá como suplentes o ex-chefe da Casa Civil Pedro Maranhão e o vereador José Joaquim (PSDB), respectivamente. Já os de Vidigal serão o ex-prefeito de Barreirinhas Léo Costa (PDT) e o ex-deputado Lula Almeida (PSDB). O vice de Jackson deve ser mesmo o pastor Luiz Porto (PSDB)

“A partir do dia 6 estaremos em condições legais de iniciarmos nossa campanha. Vamos discutir nosso programa de governo com a população com objetivo de reiniciarmos as obras que foram paralisadas por conta de um golpe judicial”, observou Jackson.

Em cumprimento à lei que estabelece a apresentação do plano de governo no ato do pedido de registro de candidaturas majoritárias, a coligação confirmará as diretrizes que nortearão o próximo mandato do pedetista. Em síntese, Jackson Lago apresentou um plano que pretende ratificar a descentralização administrativa e a participação popular, marcas do seu mandato interrompido por causa da cassação.

Além do fortalecimento da política municipalista, o governador cassado se propõe a nortear seu mandato popular, a partir da avaliação do curto período em que esteve à frente do Executivo estadual, dando continuidade aos grandes projetos na política de saúde no estado, com a implantação dos socorrões regionais. No programa também é mencionado o apoio aos empreendimentos regionais e aos grandes projetos econômicos como a implantação da refinaria Premium da Petrobras no município de Bacabeira,
 
Os três partidos vão se coligar também na eleição proporcional. O “chapão” vai apresentar com o número máximo de candidatos permitido pela legislação.  O PDT, por exemplo, vai apresentar uma lista com nove candidatos a deputado federal e 18 concorrendo a um mandato na Assembleia Legislativa.
 
A caravana da coligação se concentrará na sede do diretório estadual do PDT, no Olho D’água, de onde seguirá para o TRE. Após a formalização do pedido de registro, Jackson Lago vai iniciar a montagem do seu cronograma de visitas ao interior do Estado, assim como acelerar a colocação de sua campanha na rua. Deve começa a caminhada de volta ao Palácio dos Leões pelas regiões tocantina e sul do Maranhão.

PPS faz Jackson Lago “pagar mico” em aeroporto

qui, 01/07/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Não passa de conversa fiada as declarações do ex-governador Jackson Lago (PDT), distribuídas por sua assessoria e publicada em alguns jornais locais, dando conta de ter recebido com “serenidade” a decisão do PPS de aliar-se na última hora com o PCdoB e PSB em torno da candidatura do comunista Flávio Dino. “Isso é bom para o processo democrático. É importante que todos os partidos decidam livremente no primeiro turno a melhor forma de se viabilizarem”, diz o pedetista no realease distribuído por sua equipe.

Zé Reinaldo  conspiraçãoConversa fiada porque ontem pela manhã Jackson estava no aeroporto de São Luís esperando um sinal para ir a Bacabal, onde o PPS realizava sua convenção, quando seria aclamado candidato do partido. O ex-governador estava impaciente à espera de um sinal para embarcar e como esse não vinha um correligionário resolveu saber o que estava acontecendo.

Foi contactado o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, que acabou com o ministério. Freire contou a esse interlocutor ter tido uma conversa recentemente com o agora candidato ao Senado José Reinaldo Tavares (PSB) numa agenda articulada pelo PCdoB. O presidente disse ter recebido a informação de que Jackson não seria mais candidato por conta da Lei da Ficha Limpa.

Roberto Freire contou ter ouvido do socialista que Roberto Rocha (PSDB) teria um acerto com a governadora Roseana Sarney (PMDB) para sair candidato ao Senado. Ou seja, o tucano estaria dando um “golpe” no próprio Jackson. Nos fuxicos levados a Roberto Freire, segundo relato deste, o ex-chefe da Casa Civil no início do governo José Reinaldo (foto), Pedro Maranhão, teria ligações com o senador Edison Lobão (PMDB) e seria um dos suplentes de Roberto Rocha nas eleições deste ano.

Foi quando a ficha de Jackson caiu: ele acabara de ter sido traído e o PPS não lhe daria apoio algum. Agora alguns membros do partido tentam acabar com toda fuxicada levando um recurso para que a Direção Nacional do PPS reverta a decisão do apoio do partido no Maranhão a Flávio Dino.

PDT e PSDB preparam convenção de sábado

qui, 24/06/10
por Décio Sá |
categoria Esportes

O candidato ao governo Jackson Lago (PDT) e o candidato ao Senado, deputado federal Roberto Rocha (PSDB), se reuniram nesta quinta-feira pela manhã para acertarem últimos detalhes sobre a convenção conjunta que realizam sábado, dia 26, no Grêmio Lítero Recreativo Português, no bairro do Anil, em São Luís. O evento terá início às 8 horas e se estenderá até o meio-dia.

Jackson Lago e Roberto Rocha discutem detalhes da convenção

Jackson Lago e Roberto Rocha discutem detalhes da convenção

Na convenção estarão presentes dirigentes do PTC e PPS, que estarão coligados na eleição majoritária deste ano. Durante a convenção serão homologados os nomes de Jackson ao Governo do Estado, de Roberto Rocha e do ministro aposentado Edson Vidigal (PSDB) ao Senado, além dos nomes que disputarão vagas na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa estadual.

“Estamos organizando o evento para que tenha dois momentos”, explicou Léo Costa, coordenador da convenção pelo PDT. De acordo com ele, no primeiro momento da convenção terão direito a palavra os candidatos às eleições proporcionais. O tempo reservado para cada candidato que pleiteie a fala ainda deverá ser definido até a realização da convenção, no sábado.

No segundo momento, será destinado aos discursos dos presidentes dos quatro partidos da coligação majoritária, com destaque para os presidentes do PTC, deputado estadual Edivaldo Holanda; e do PPS, Paulo Matos.

Ao menos quatro prefeitos, sendo dois do PSDB e dois do PDT, deverão falar em nome das lideranças municipais do Estado: João Castelo (São Luís), Sebastião Madeira (Imperatriz), ambos do PSDB; Deoclides Macedo (Porto Franco) e Dr. Hilton (Santa Rita), os dois do PDT.

Dino e Zé Reinaldo forçam renúncia de Jackson

dom, 20/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Este blog foi o primeiro alertar a atração repentina do deputado Flávio Dino (PCdoB) por Jackson Lago (PDT). Sabendo que o TSE iria barrar a candidatura de políticos condenados pela Corte, o comunista queria apenas herdar o apoio da coligação e do próprio pedetista diante de sua possível desistência por conta da Lei da Ficha Limpa (reveja).

charge flavio dino bote JacksonNo entanto, Jackson reagiu em entrevista sexta-feira e garantiu que é candidato. Pior: apesar de notas plantadas na grande imprensa pelo PCdoB, negou ter tido nas últimas semanas qualquer encontro com o pré-candidato comunista para tratar do assunto. “Estou sabendo disso pelos jornais”, disse o ex-governador.

Flávio Dino, na verdade, está desesperado por não poder recuar da candidatura ao governo e saber que no atual cenário - e sem o PT – será mero coadjuvante numa disputa entre Jackson e Roseana Sarney (PMDB). O máximo que pode fazer é ajudar a levar a eleição para o segundo turno. O desespero é tanto que ele vem tentando um contato com o prefeito João Castelo (PSDB), contra quem move uma ação de cassação no TRE. Castelo não lhe deu bolas.

Associado ao ex-governador José Reinaldo (PSB), também perdido, quer forçar o pedetista a renunciar da disputa de qualquer maneira. Usa para tanto o Jornal Pequeno, conduzido por Lourival Bogéa. Lourival e o jornal seguem hoje cegamente as orientações de José Reinaldo.

Na edição deste domingo, o matutino da Rua Afonso Pena 171 trouxe matéria com o deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ) defendendo a união do PDT e PCdoB no Maranhão pela causa da oposição contra Sarney. A “causa” tem nome: Flávio Dino. O problema é que entre os oposicionistas quase ninguém concorda com esse nome. Preferem lançar outro: Edson Vidigal, Roberto Rocha (PSDB) ou próprio José Reinaldo. Este teme enfrentar Roseana e Roberto está mais preocupado com sua candidatura ao Senado.

“Dr. Jackson Lago: desista da candidatura! Pare de ficar dizendo que confia na Justiça, pois essa Justiça não inspira nenhuma confiança”, disse Lourival na coluna que ele assina com o pseudônimo de “Dr.Pêta”.

Jackson, aliás, se espantou com as declarações de Brizola Neto. Declarações estas que estavam sendo oferecidas a vários jornalistas na sexta-feira pelo presidente do Diretório Municipal do PCdoB, jornalista Márcio Jerry, braço direito de Flávio Dino. O espanto com o deputado carioca se deve ao fato dele ter se solidarizado com Jackson há três dias durante a Convenção Nacional do PDT que homologou o apoio do partido à pré-candidata Dilma Roussef (PT). Brizola pai deve estar se revirando no túmulo.

Outros exemplos de como o JP, o “Pravda maranhense”, está alinhado ao pensamento dinista e reinaldista. Em uma de suas manchetes deste domingo, o matutino diz que “PTC oficializa apoio às candidaturas de Jackson e José Reinaldo”. O problema é que nessa mesma convenção o PTC oficializou apoio à candidatura ao Senado do tucano Roberto Rocha, presente ao evento e um dos articulistas do próprio jornal, mas não citado na matério como também tendo recebido o apoio.

Na quinta-feira, a manchete mostrou toda a indisposição do JP com o “velhinho”: “Jackson diz que não é ‘ficha suja’ e confirma que vai ser candidato” (veja aqui). Estive na coletiva do ex-governador e em nenhum momento ele tratou de “ficha suja”. Disse apenas que apesar da Lei da Ficha Limpa seria candidato. Em conversas reservadas, tem dito que precisa participar da disputa por causa dos outros candidatos da coligação.

Como se vê Jackson está entre a cruz, a foice e o martelo: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

“É óbvio que posso ser candidato”, diz Jackson

sáb, 19/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Jackson Lago confirmou candidatura e sua convenção para o dia 26

Jackson Lago confirmou candidatura e sua convenção para o dia 26

O ex-governador Jackson Lago (PDT) afirmou nesta sexta-feira que sua candidatura está mantida, apesar da decisão do TSE de validar a Lei da Ficha Limpa para políticos já condenados. O ex-governador foi cassado pela Corte Eleitoral em 2009. “Vi essa decisão com naturalidade. O TSE tomou uma medida administrativa, mas no momento apropriado vai analisar cada caso concreto. É óbvio que posso ser candidato”, disse.

Jackson confirmou para o dia 26 a convenção que homologará seu nome. Disse que a escolha do vice está sendo discutida entre o PSDB, PTC, PPS e PDT. Ele explicou o que vai acontecer após esta data. “De 5 a 6 de julho, como determina a lei, entrarei com pedido de registro de minha candidatura. Nossos adversários, que adoram um tapetão, vão pedir minha impugnação e então começaremos uma batalha judiciária.”

Frente de oposição

O ex-governador negou ter tido nas últimas semanas qualquer contato com o deputado Flávio Dino (PCdoB) no sentido da formação de uma frente única de oposição no Maranhão. Ele disse que essa sempre foi sua tese e só tomou conhecimento agora, “pelos jornais”, da volta dessa proposta.

“Essa sempre foi minha tese de fazer um plebiscito no primeiro turno. Propus assim há quatro anos e não foi possível. A instituição dois dois turnos anima os partidos a apresentarem nomes até na perspectiva do crescimento partidário. Nunca fui procurado por ninguém para a discutir questão de tamanha relevância. Vi isso através dos jornais”, concluiu.

Em ‘standy-by’, Vidigal quer ser opção a Jackson

sex, 18/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Sob o tíutlo de “Mais Um”, a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, informa nesta sexta-feira que o pré-candidato do PSDB ao Senado no Maranhão, Edson Vidigal, está em “standy-by” para ocupar uma possível vaga de vice na chapa do tucano José Serra (SP). “Candidato ao Senado pelo Maranhão, o tucano Edson Vidigal diz que dirigentes do PSDB pediram seu currículo para que ele ficasse de ‘stand-by’ para a possibilidade de ser vice do presidenciável José Serra. Ele desembarca em SP nos próximos dias para ‘conversas’” (veja aqui).

Vidigal quer viabilizar sua candidatura ao governo

Edson Vidigal quer viabilizar seu nome ao governo

No entanto, desde de ontem Vidigal se movimenta freneticamente nos bastidores do PSDB e dos partidos em torno do ex-governador Jackson Lago (PDT) no sentido de vir a substitui-lo por conta Lei Ficha Limpa. Nas eleições de 2006, ele teve cerca de 15% dos votos. O ministro reclama até hoje do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) que o convenceu a deixar a presidência do STJ, mas não lhe deu as condições necessários para realizar sua campanha.  Aliás, o próprio José Reinaldo tem interesse nesse cenário já que tira um adversário da disputa pelo Senado.

Com bom trânsito na oposição, ele é menos rejeitado que o comunista Flávio Dino, contra quem há forte oposição principalmente de setores do PDT. Outra opção seria o presidente do PSDB, deputado Roberto Rocha, mas ele está empolgadíssimo com a recepção do eleitorado a sua candidatura ao Senado.

Ex-deputado federal, Vidigal, apesar de defender Jackson, acha que chegou a hora da oposição lhe compensar pelo esforço feito em 2006 quando abandonou o segundo tribunal da América Latina no sentido de ajudar a derrotar Roseana Sarney. Diz para todo mundo que sem seus 15% não teria segundo turno e Jackson jamais teria sido eleito.

Quer agora, com todo direito, cobrar a fatura.

Decisão do TSE gera desespero na campanha de Jackson

qui, 17/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

É de desespero o clima na campanha do ex-governador Jackson Lago (PDT) por causa da decisão do TSE tornando válida a Lei Ficha Limpa para políticos já condenados. O blog vinha alertando que isso poderia acontecer, mas o pedetista resolveu ouvir os “especialistas” em legislação eleitoral Edson Vidigal e Daniel Leite. No último domingo, eles ocuparam colunas e páginas do Jornal Pequeno para dizer, em manchete, que o “velhinho” não seria alcançado pela lei. Mais uma vez quebraram a cara.

desesperadosJackson diz que será candidato e para isso recorrerá até o STF. “Confio no Supremo, onde serão derrubadas todas as inconstitucionalidades”, afirmou através de sua assessoria. O PDT descarta qualquer possibilidade de acordo com Flávio Dino (PCdoB) depois de perceber os verdadeiros objetivos da aproximação recente dele do ex-governador, conforme revelou o blog no post abaixo “A malandragem de Flávio Dino contra Jackson”.

O comunista chegou a ser xingado com termos impublicáveis por alguns pedetistas. “Se ele quiser vir apoiar o Jackson, que apóie”, disse uma fonte. No PSDB o deputado só teria alguma chance se declarasse apoio ao pré-candidato José Serra (PSDB). É improvável.

No entanto, lideranças da coligação que envolve ainda o PTC, PPS e PSDB acham melhor a escolha de outro nome. O presidente do PSDB, Roberto Rocha, não quer nem ouvir falar no assunto. Ele, que conversou nesta quinta-feira com o ex-governador José Reinaldo (PSB), tem dito que sempre alertou para a hipótese de Jackson ficar impedido de disputar a eleição, mas nunca foi ouvido.

Sobrariam, à primeira vista, Edson Vidigal (PSDB) e o próprio José Reinaldo. O socialista morre de medo de enfrentar a governadora Roseana Sarney (PMDB) numa disputa ao governo. Já foi até provocado pelo secretário Hildo Rocha (Articulação Política) para entrar na briga pelo Palácio dos Leões, mas fugiu do desafio.

Durante almoço com jornalistas ontem, Roseana disse que a avaliação do seu ex-vice estava “muito ruim”. “É até surpreendente porque ele ajudou muitos prefeitos. A imagem dele está muito ruim”, assegurou ea. Vidigal é empolgado demais e não seria difícil aceitar o desafio. Aliás, com  isso que José Reinaldo sonha: tirar pelo menos um tucano da disputa ao Senado para melhorar sua situação.

Já no PCdoB a cada dia aumentam as críticas a José Reinaldo. Numa reunião recente o presidente do Diretório Municipal, jornalista Márcio Jerry, chegou a culpar o ex-governador pela decisão da Direção Nacional do PT de definir a coligação do partido com o PMDB da governadora. O presidente  nacional do partido, José Eduardo Dutra, leu artigos do socialista com críticas a Lula e Dilma para convencer os “companhaneiros” do apoio a Roseana.

Enfim, um verdadeiro saco de gatos.

A ‘malandragem’ de Flávio Dino contra Jackson

qui, 17/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Não passa de “malandragem” política as últimas declarações do deputado Flávio Dino (PCdoB) dando conta que poderia abrir mão de sua candidatura em favor de uma “frente ampla” em torno do ex-governador Jackson Lago (PDT).

Flávio Dino atrai Jackson e PDT de olho na Ficha Limpa

Flávio Dino atrai Jackson Lago e PDT de olho na Ficha Limpa

Conhecedor dos bastidores dos tribunais superiores em Brasília, o comunista está mesmo é de olho na decisão do TSE sobre a Lei Ficha Limpa. O tribunal pode decidir hoje se a lei vale para políticos já condenados, o que atingiria o ex-governador.

Por isso ele tenta uma reaproximação dos partidos hoje em torno do “velhinho” (PSDB/PTC/PPS). No caso de um eventual impedimento do pedetista, surgiria como nome natural para sucedê-lo. “Hoje temos dois caminhos. Continuar a nossa candidatura ou constituir uma união mais ampla com PSDB, PPS e PDT”, afirmou o deputado ao G1.

O “comunista cristão” não falava com Jackson desde a eleição de 2008 quando foi preterido pelo então governador na disputa contra João Castelo (PSDB), eleito prefeito de São Luís.  Conversaram mês passado.

Um membro do alto tucano revelou ao blog estar ciente da estratégia do “camarada” e fez uma proposta: aceita ele como candidato desde que assuma a candidatura do tucano José Serra e abandone Dilma e Lula (PT). É difícil acreditar vê comunistas e tucanos juntos no Maranhão. Até a Direção Nacional do PCdoB seria instada pelo PT Nacional a não permitir tal aliança.

Nesta quinta-feira, no entanto, o presidente do PSDB e pré-candidato ao Senado, Roberto Rocha, teve uma reunião com o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) para tratar do assunto. Roberto, aliás, vem sendo atacado através de blogs ligados a “bunkers” montados na Assembleia Legislativa, cujo presidente é o sobrinho do ex-governador, o deputado Marcelo Tavares (PSB).

José Reinaldo, por sua vez, está doido para tirar Edison Vidigal (PSDB) ou o próprio Roberto do páreo temendo não conseguir viabilizar seu nome ao Senado.
 
O certo é que Flávio Dino estará torcendo e, há até quem acredite, mexendo seus “pauzinhos” nos bastidores da Justiça Eleitoral para a decisão do TSE alcançar Jackson. Se a estratégia vai funcionar ou não só o tempo dirá.

Estoura primeira crise na campanha de Jackson

seg, 07/06/10
por Décio Sá |
categoria Eleições

Em meio a notícia de que pode acabar sendo impuganado por conta da Lei Ficha Limpa, a campanha do ex-governador Jackson Lago (PDT) já enfenta a primeira crise.A confusão acontece no setor de comunicação. O pedetista pretende anunciar esta semana sua coordenação.
 
Daniel MendesDiretor de Comunicação da Assembleia Legislativa, Jorge Vieira, foi convidado a comandar o setor. O diretor do Jornal Pequeno, o “neoflavista” Lourival Bogéa, contribuiu na indicação.

O problema foi que a chegada de Jorge Vieira ao arraial pedetista desagradou o marqueteiro Daniel Mendes (foto), espécie de “pensador” da campanha. O publicitário trabalha com o ex-governador desde quando ele era prefeito de São Luís.

Ultimamente assessorava o pré-candidato ao Senado, Roberto Rocha (PSDB), na Comissão de Meio Ambiente da Câmara. O que mais chateou Daniel Mendes foi o fato de vir de Brasília e ter ficar agora subordinado ao “desafeto”.

Ainda não se sabe se Jorge Vieira aceitará o convite. Ele está tendo seu trabalho esvaziado na Assembleia pelo presidente, Marcelo Tavares (PSB). Marcelo está torcendo para o auxiliar deixar o cargo. Como ele foi indicado pelo ex-presidente João Evangelista (falecido mês passado), ele ainda o mantém no posto.
O deputado só está atrás de uma desculpa para substituir o assessor.

Será que encontrou?



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade