Formulário de Busca

Milhomem critica falta de vacina em São Luís

seg, 24/05/10
por Décio Sá |

O deputado Carlos Alberto Milhomem (DEM) criticou, na sessão desta segunda-feira (24), a falta de vacinas contra gripe comum nos postos de saúde de São Luís. Ele afirmou que tentou se imunizar, inclusive em clínicas particulares da capital maranhense, e não conseguiu.

milhomem240510“Fico triste de ver como se encontra a cidade de São Luís. Hoje procurei seis postos de saúde para vacinar, fui até a uma clínica particular, e fui informado que não havia vacina contra gripe comum porque o governo comprou todas. E se você vai aos postos de saúde, também não consegue se vacinar”, reclamou ele.

Milhomem (foto) também criticou as condições de infraestrutura da capital, ressaltando que, mesmo tendo recebido recapeamento há menos de um mês, as ruas estão totalmente esburacadas. “A gente quer que as coisas funcionem melhor. E o que estamos sentindo é que toda porta em que batemos, ou ela não se abre, ou recebemos um não ou uma má informação. Pior que não fazer, é fazer mal, é dar um péssimo atendimento”, enfatizou.

O deputado confessou estar decepcionado por não ver, por parte dos governantes, boa vontade para solucionar os problemas. “O que tenho visto é muita balela e conversas mais escusas que se pode ouvir sobre coligações partidárias, de todos os lados para onde vamos. Os interesses escusos estão acima dos interesses do povo, acima do bem comum, de nossas crianças e daqueles mais humildes”, finalizou.

(Agência Assembleia).

São Luís ainda tem prefeito?

qui, 20/05/10
por Décio Sá |
categoria Cidades

Um buraco no Viaduto da Cohab está infernizando a vida do motoristas que passam pelo local. Ontem pelo menos 15 carros cairam na cratera e tiveram os pneus estourados. A fila de veículos era impressionate, confome mostra essa foto e as imagens abaixo feita pelo jornalista Ciro Nolasco.

buraco cohabPor causa da chuva o buraco ficou encoberto pela água tranformando-se numa armadilha. Nesta quinta-feira o caos se instalou no local. O congestionamento é quilométrico.

Ciro Nolasco conta ter passado ontem 1h40 para sair da farmácia Pague Menos, na Cohama, até o Retorno da Cohab. Nem em São Paulo viveu situação semelhante (veja aqui).

Outros buracos estão infernizando a vida dos moradores da cidade. A avenida Luiz Rocha, praticamente em frente à casa do deputado federal Roberto Rocha (PSDB), está intransitável por causa de problema parecido. O deputado é do mesmo partido do prefeito de São Luís João Castelo, todos aliados do pré-candidato tucano José Serra. A avenida leva o nome do pai do pré-candidato do PSDB ao Senado. Na Ferreira Gullar, por baixo da ponte do São Francisco, uma vala tem provocado vários acidentes, por sorte ainda não fatais.

Agora é de se perguntar. São Luís ainda tem prefeito?

Novo milionário, Diniz é destaque na Veja

seg, 17/05/10
por Décio Sá |

A receita dos milionários
A subida da maré econômica tira milhões de brasileiros da pobreza e, no nível superior da pirâmide social, está produzindo um novo milionário a cada dez minutos.

Por Renata Betti e Larissa Tsuboi, da Veja:

Passado o breve soluço da crise internacional, o Brasil voltou a avançar com força renovada. O país iniciou 2010 em ritmo chinês. Diversos setores da economia crescem numa velocidade superior a 10% ao ano. A produção das indústrias, por exemplo, teve uma alta de 20% no primeiro trimestre. Nesse mesmo período, o comércio registrou uma expansão de 13% no volume de vendas. Mesmo consumindo mais, os brasileiros encontraram folga para poupar. Sinal disso é que o valor total de recursos captados pelos planos de previdência privada ganhou 28% nos três primeiros meses do ano. O desemprego recua aos menores níveis históricos, e a renda dos trabalhadores passa por uma recuperação paulatina mas constante. Se fosse possível medir a temperatura atual da economia, esse termômetro exibiria em seu visor o número de 12%. Foi nesse ritmo que o PIB (produto interno bruto, o total de mercadorias e serviços produzidos) avançou nos três primeiros meses do ano, de acordo com estimativas dos economistas do Itaú Unibanco. No ano como um todo, o crescimento do PIB deverá ficar ao redor de 7%, o que seria a maior taxa desde 1986, quando houve o Plano Cruzado. Esses números extraordinários representam uma primeira maneira de retratar o momento promissor, algo não visto em mais de uma geração. Outro indicativo da saúde do Brasil pode ser visto no interesse inédito despertado pelo país lá fora (veja a reportagem). Um modo mais palpável de sentir esse mesmo fenômeno é observar diretamente como os empreendedores brasileiros têm tirado proveito dessa fase de prosperidade.

Diniz Veja

CLASSE C QUER TRATAMENTO A
Em 1992, o paraibano Arione Diniz, 49 anos, inaugurou em São Luís, no Maranhão, a primeira loja das Óticas Diniz. Sua rede é hoje a maior do país, com 450 filiais. Seu segredo? Dar tratamento de classe A aos consumidores de classe C. Seu faturamento atingiu 285 milhões de reais em 2009.

Na crise, surgem as melhores oportunidades de negócios, afirma o dito. A prática, no entanto, mostra que é na maré alta que as empresas singram novos mares e conquistam territórios. Para a fábrica de sorvetes Frutos do Cerrado, de Goiás, o boom econômico representou multiplicar por 20, na última década, a sua produção, hoje avaliada em 70.000 picolés por dia. Já a empresa de cosméticos mineira Kapeh conseguiu dobrar o número de lojas que vendem seus produtos no último ano. A Tramontini Implementos Agrícolas, do Rio Grande do Sul, multiplicou por 6 o seu faturamento desde 2006. A rede Óticas Diniz, nascida há dezoito anos em São Luís, no Maranhão, alcançou 450 lojas em todos os estados e se tornou a maior rede de vendas de óculos do país. Os exemplos acima, assim como as demais histórias de sucesso recente que ilustram esta reportagem, dão uma mostra real de como a riqueza se espalha pelo país, em diferentes setores e regiões. De cada um desses casos é possível extrair uma lição de empreendedorismo e de como tirar proveito da retomada econômica para impulsionar os lucros.

Graças à estabilidade e ao retorno do crescimento, colocar um projeto de pé, batalhar para fazê-lo deslanchar e transformá-lo em um negócio rentável voltou a ser um sonho realizável. E como. Estima-se que, no último ano, aproximadamente 50.000 brasileiros tenham ingressado no clube dos milionários. Milionárias, de acordo com o critério utilizado por instituições financeiras para identificar possíveis clientes de alta renda, são aquelas pessoas que possuem um patrimônio equivalente a 1 milhão de dólares, ou 1,8 milhão de reais, com recursos livres para investir (não se incluiu, portanto, o valor da residência própria). A cada dez minutos, em média, brota um novo milionário no país. Leia a íntegra da reportagem aqui.

Moradores parabenizam Sarney pelos seus 80 anos

sáb, 24/04/10
por Décio Sá |
categoria Política local

Sarney desterro 80 anosMoradores do Centro Histórico de São Luís colocaram hoje várias faixas nas ruas do bairro parabenizando o senador José Sarney pela passagem de seu aniversário de 80 anos.

No ano passado, eles fizeram um abaixo-assinado pedindo a manutenção da Fundação José Sarney na comunidade. Na ocasião, o documento foi entregue pelos comunitários ao próprio presidente do Senado (foto abaixo).

Os moradores do Desterro, Praia Grande e Portinho se dizem gratos pelo fato da fundação e a Banda do Bom Meninido terem sido instaladas no local, agradecem obras de infraestrutura feitas nos governos Roseana, e o apoio que a família Sarney sempre deu à Escola Flor do Samba.

Sarney e moradores centro histórico“Fizemos isso para mostrar nossa gratidão ao presidente Sarney e toda sua família”, diz André Campos, vice-presidente da agremiação.

Assinam as homenagens ainda o presidente da União de Moradores do Centro Histórico, Francinaldo Pinheiro; da Associação dos Trabalhadores Ambulantes do Centro Histórico, José Rodrigues; e do Conselho Cultural do Centro Histórico, Cleomar de Jesus.

SLZ tem pior serviço de ônibus para cadeirante

seg, 29/03/10
por Décio Sá |
categoria Cidades

Do Fantástico:

As cenas da novela “Viver a Vida” com a personagem Luciana têm tudo a ver com o que aconteceu com Alarico em um ponto de ônibus do centro do Rio de Janeiro nesta semana. Meia hora de espera e quem disse que o equipamento funcionava?

Alarico e outros quatro cadeirantes foram convidados a fazer um teste em ônibus de Rio de Janeiro, São Paulo, São Luís, Goiânia e Porto Alegre. Vamos acompanhar o carioca. Com ajuda de um pedestre, o artista plástico Alarico Moura sobe e se acomoda no lugar destinado a portadores de necessidades especiais. Mas na hora de recolher o equipamento, problemas. A cobradora aperta o botão, sobe no elevador e nada.

“Não está funcionando, não é que eu não estou sabendo ligar. O negócio é que não está funcionando”, explica a cobradora. Alguns passageiros desistem de esperar. O elevador, enfim, dá sinal de vida e 20 minutos depois o ônibus sai. Só que depois do desembarque do Alarico, o elevador emperra de novo. Funcionários da empresa de ônibus tentam resolver o problema. Mais 15 minutos de tentativas (clique ao lado e assista a reportagem exibida no Fantástico).

“Eu me senti muito constrangido, porque essa dificuldade toda faz com que o veículo demore muito tempo, quer dizer, os passageiros em trânsito, estão se deslocando, saindo do trabalho, voltando para casa, eu fiquei olhando para o rosto das pessoas com um constrangimento muito grande”, diz Alarico.

Copa do Mundo

Dos 8,8 mil ônibus que circulam no município do Rio de Janeiro, 2 mil já estão adaptados, segundo o sindicato das empresas de ônibus. Mas ainda há muito a fazer. Um decreto publicado em 2004 determina que 100% da frota nacional deverá estar totalmente acessível a cadeirantes até 2014. Faltam quatro anos. E não basta ter o equipamento, tem que saber usar.

“No meu ponto de vista, nós estamos super atrasados. Isso hoje é uma utopia. Em quatro anos muito dificilmente teremos toda a frota e é uma capital que vai ser a capital da Olimpíada e da Para-Olimpíada, além de ser uma sede da Copa de 2014”, afirma Marcos Scarpa, presidente do instituto Muito Especial.

Outra sede da Copa também mostra problemas. São Paulo tem 15 mil ônibus, quase 4 mil adaptados. O administrador de empresas Eduardo Figueiredo Palma deu sorte. Seis minutos no ponto e o ônibus chegou. Tudo funcionou bem. Mas a espera pelo segundo ônibus foi um balde de água fria. Já faz 50 minutos agora que eu estou esperando o ônibus”, conta. O ônibus adaptado só chegou 59 minutos depois.

“O cadeirante paulista que necessitar desse ônibus adaptado vai encontrar dificuldade na questão de tempo, que nem todas as linhas são adaptadas, e dificuldade na questão de preparo dos profissionais para atendê-lo”, avalia Eduardo.

Duas horas

E o pior ainda estava por vir. Em São Luís, somente 231 ônibus de quase 1 mil estão preparados para receber quem usa cadeira de rodas. Antônio chegou ao ponto de ônibus às 15h45. Três veículos adaptados pararam, mas o equipamento não funcionou em nenhum. Quando deu certo, ainda teve que explicar como fazer a plataforma se movimentar. O embarque aconteceu duas horas e treze minutos depois da chegada ao ponto.

Em Goiânia, grande parte da frota é acessível aos cadeirantes: mais de 1,1 mil dos quase 1, 5 mil ônibus. Mas isso não significa que o serviço é eficiente. De novo, defeito no equipamento. “A plataforma não funcionou”, diz o motorista.

Outro ônibus, o mesmo problema. Só meia hora depois de muitas tentativas, um elevador para Juliana. Em outro ônibus, a dificuldade foi na hora de descer. “É sempre assim, mas hoje parece que está pior, viu? De cada dez ônibus que passa, três estão estragados, o motorista não para, se tiver muito cheio eles não param pra embarcar o cadeirante”, reclama a atendente de telemarketing Juliana Oliveira.

Em Porto Alegre, o número de carros adaptados é pequeno: são 470 dos 1.597. A advogada Andréa Pontes aguardou meia hora pelo primeiro ônibus para cadeirante no centro da cidade. Fora a espera, tudo correu bem.

Exemplo

Quando repetimos o teste em outro ônibus, o motorista deu exemplo. Manobrou o carro para chegar mais perto do meio-fio. Andrea entrou e saiu com muita rapidez. “Eu fiquei bastante admirada na forma como os ônibus em Porto Alegre estão preparados e, principalmente, os funcionários das empresas”, conta a advogada.

Resultado do teste do Fantástico: Porto Alegre tem o melhor serviço. Apesar da espera de meia hora, uso de rampas foi rápido e eficiente. São Luís foi a capital onde constatamos o pior atendimento. Além do mais longo tempo de espera, 2 horas e 13 minutos, em três ônibus adaptados o elevador não funcionava.

Na opinião de quem trabalha para inserir o cadeirante na sociedade, a falta de transporte digno impede a pessoa de ser cidadã. “Impacta diretamente na sua vida profissional, na sua vida social, ela não tem direito de ir a um médico, ela não consegue chegar a um hospital, ela não consegue chegar, fazer um tratamento ambulatorial, ela fica literalmente ilhada dentro de casa”, diz Scarpa.

Um assalto mantido em sigilo

dom, 28/03/10
por Décio Sá |
categoria Polícia

assaltoEstava sendo mantido quase sob sigilo absoluto um assalto ocorrido sábado, dia 20, envolvendo figurões da cidade. O crime ocorreu por trás do Comercial Camões, na Avenida Kennedy, onde nesses dias uma turma boa se reúne. Foi muita humilhação. Os bandidos  colocaram todo mundo na parede e depois trancafiaram num quarto. Levaram dinheiro, objetos pessoais e as chaves dos carrões.

Curiosamente nenhuma queixa foi registrada nas delegacias. O caso só veio à tona neste sábado com a prisão de um menor de 15 anos. Ele confessou participação no assalto e disse que o comparsa Paulo Rocha Pereira, o Paulo Bonito, foi quem ficou com os pertences das vítimas. A polícia agora investiga o caso.

Uma da vítimas teria sido o ex procurador-geral do estado José Cláudio Pavão Santana. No local do assalto estariam procuradores, pelo menos um agente da Polícia Federal e um membro de tribunal. Uma turma boa que se reúne no cafezinho do São Luís Shopping também estaria entre os assaltados.

O caso está vindo à tona aos poucos.

Novo Cohatrac, Alto do Itapiracó e Araçagi terão asfalto

dom, 21/03/10
por Décio Sá |
categoria Cidades

luis fernando asfaltoO prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (DEM), assinou sábado (20) ordens de serviço autorizando o início das obras de asfaltamento e urbanização de várias vias dos bairros Novo Cohatrac e Alto do Itapiracó, além da rua Deny Cabral, no Araçagi.

As obras fazem serão feitas em parceria com o Governo do Estado e fazem parte do programa municipal de pavimentação, executado desde 2005 pela administração municipal.

No Novo Cohatrac e Alto do Itapiracó o serviço é fruto de um convênio, no valor de pouco mais de R$ 2 milhões, firmado entre os governos Luis Fernando e Roseana Sarney (PMDB). Está sendo asfaltado e urbanizado um trecho de aproximadamente 6 km compreendendo as ruas Planalto Paraíso, Fio, Jacarepaguá, Itapiracó, Portal do Cohatrac, além da avenida Japonesa.  Estas vias fazem parte de um importante trecho por onde passa o transporte coletivo e que liga os dois bairros ao Parque Vitória e Maioba, por exemplo. A previsão é de que o serviço seja concluído num prazo de 120 dias.

No Araçagi a obra, também fruto de convênio celebrado entre a prefeitura ribamarense e o Governo do Estado, consiste no asfaltamento e urbanização de um trecho de  1 km. Esta via, que leva o nome do saudoso radialista Deny Cabral – ele residia no Araçagi – é um importante trecho de ligação da avenida principal do bairro com o terminal de transporte coletivo.
 
“O município de Ribamar, desde o ano passado, não está mais sozinho. A governadora Roseana já garantiu vários outros benefícios importantes para a nossa cidade. Agora, com o apoio do governo, trabalharemos muito mais para tornar São José de Ribamar uma cidade melhor para todos”, avaliou o prefeito.

Também participaram das solenidades o secretário Max Barros (Infra-Estrutura), o vice-prefeito Gil Cutrim (PSL); o deputado estadual Joaquim Haickel (PMDB); as vereadoras Marlene Monroe (PTB) e Elisabeth Malheiros (PV); o vereador Negão (PMDB); além de várias outras lideranças comunitárias e políticas de São José de Ribamar.

Playzinhos a 300km/h na BR-316; veja vídeo

qui, 18/02/10
por Décio Sá |
categoria Cidades, Vídeos

Reprodução mostra Mercedes a 303 km/h

Mercedes C63 a 303 km/h. Veja vídeo abaixo

Um grupo de playzinhos maranhenses, filhos de grandes empresários de São Luís e Imperatriz, resolveram brincar com seus carrões na BR-316 próximo a Caxias. Detalhe: a 300 km por hora. Um vídeo colocado na internet em dezembro passado mostra a disputa entre um Mercedes C63 AMG, avaliada em R$ 415 mil, e uma BMW M3, que custa a bagatela de R$ 410 mil.

A Mercedes chega a desenvolver 313 km/h (no vídeo aparece no final 303 km/h) na BR deixando para trás o concorrente e muitos caminhões que passam no sentido contrário. A velocidade máxima permitida nas estradas brasileiras é de 110 km/h, quase três vezes menos ao praticado pelos “filhinhos de papai”.

“Meu pexe, paguei pau agora pra ti. Tu é nó cego. Altas Scanias nessa BR e tu botou 300 km/h. Esse câmera-men devia tá com medo pra caralho”, comenta na página onde foi postado o vídeo o internauta que se identifica como “Fabioadler”. Perceba na gravação as palmeiras de babaçu ao longo da estrada.

Segundo apurou o blog, a Mercedes era conduzida pelo filho de um grande empresário do ramo de hotéis de Imperatriz. A BMW é dirigida pelo filho de um dos maiores construtores de conjuntos residenciais da capital. Aviso aos navegantes: não adianta retirar as imagens da internet porque eu já capturei todas. Clique e veja:

Carnaval de São Luís é destaque no Jornal Nacional

ter, 16/02/10
por Décio Sá |
categoria Cidades, Vídeos

No carnaval de São Luís, a diversidade de ritmos e danças anima os foliões. Tem atração para todos os gostos (clique e veja). O fogo estica o couro e afina o instrumento. Onde tem roda de mulher dançando e homem tocando, é tambor de crioula. Uma dança trazida pelos escravos.

Os blocos afros resgatam o visual dos guerreiros das tribos. “É muita cultura, é demais”, afirma um folião.

Dançando coladinho, ou separado mesmo, é o reggae de São Luís. É dia de alegria. Os palhaços tomam conta do bairro de Madre Deus, o circuito mais tradicional do carnaval do Maranhão.

A diversidade de ritmos e sons do carnaval maranhense ganha mais um espaço na Passarela do Samba. Desta vez, com o luxo das fantasias e com uma batida que mexe com o coração. Um toque no tambor gigante e o som vai longe. Imagine um monte de tambores então.

Se o centro histórico é o coração da cidade, as ladeiras são as veias que levam a multidão para mais um show. É o bloco do Bicho-Terra contagiando quem é da cidade e quem vem de fora.

“Aqui está beleza. São Luís é maravilha!”, elogia um folião.

Alegria toma conta do Carnaval de São Luís

seg, 15/02/10
por Décio Sá |
categoria Cidades

Foram necessários apenas dez meses. De volta ao Palácio dos Leões, a governadora Roseana Sarney (PMDB) já conseguiu resgatar o Carnaval de São Luís. No interior a folia, que sempre foi grande, está melhor ainda. A administração estadual investiu cerca de R$ 30 milhões na festa.

Na capital, o governo finalmente resolveu criar um circuito na praia. Desde as prévias, a Litorânea tem ficado lotada. A volta do circutito Deodoro/Madre Deus também trouxe as pessoas de volta à rua. A própria governadora é quem comanda a folia. São centenas de agremiações carnavalescas desfilando.

Uma prova de que basta um pouco de organização e boa vontade para a festa não acabar. As imagens falam mais que mil palavras.

Fotos: Handson Chagas e Igor Almeida

Roseana Carnaval 2010 b

Roseana carnaval 2010 d

Roseana Carnaval 2010 e

Fotos: Handson Chagas e Igor Almeida.



Formulário de Busca


2000-2014 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade